Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

‘A Luta do Século’: rivalidade de Luciano Todo Duro e Reginaldo Holyfield invade as telas

Reginaldo Holyfield e Luciano Todo Duro em sua última luta (Foto: Divulgação).

Nem Rocky Balboa, nem Apollo Creed. Quem invade as salas de exibição nesta quinta-feira, dia 15, são dois boxeadores brasileiros: Luciano Todo Duro e Reginaldo Holyfield. Inimigos dentro e fora dos ringues por mais de 20 anos, os pugilistas protagonizam o documentário “A Luta do Século” (2016), de Sérgio Machado.

 

Vencedor do Prêmio do Júri de melhor documentário em longa-metragem no Festival do Rio 2016, “A Luta do Século” tinha como proposta inicial apresentar o cotidiano dos lutadores que cogitaram representar o Brasil nos ringues internacionais, mas sem êxito. Contudo, próximo ao término das filmagens, o documentário ganhou novo rumo devido à liberdade condicional de um antigo amigo da dupla, Raimundão Ravengar, que os incentivou a protagonizar mais um embate a fim de conseguirem mais dinheiro. O pernambucano Luciano aceitou imediatamente, mas o baiano Reginaldo relutou porque havia se tornado um “homem de Deus”, como ele mesmo diz no longa, fiel da Igreja Universal.

 

Com a concordância de ambos, a chamada “Luta do Século” invadiu o Clube Português, em Recife (Pernambuco), em agosto de 2015, reacendendo a antiga rivalidade, impulsionada pelo ódio e também pela teatralidade ilimitada que sempre ultrapassaram os limites do bom senso. Desta forma, o documentário de Machado passa a seguir uma linha cronológica que vai desde a primeira até a última luta, explorando as distintas personalidades de ambos e o comportamento de suas respectivas torcidas.

 

Apresentando Luciano Todo Duro como o abusado que puxava briga fora do ringue e Reginaldo Holyfield como o esquentadinho que não levava desaforo para casa, “A Luta do Século” também aborda como os resultados das lutas foram influenciados pelos locais em que eram realizadas, sendo questionados diversas vezes até pela imprensa.

 

No fim das contas, “A Luta do Século” é uma produção sobre o auge e a queda num país em que muitos profissionais, mesmo os mais talentosos, não conseguem manter suas carreiras estabilizadas.

 

Assista ao trailer oficial:

Comentários




mais notícias

    gl