Bolsonaro apoia protestos contra Congresso e Supremo Tribunal

Manifestação pró-Bolsonaro no Rio de Janeiro. Foto: SRzd

A decisão do presidente Jair Bolsonaro de publicar no Twitter foto de aglomeração de motociclistas em Belém, carreata em Brasília e manifestação em Belo Horizonte foi considerada “uma afronta” por parlamentares e membros do judiciário. Apoiadores do presidente foram às ruas neste domingo (15) pelo fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal.

Os protestos foram esvaziados em algumas localidades por conta do alerta das autoridades para o risco de aglomeração nestes tempos de coronavírus. No entanto, em outros a presença foi expressiva o que demonstra a força dos bolsonaristas.

O entusiasmo do presidente em fomentar nas suas redes sociais o ódio contra os outros poderes da República será medida esta semana. Veremos no Congresso as consequências na já difícil relação com o parlamento. A serenidade seria o caminho mais natural para que medidas de reformas pedidas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, fossem discutidas sem o veneno da política. Mas, tudo indica, tudo ficará mais difícil daqui para frente.

Deputados bolsonaristas, como Éder Mauro e Marco Feliciano, também ignoraram os apelos e postaram imagens de protestos em Belém e Ribeirão Preto, com o lema “BolsonaroDay”. “Contra tudo e contra todos, contra todo o sistema que se mobilizou para impedir, as manifestações pró-Bolsonaro são mantidas em 259 cidades”, escreveu Feliciano em seu perfil no Twitter.

Nesta manhã de domingo (15) , ignorando o surto de coronavírus que tomou conta do país, e que serviu de justificativa para o pedido de cancelamento, o próprio presidente se incumbiu de dar o pontapé inicial às manifestações, compartilhando em sua página no Twitter vídeos que mostram motoqueiros e usuários de jet ski em Belém do Pará e manifestações em Brasília.




Comentários




    gl