Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

‘The Old Guard’: filme de Charlize Theron pode iniciar franquia

Produzido e estrelado por Charlize Theron, “The Old Guard” está disponível no catálogo da Netflix (Foto: Divulgação / Crédito: Netflix).

Vencedora do Oscar de melhor atriz por “Monster: Desejo Assassino” (Monster – 2003), Charlize Theron tem se destacado nos últimos anos por seus papeis em filmes de ação como “Mad Max: Estrada da Fúria” (Mad Max: Fury Road – 2015), “Velozes & Furiosos 8” (The Fate of the Furious – 2017) e “Atômica” (Atomic Blonde – 2017). Cada vez mais à vontade neste filão, Theron estrela “The Old Guard” (Idem – 2020), adaptação da HQ homônima de Greg Rucka, adicionada recentemente ao catálogo da Netflix.

 

“The Old Guard” pode iniciar uma franquia (Foto: Divulgação / Crédito: Netflix).

Com direção de Gina Prince-Bythewood, de “A Vida Secreta das Abelhas” (The Secret Life of Bees – 2007), “The Old Guard” conta a história de um grupo de imortais que tenta, mesmo que por meios questionáveis, proteger a humanidade. Liderada por Andy / Andrômada (Theron), a equipe precisa escapar da perseguição de um empresário do ramo farmacêutico enquanto é obrigada a lidar com a chegada de uma nova integrante, Nile (Kike Layne).

 

Assinado por Rucka, o roteiro é a maior deficiência deste longa, pois o drama dos personagens é negligenciado em prol da ação, que não é executada com esmero pela equipe. Com isso, não há nenhum aprofundamento na dor do grupo, cansado da imortalidade e com o peso de traumas seculares nos ombros, apenas flashbacks rasos.

 

Com pouco material em mãos, o elenco faz o que pode para que a trama funcione, mas não é tão bem sucedido. Apesar de sua desenvoltura em cenas de ação, Theron não tem como explorar a dor e a essência de Andy, assim como Layne e Matthias Schoenaerts (Booker), devido à já citada carência de conteúdo. O mesmo acontece com Marwan Kenzari (Joe) e Luca Marinelli (Nicky), que vivem um casal homossexual cuja subtrama soa artificial, algo fortalecido pelo desempenho fraco da dupla. No entanto, dentre os atores, o principal destaque negativo é Harry Melling (Merrick). Popularmente conhecido como Dudley Dursley, da saga “Harry Potter” (Idem – iniciada em 2001), o ator constrói seu vilão de forma extremamente caricata que, por vezes, remete a personagens do filão infanto-juvenil.

 

Produzido por Charlize Theron, “The Old Guard” se desenvolve de maneira a mostrar a fragilidade de Andy e a ascensão de Nile como uma passagem de bastão que, dependendo dos números alcançados em termos de audiência, pode dar início à uma nova franquia da Netflix.

 

Assista ao trailer oficial legendado:

Comentários

 




    gl