Poesia para comer

Foto: Divulgação“A poesia é para Comer – iguarias para o corpo e para o espírito” (Ed. Babel) traz a relação entre palavras, comida e arte, ingredientes para poemas-receitas. Com essa inspiração, o livro reúne 90 poesias da língua portuguesa interpretadas por 50 chefs brasileiros, portugueses e africanos em pratos inéditos. E, ainda ilustrações com obras de artistas renomados como Candido Portinari, Iberê Camargo, Lygia Clark e Vick Muniz. Poetas, chefs e artistas celebram o prazer de comer por meio da arte.

A coletânea é de Ana Vidal, a coordenação editorial de Renata Lima e a curadoria dos chefs brasileiros é de Luciana Fróes, crítica de gastronomia do jornal O Globo. Roberta Sudbrack fez Pargo poché com azeite de oliva para O Beijo, de Ana Cristina César, ilustrada com tela de Tomie Ohtake. Os Bolinhos de chuva com ragout de chuchu, da Roberta Ciasca, surgiram com Dona Doida, de Adélia Prado, com obra de Beatriz Milhazes. Claude Troisgros pensou em Canard com macurajá com a obra de Fagundes Varela. Alex Atala apostou no Ravióli de limão ao ler Limoeiro Verde, clássico de Antero de Quental. Neste receituário, a comida é matéria-prima, lapidada pelas artes.

Mais informações no site Malagueta

Comentários




    gl