Sidnei França diz não ter paciência para discutir sobre polêmica comissão de frente da Gaviões

Desfile 2019 da Gaviões. Foto: SRzd – Cláudio L. Costa

Com a chegada da data do Carnaval, a polêmica comissão de frente da Gaviões da Fiel, no ano de 2019, voltou a ser alvo de fake news.

Desta vez, o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, divulgou a imagem da encenação acusando-a de ser a responsável pela não realização do Carnaval 2021.

“Dá pra entender quem manda? Ou tem que desenhar?”, declarou o político, divulgando a falsa informação de que a comissão se apresentou em 2020. E completou: “Não sou contra o Carnaval, sou músico. Sou contra tripudiar e blasfemar o nosso Pai!”.

Sidnei França. Foto: Assessoria de Imprensa – Gaviões da Fiel

Em entrevista nas “12 Horas de Carnaval” do SRzd, o carnavalesco Sidnei França, responsável por desenvolver o enredo da Gaviões na época, falou sobre o sentimento que tem ao ver as pessoas suporem que a Covid-19 é um castigo divino após a apresentação da comissão de frente.

O ser humano tem uma tendência de complicar as coisas de uma tal maneira e me dá até preguiça de argumentar alguma coisa sobre esse assunto. Eu acho de uma ignorância. Acho que quando a pessoa vai criticar algo que ela não gosta, ela tem que tomar muito cuidado para não resvalar no ridículo, e quando esses fundamentalistas religiosos caem nesse argumento, é de uma ignorância que te coloca no lugar de infelicidade intelectual. Quer dizer que ele [Deus] viu a escravidão, o holocausto dos judeus, a chacina da Candelária no Rio de Janeiro, tanta coisa, e aí precisou o Carnaval vir para ele poder mandar pandemia agora em 2020. É de uma ignorância, é tão raso a pessoa se apegar nesse argumento. É mais fácil a pessoa falar assim: ‘Gente, eu odeio Carnaval, quero que esse povo vá tudo pro inferno e eu quero processar porque eles ridicularizaram uma imagem que eu adoro’. Não usa esse argumento da Covid-19, porque aí você cai num descrédito de argumento que não cabe. Eu levo tudo isso quase como sarcasmo, humor, porque eu só dou risada, não consigo me ver discutindo com alguém sobre isso”, declarou.

Assista na íntegra à entrevista:

Na encenação apresentada na Avenida, um componente vestido de Diabo interagiu com outro, caracterizado como Jesus Cristo, num duelo entre o bem e o mal. Neste quesito, a agremiação recebeu dos quatro jurados apenas uma nota máxima e outras três 9,9. Os pontos perdidos foram relacionados a falhas de acabamento nos figurinos.

Relembre trecho da apresentação da comissão de frente:

Ao final da apuração, a Gaviões, mesmo estando entre as favoritas ao título do Grupo Especial com a reedição do enredo “A saliva do santo e o veneno da serpente”, apresentado originalmente em 1994, ficou com um surpreendente e modesto nono lugar.

+ relembre o desfile da Gaviões da Fiel em 2019










Comentários

 




    gl