Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

‘Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre’: Lara Jean e Peter rumo à faculdade

“Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre” está disponível no catálogo da Netflix (Foto: Divulgação / Crédito: Netflix).

Há três anos, a Netflix apostou parte das suas fichas na adaptação do primeiro livro da trilogia “Para Todos os Garotos que Já Amei” (To All the Boys I’ve Loved Before), de Jenny Han, que obteve sucesso praticamente instantâneo, levando a plataforma a investir na criação de uma franquia. Protagonizada por Lana Condor (Lara Jean) e Noah Centineo (Peter Kavinsky), a franquia conquistou milhões de fãs mundo afora, inclusive quem nunca havia lido nenhum dos livros. Na última sexta-feira, dia 12, a gigante do streaming disponibilizou em seu catálogo “Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre” (To All the Boys: Always and Forever – 2021), que conclui a história do casal, relembrando o namoro de mentirinha e a insegurança causada pela volta de um crush de infância de Lara Jean.

 

Com direção de Michael Fimognari, de “Para Todos os Garotos: P.S. Ainda Amo Você” (To All the Boys: P.S. I Still Love You – 2020), o longa começa mostrando a viagem da família Covey à Coreia do Sul, resgatando lembranças da matriarca enquanto Lara Jean lida com a expectativa do resultado da Universidade de Stanford, a escolhida por Peter. Sonhando com a vida a dois no campus, Lara Jean é confrontada com a não admissão, tendo de encontrar um meio de superar a frustração e o medo de perder o namorado, sobretudo após optar pela Universidade de Nova York, do outro lado do país, a uma distância de cinco mil quilômetros.

 

 

Utilizando a mudança para Nova York como fio condutor, “Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre” apresenta ao espectador uma trama sobre amadurecimento por meio da inevitável escolha entre razão e emoção. Colocando o casal numa situação delicada, o filme traça perfis distintos: o da garota que sonha com a carreira literária, mas sem abrir mão do amor que sempre quis viver, e o do jovem magoado por ter sido preterido pelo próprio pai e, por esta razão, tem medo de não ser, novamente, a primeira opção de quem ama. Neste sentido, Peter ganha camadas mais sérias que nos longas anteriores, assim como Chris (Madeleine Arthur), a melhor amiga da protagonista.

 

Dois rostos conhecidos da Netflix: Noah Centineo e Ross Butler (Trevor) em cena de “Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre” (Foto: Divulgação / Crédito: Netflix).

 

Sem nenhum desafio técnico e mais cuidadoso nos quesitos continuidade e montagem, principalmente se comparado ao original, “Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre” deixa a comédia romântica em segundo plano em prol do drama, mas mantendo a essência leve e descompromissada que arrebatou uma parcela considerável dos assinantes da Netflix, independentemente da nacionalidade.

 

Ineficaz no desenvolvimento de tramas secundárias que tiveram certo destaque em seus antecessores, “Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre” conclui com coerência a história do casal protagonista, mesmo priorizando as dúvidas de Lara Jean em detrimento das de Peter. Responsável por transformar Lana Condor e Noah Centineo em rostos queridinhos do público adolescente, a franquia chega ao fim com uma produção agradável sobre a necessidade de amadurecer para encarar os desafios impostos pela vida adulta, seguindo fórmula tradicional dos gêneros nos quais é classificado.

 

Assista ao trailer oficial legendado:

Comentários

 




    gl