‘Congresso inicia votação da Previdência no primeiro semestre’, diz Bolsonaro

Jair Bolsonaro. Foto: José Cruz/Agência Brasil

Jair Bolsonaro. Foto: José Cruz/Agência Brasil

Um dia depois de admitir que poderá apresentar uma proposta fatiada de reforma da Previdência, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que as  mudanças nas regras de aposentadoria devem ser votadas no primeiro semestre de 2019.

“No primeiro mês é impossível. Nos primeiros seis meses, com toda a certeza, o Congresso começará a votar essas propostas”, disse ao deixar o QG do Exército, onde recebeu uma medalha e participou de uma solenidade nesta quarta-feira (5) em Brasília.

Jair Bolsonaro ressaltou que, antes de encaminhar o texto ao Legislativo, vai convidar os líderes partidários para começar a discutir a proposta.

“Não adianta apresentarmos uma boa proposta, um bom projeto, que acaba ficando na Câmara ou no Senado. Será o pior dos quadros possíveis. Posso não saber a fórmula do sucesso, mas a do fracasso é continuarmos fazendo a política de coalizão, de repartir o Poder Executivo com o Parlamento, ao qual respeitamos muito”, afirmou aos jornalistas.

O presidente eleito voltou a repetir que seu objetivo é iniciar as mudanças nas regras de aposentadoria pela idade mínima.

“O que mais interessa, num primeiro momento, é a idade mínima. Então vamos começar com essa proposta, é a ideia, mas pode mudar e isso não quer dizer que houve recuo, é sinal que houve mais negociação. Se nós continuarmos sem fazer reforma, daqui a pouco estaremos como a Grécia”, disse.

O governo do presidente Michel Temer chegou a enviar ao Legislativo uma proposta de alteração das regras previdenciárias, porém, desistiu da reforma em fevereiro após perder apoio no Congresso em razão de denúncias de corrupção.

Reforma tributária

Bolsonaro afirmou também que a reforma tributária em discussão no Congresso Nacional deve ser discutida com Paulo Guedes, confirmado para o Ministério da Economia. Questionado sobre os avanços e perspectivas, ele disse que a pergunta deveria ser feita a Guedes.

“Esta é uma boa pergunta para fazer ao Paulo Guedes porque é bastante complexo. Para entender o emaranhado da nossa legislação [tributária] é preciso ser PHD em Economia”, brincou o presidente eleito antes de voltar a defender a necessidade de flexibilizar as leis trabalhistas.

Comentários




mais notícias

    gl