Finalmente! Prefeitura autoriza nesta terça pagamento de subvenção ao Grupo Especial

Assim como em 2018, Beija-Flor encerra o Carnaval. Foto: Juliana Dias/SRzd

No Dia Nacional do Samba (2), um afago no meio da crise. A verba que a Prefeitura do Rio de Janeiro destina às agremiações do Grupo Especial será liberada nesta terça-feira (4). Segundo o secretário da Casa Civil, Paulo Messina, a subvenção de R$ 1 milhão que cada escola tem direito será paga em duas parcelas.

A expectativa é que R$ 500 mil já caiam na conta de cada uma das 14 agremiações até sexta-feira (7). Os 50% restantes serão depositados somente em fevereiro, após as escolas prestarem contas dos recursos da primeira parcela da verba.

Vale lembrar que as agremiações junto da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) se reúnem com Messina e representantes da prefeitura desde setembro. A demora pela definição do repasse da subvenção fez escolas como Mocidade, Mangueira e São Clemente interromperem trabalhos e cancelarem ensaios. O Império Serrano trabalha o mínimo possível para não fechar o barracão.

Ensaios de quadra da São Clemente estão suspensos. Foto: Maria Matos e Lucas Di Biase

A crise aumentou com a desistência da Uber, que destinaria R$ 500 mil a cada agremiação do Especial. Sem a empresa, as escolas ganharão apenas R$ 1 milhão de subvenção. Em 2018, o valor foi de R$ 1,5 milhão. Em 2017, R$ 2 milhões.

O prefeito Marcelo Crivella, nesta sexta (30), comentou a decisão da Uber. Segundo ele, a culpa pela saída da empresa foi das agremiações, que não tem transparência na ações.

Crivella durante entrega de cheque simbólico de R$13 milhões de reais às escolas de samba para Carnaval 2018. Foto: Reprodução

Situação na Série A e Intendente segue indefinida

Se o repasse para o Especial já está acertado, não se pode dizer o mesmo da subvenção dos grupos de acesso, que desfilam na Marquês de Sapucaí (A) e Intendente Magalhães (B, C, D e E). De acordo com o secretário da Casa Civil, a prefeitura ainda avalia o que fazer.

A Uber, maior apoiadora dos desfiles da Intendente em 2018, destinaria R$ 2,5 milhões às séries B, C, D e E. A desistência da patrocinadora põe em risco o trabalho da agremiações.

A Liga das Escolas de Samba do Brasil (Liesb), que organiza o Carnaval da Intendente, afirmou em nota que “a atitude da Uber foi criminosa, mas segue acreditando no papel da Riotur e do poder público municipal”. A entidade também cancelou a festa de lançamento do CD de sambas-enredo, que seria dia 9 de dezembro.

Desfiles da Intendente Magalhães de 2018 tiveram apoio da Uber. Foto: Divulgação

*Com informações de O Globo

Comentários




    gl