CHAT FOLIA: Mocidade Recreio das Flores mergulha nas águas da Mocidade Independente

*Por Lukas Schultheiss

Imagine ter um pai presidente de uma escola, uma mãe costureira de fantasias e uma paixão arrebatadora por carnaval, não deu outra, Robson Ferreira, lá da cidade de Recreio das Flores (RJ) se tornou carnavalesco. Nos carnavais reais já foram várias funções, mas no carnaval real será a sua estreia. E nada melhor do que juntar todas as paixões em uma só e criar a Mocidade Recreio das Flores. A verde e branco vai reeditar o samba-enredo da co-irmã de Padre Miguel, a Mocidade Independente, campeã do Carnaval 2001 e vai lavar a alma na avenida com o enredo “Da gota do orvalho ao Rio Mar”

Reveja os desfiles do Grupos Especial e Acesso A

Confira a entrevista e conheça mais sobre a escola, que encerrá o Grupo B da União das Escolas de Samba de Maquete (UESM) no dia 21 de Outubro.

– Como é o seu relacionamento com o carnaval?
Quando eu tinha por volta dos 10, 12 anos, no meu bairro formou-se o primeiro bloco de fantasias e começou ali meu envolvimento com esse universo. Eu e mais três amigos formamos a comissão de frente como passistas. E foi assim nos anos seguintes, saindo na ala das crianças. Depois esse bloco enrolou a bandeira e passei a só assistir aos desfiles na cidade e, quando era permitido, na pequena TV que tínhamos. Anos depois um grupo de amigos vindos do Rio de Janeiro juntou-se aos moradores e nasceu a Recreio das Flores. Meu pai estava à frente da escola e minha mãe era costureira. E assim esse universo me abraçou mais uma vez.

– Como surgiu a ideia de criar uma escola de samba de maquete e participar da UESM?
Nesse ano de 2018 estava acompanhando os desfiles da série A do Rio de Janeiro e ao longo da transmissão o comentarista falando que determinado carnavalesco vinha do universo dos desfiles virtuais e pensei: como assim desfiles virtuais? Na manhã seguinte fui buscar informações e me deparei com uma liga virtual e fui ver do que se tratava. Achei interessante, mas não me cativou. Foi então que cheguei à página da UESM e assisti ao primeiro, ao segundo… e passei horas assistindo. O carnaval transcorria e eu continuei bebendo dessa fonte virtual enquanto esperava os desfiles na TV. Na quarta-feira de cinzas tomei a decisão de que iria me inscrever e ver no que dava e aqui estou.

– Explique a escolha do nome, do símbolo e das cores da escola.
O nome da escola vem de duas referências: MOCIDADE por conta do desfile que me apaixonou da Mocidade Independente de Padre Miguel em 1991 e RECREIO DAS FLORES por ter sido a escola que meu pai presidiu. O símbolo da escola veio de um lado “místico” onde eu teria como escolhas a coruja ou a Andorinha, mas meu coração sempre foi apaixonado pelas corujas, por mais que na infância tivesse medo de seu piado noturno. As cores são da paixão pela Mocidade Independente de Padre Miguel

– Comente sobre a escolha do enredo e do samba.
Como disse antes, o desfile de 1991 foi o que me arrebatou. Falar sobre as águas, não que seja fácil, mas é tão vasto que muita coisa ainda ficou de fora e quanto ao samba, quem é apaixonado pela MIPM o tem na cabeça e no coração.

Conheça o samba e o enredo da Mocidade Recreio das Flores

– Como estão os trabalhos de barracão?
Os trabalhos estão bem adiantados. Nesse momento (agosto) estou me dedicando aos carros já que as fantasias das alas estão prontas, necessitando apenas de mais alguns adereços e limpeza (fios de cola).

– Pretende usar algum material diferente?

Os materiais são diversificados, mas nada que já não tenha sido usado até hoje tal como EVA, PET, jornal, cola dimensional. As peças esculpidas que apareceram ao longo do desfile foram feitas com base em objetos moldados artesanalmente para serem utilizados com biscuit, que creio ser o material menos comum nos desfiles da UESM.

– Neste primeiro ano, qual vai ser o grande momento de seu desfile?
No meu ponto de vista, as fantasias. Do carnaval real procurei me inspirar no que ouvi dos comentaristas que sempre frisam que o bom desfile é aquele de fácil leitura, que não precisa de legenda para ser entendido. Todas elas foram realmente confeccionadas, não utilizei peças prontas sequer para os costeiros, sejam de alas, sejam de destaques. Embora hajam críticas ao uso do EVA, este me serviu muito bem, seja como base, seja como elaboração de fantasias. Ao meu ver, tudo depende da forma como você o utiliza.

E não esqueça, os desfiles do Grupo B do Carnaval de Maquete acontecem nos dias 20 e 21 de Outubro a partir das 14h30. Você pode acompanhar todos os detalhes dos desfiles pelo site oficial (www.uesm.com.br) onde as agremiações se apresentarão em forma de vídeo e contarão com narração ao vivo.

Saiba mais sobre o Carnaval de Maquete da UESM

Página oficial

Facebook

Youtube

Instagram

*em colaboração voluntária ao SRZD

Comentários




mais notícias

    gl