Conheça as Escolas que compõem o Grupo de Avaliação

Carnaval de Maquete 2022. Foto: Divulgação

Carnaval de Maquete 2022. Foto: Divulgação

Criado em 2021, o grupo de avaliação da União das Escolas de Samba de Maquete foi a aposta de que  a essência e a criatividade jamais podem ser deixadas de lado. E, pensando nisso, a UESM resolveu manter em 2020 esse novo grupo e como imaginávamos, o grupo dobrou de vagas, indo de 06 escolas para 12. Algumas escolas pouco conhecidas, outras bastante no universo do carnaval. Vamos conhecer as nossas 10 postulantes ao grupo de acesso?

Região Nordeste em alta.

Um celeiro de escolas tradicionais na UESM, a Região Nordeste trouxe para nossa avenida, desfiles marcantes pela sua cultura e pela sua graciosidade. Com 07 representantes nos dois grupos acima, a região agrega mais duas representantes para a folia de momo.
Quem abrirá os desfiles de 2022 será a Unidos de Vila Paulista. A escola é a primeira agremiação do estado a tentar vaga na UESM (que já conta com representantes da Bahia, Alagoas, Ceará e Pernambuco e já contou com escolas da Paraíba) terá a missão de abrir os desfiles cantando a saga do carioca. A verde e branco de Paulistana, município que fica a 450 km da capital Teresina é presidida por Lucas Vieira e tem como símbolo um Touro e utilizará o Samba do Salgueiro 2008 para contar essa missão.

Outra agremiação do Nordeste vem de uma cidade que já deixou a sua marca nos desfiles da UESM. Conterrânea e afilhada da Acadêmicos do Litoral, a agremiação de Camaçari trará para a nossa avenida a história dos Saltimbancos, de Chico Buarque, inspiradas no conto Os Músicos de Brehmen dos Irmãos Grimm. A Baianinha do Samba vem para o seu primeiro desfile na UESM, mas já realizou outros desfiles com grande sucesso de visualizações. A azul, vermelho e branco presidida por Robson Cunha entoará na avenida o samba da Coirmã Flor de Bodas de Ouro, que venceu o I habemus samba da GRESA, liga parceira da UESM.

Norte deixando a sua marca

A região norte vem crescendo cada vez mais. Depois da ascensão meteórica de Arco-Íris e Saudade, mais duas escolas chegam para mostrar a sua arte. Ambas vindas do Estado do Amazonas formam, junto com a Estrela do Norte, a tríade Manauara.
Se engana quem achou que a Tribos da Ilha cairia no esquecimento. O dirigente da antiga agremiação, Sayme Brenner está de volta a passarela de maquete e dessa vez, ao lado de Cley Lucas, que atuará como presidente da Acadêmicos da Encantaria. A nova agremiação ganha cores diferentes das que estamos acostumados de ver.  A Amarelo e Rosa trará para a avenida as lendas do Folclore, apresentando o samba da agremiação carioca Delírio da Zona Oeste.

 

A outra agremiação manauara escolheu a dedo o dia da sua fundação, o santo padroeiro e o seu nome. A Lua de São Jorge é, sem duvidas uma agremiação pensada e trabalhada para a vitória. Presidida por Saulo Borges, a agremiação que tem a lua como símbolo e nas suas cores o azul verdejante, branco, prata e vermelho, a escola trará para a avenida o samba da Mocidade Amazonense de 2017 contando a história de Nossa Senhora.

O Sul fazendo escola

A região sul do nosso país é uma região rica em qualidade, porém, poucas escolas são de lá. Atualmente na liga, se une a Império dos Campos Gerais (PR) e Princesinha do Sul (RS) para brilhar na nossa avenida de maquete. Nesse segundo ano de Grupo Avaliação, A região será bem representada. A novata postulante a uma vaga ao grupo de acesso é a Acadêmicos da Brasília. A Azul, branco e dourado de Santana do Livramento, Rio Grande do Sul é presidida por Jhonatan da Costa e tem como símbolos Cachorro e coroa. A agremiação contará na avenida a história das matriarcas do samba, homenageando o samba da Unidos do Porto da Pedra de 2020.

Uai, sô! Minas Gerais voltando a nossa avenida.   

Após ter tido uma única agremiação nos primórdios do extinto Grupo B, em 2015, Minas Gerais ficou um pouco esquecida no mapa da UESM, porém, em 2021, Além Paraíba e Minas Gerais estarão prontas para a folia de Maquete. A União Independente, presidida por João Pedro deu um abraço, símbolo da escola, prometendo trazer a alegria circense para a avenida.   A verde e branco mineira usará o samba da verde e branco de Padre Miguel na folia de maquetes.

Um Rio de conhecidas

O Rio de Janeiro é um rio de conhecidas. As duas agremiações que se inscreveram para o nosso grupo de avaliação possuem várias coisas em comum. Ambas são de fora da capital, ambas carregam as cores azul e branco com um animal como símbolo, ambas possuem a mesma madrinha, a Império Trirriense e ambas são velhas conhecidas do público.
De Três Rios para a nossa passarela, a Império da Vila, presidida por Rafael Victor, terá a missão de contar a história do Mais Querido do Brasil na Sapucaí de Maquete através do samba da Imperadores Rubro Negro de 2020. A águia coroada que tem outros desfiles anteriores ao desse ano na sua página na Internet, se organizou para disputar a aprovação dos jurados e a possibilidade de levantar o caneco do Grupo de Avaliação.

 

De Mangaratiba para os braços da UESM, está de volta o Presidente Dyego Gabriel, agora comandando a Independente de Inhaúma.  Dyego eu já esteve a frente da Império de Mangueira e da IEPA trará os contos de fadas para a avenida, com o samba da Mocidade Independente de Inhaúma, escola que leva o nome do bairro que abraçou os tigres brancos da maquete, terão pela frente mais uma oportunidade de encantar o publico.

São Paulo “intercâmbiando” alegrias.  

São Paulo, com certeza é o estado que tem mais representantes na liga atualmente, com 08 representantes,  não poderia ficar de fora dessa apresentação. Duas velhas conhecidas do público invadem a Pista de maquete: Mocidade Negra e a Monarcos do samba.   A primeira atravessa a tela e desembarca na maquete. Enquanto a segunda, está de volta a nossa liga.
Presidida por Paulo Henrique Oliveira e tendo como carnavalesco Fernando dos Santos, a pantera negra fará o seu “debut” na Maquete. Acostumados com a linguagem do desenho (a agremiação participa do Grupo de Acesso I da Liga Carnaval Virtual),a verde, negro e branca aposta é no artesanato e nas coisas feitas a mãos para vencer esse caneco.
Já Voltando às origens, inclusive nas cores de sua bandeira, a Monarcos do Samba é uma velha conhecido da UESM. A Agremiação tem desfiles históricos e marcantes na sua trajetória e dará uma nova roupagem para a sua forma de arte. A escola laranja e azul de São José dos Campos fará uma ode ao continente africano. O presidente e carnavalesco Felipe Sant’Anna usará em seu desfile o samba da Acadêmicos do Tatuapé em 2017.

Infelizmente a Boa Esperança nãos e apresentará, deixando assim duas vagas no grupo avaliação para análise de projetos remanescentes. Importante lembrar que nesse grupo a avaliação é feita de duas formas: o jurado avalia se a escola esta apta a participar do grupo de Escolas da UESM e as tradicionais notas que determinarão a campeã dos desfiles. Quais escolas podem nos surpreender? Comenta aqui embaixo.

Acompanhe o nosso carnaval :

Inscrições e Regulamento em www.uesm.com.br

Siga a gente: Facebook , Youtube e Instagram

*em colaboração voluntária ao SRZD

Comentários

 




    gl