Crivella apresenta agenda do Carnaval 2018: ‘mesmo com todas as críticas, o melhor nós fizemos’

Crivella esteve na tarde deste domingo em Copacabana, no palco do mais tradicional Revéillon do Rio. Foto: Divulgação

Marcelo Crivella. Foto: Divulgação.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e o presidente da Riotur, Marcelo Alves, apresentaram nesta quinta-feira (11) o projeto e a agenda do Carnaval 2018, no Palácio da Cidade, em Botafogo. Em entrevista coletiva, Crivella falou sobre as dificuldades enfrentadas durante a preparação da festa e afirmou que, apesar das críticas, a prefeitura fez melhor.

“Há sempre dificuldades na época de crise. No meio do ano, nós tivemos problemas, mas foram superados com a compreensão do Castanheira (presidente da Liesa), porque ele viu que nós estamos fazendo o nosso melhor. Mesmo com todas as críticas, o melhor nós fizemos. Juntamos o recurso nos momentos mais difíceis e também com a contribuição do Uber, que está nos ajudando”, explicou o prefeito.

Muitos vão desfilar com os corações estraçalhados de tristeza, mas estão de pé

Crivella, durante a entrevista, se manteve otimista e esperançoso com o Carnaval 2018. Disse que “muitos vão desfilar com os corações estraçalhados de tristeza, mas estão de pé” e ressaltou a todo momento o esforço feito por ele e pelo vice-prefeito Fernando MacDowell.

“Quem não gosta de samba, bom prefeito não é. Nós fizemos um esforço enorme, eu e o vice, para podermos apresentar um Carnaval muito bonito, calmo e sem violência. O Carnaval não é apenas uma disputa entre os melhores ou um momento da gente extravasar as frustrações que amarguramos durante o ano, é também o momento de mostrar ao mundo que nós continuamos alegres e otimistas”.

O prefeito deixou claro que não existe história alguma de que não apoia o Carnaval por questão religiosa e afirmou ter sido obrigado a priorizar certos recursos em um momento de crise.

Não existe essa conversa de que o prefeito não apoia o Carnaval por razões religiosas

“Não existe essa conversa de que o prefeito não apoia o Carnaval por razões religiosas. Isso são argumentos que não se sustentam. O prefeito precisa, muitas vezes, enfrentar dificuldades e priorizar recursos, mesmo tendo que amargurar críticas. Isso eu tive que fazer”.

Crivella também aproveitou a oportunidade para agradecer a Jorge Castanheira, presidente da Liesa, pelo apoio na realização do “Encontro do Samba”, que ocorreu no último sábado (6) e levou as 13 baterias do Grupo Especial para Copacabana.

“O Carnaval será espetacular, como foi espetacular o Reveillón. O Rio de Janeiro fez uma festa lindíssima. Quero agradecer ao Castanheiro que levou as 13 baterias para lá e com a Orquestra Sinfônica fizeram um show lindíssimo aplaudido por 600 mil pessoas”, declarou o prefeito.

Comentários




mais notícias

    gl