Cinco alimentos que seu cão não deve comer

Veja os alimentos que os cães não devem comer. Foto: Reprodução de Internet

Veja os alimentos que os cães não devem comer. Foto: Reprodução de Internet

Quem tem pet em casa sabe o quanto é comum, ao comer algo, o cão fazer aquela cara de “pidão” para ganhar um pedaço de comida. Mas, para o bem do animal, é melhor manter-se firme e resistir a esse olhar.

Alguns alimentos podem fazer com que o pet desenvolva diarreia, pancreatite, náuseas e obesidade – uma das doenças mais comuns causadas pela má alimentação.

Uma pesquisa da Mars Petcare aponta que 59% dos cães e 52% dos gatos no mundo sofrem com o sobrepeso. O adestrador, especialista em comportamento animal e proprietário da ComportPet, Cleber Santos, explica que a relação dos pets com os alimentos é bem diferente da que nós, humanos, temos:  “Tem gente que acha que pode dar qualquer coisa para o pet comer, mas não é bem assim. Muitos alimentos são bem tolerados pelo organismo humano, mas podem promover um verdadeiro estrago no corpo dos cachorros”.

Confira cinco alimentos que são contra-indicados para os cães:

Alimentos gordurosos

Quem resiste a uma pizza deliciosa ou uma batata frita crocante? Essas iguarias são uma delícia, mas em hipótese alguma podem ser dadas para o cão. Frituras e gorduras, no geral, podem fazer com que seu animalzinho tenha pancreatite – uma infecção no pâncreas que é seríssima.

“A dica é que os tutores não dêem nenhum pedaço, por menor que seja, de comidas gordurosas para o seu animalzinho. Na dúvida, o melhor oferecer as rações, que são as opções mais seguras. Dessa forma, o humano preza pelo bem-estar e pela saúde do seu amiguinho”, explica.

Chocolate

Outro alimento que deve receber bastante atenção dos tutores é o chocolate. Na época da Páscoa, principalmente, a casa costuma ficar cheia da guloseima, o que pode fazer com que os tutores não resistam e queiram dar um pedacinho para o animal. Não pode!

“O chocolate contém substâncias tóxicas para os cães, tornando-se um verdadeiro veneno para os bichinhos. Muitos cachorros sofrem intoxicação devido ao chocolate, e ele nem precisa ter sido ingerido em grande quantidade. Isso pode fazer com que os animais apresentem quadros de vômito, excitação, tremores, taquicardia, febre e até mesmo ataques convulsivos. A melhor opção é sempre manter o pet longe de qualquer tipo de chocolate e doce”, alerta Cleber.

Café

Ingerido em grande quantidade, a cafeína torna-se perigosa até mesmo para o organismo humano, quem dirá então para um cachorrinho. Por isso, é preciso prestar bastante atenção na hora de deixar uma xícara com café pela casa.

“O café atua diretamente no sistema nervoso do animalzinho, o que é um grande perigo. Pode gerar desde hiperatividade até tremores no corpo do animal. Para prevenir um mal estar do animalzinho, é melhor deixá-lo longe de qualquer tipo de cafeína”, diz o especialista.

Massa

Na levedura de massas de bolos e pães, há um processo de fermentação alcoólica, o que pode causar uma infecção seríssima no pet e torna qualquer tipo de massa um alimento extremamente perigo para os animais.

“O fermento que têm nas massas para fazê-las crescer pode expandir no estômago do seu animalzinho e fazer com que ele sofra com gases e cólicas. Fora isso, a coisa pode se tornar ainda mais séria, podendo fazer com que o cão tenha uma ruptura intestinal. Então, é de extrema importância que os tutores mantenham seus animaizinhos longe de qualquer tipo de massa”, explica.

Abacate

O abacate pode ser um alimento não tão comum para se pensar em dar para o seu animalzinho, mas é sempre bom manter um olhar atento. Quando estiver fazendo alguma comida que contenha abacate, é bom deixar longe do alcance dos cães, para não acabarem comendo devido à curiosidade.

“A persina é uma substância contida no abacate que não faz mal para os seres humanos, mas é muito perigosa para os cachorros. A ingestão pode causar alguns problemas intestinais, como diarreias e vômitos. É importante manter o animal distante de alimentos como esses, para preservar a saúde deles”, conclui o especialista.

Comentários




    gl