Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

Top 10: as maiores bilheterias de 2019

Dirigido por Anthony e Joe Russo, “Vingadores: Ultimato” é a maior bilheteria da História do cinema (Foto: Divulgação).

A indústria cinematográfica investe pesado em suas produções, sobretudo no que tange à tecnologia, não economizando para obter o resultado almejado. Isto se deve à necessidade de proporcionar à plateia a melhor, e maior, experiência possível nas salas de exibição face às ameaças representadas pelos downloads ilegais e plataformas de streaming, que estão ganhando cada vez mais espaço, inclusive em premiações como o Oscar. Apesar disso, Hollywood conseguiu manter suas engrenagens funcionando. Assim como em 2018, o entretenimento, que é a essência principal do cinema, prevaleceu, pois o público escolheu títulos do chamado cinema pipoca, ou seja, blockbusters de orçamentos milionários que buscaram excelência técnica, alguns deles apresentando histórias desenvolvidas com esmero.

 

Este ano, o cinema conheceu um novo campeão, “Vingadores: Ultimato” (Avengers: Endgame – 2019), que arrecadou US$ 2,797 bilhões em todo o mundo, tornando-se a maior bilheteria de 2019 e, também, da História. Dirigido pelos irmãos Anthony e Joe Russo, o longa, fruto da lucrativa parceria entre a Marvel e a Disney, desbancou “Avatar” (Idem – 2009), de James Cameron, que durante 10 anos reinou absoluto como o filme mais lucrativo com faturamento total de US$ 2,789 bilhões, segundo o Box Office Mojo.

 

Tom Holland em cena de “Homem-Aranha: Longe de Casa”, o filme mais lucrativo da História da Sony (Foto: Divulgação).

 

O sucesso da franquia “Vingadores” impulsionou outras duas produções deste ano: “Capitã Marvel” (Captain Marvel – 2019), de Anna Boden e Ryan Fleck, na quinta posição do ranking anual com US$ 1,128 bilhão; e “Homem-Aranha: Longe de Casa” (Spider-Man: Far From Home – 2019), de Jon Watts, que ocupa o quarto lugar com US$ 1,131 bilhão. No entanto, o longa protagonizado pelo Cabeça de Teia foi beneficiado por ter sido o primeiro lançamento cuja trama era ambientada após os eventos de “Vingadores: Ultimato”.

 

Os títulos produzidos em parceria com a Marvel, inclusive “Homem-Aranha: Longe de Casa”, cujos direitos pertencem à Sony, permitiram que a Disney também fizesse História como o estúdio mais lucrativo, pois superou a barreira dos US$ 10 bilhões em lucro de bilheterias mundo afora. Segundo a Variety, a Casa do Mickey superou o próprio recorde, US$ 7,6 bilhões arrecadados em 2018. No entanto, este número não inclui as bilheterias dos filmes da Fox, que, agora, pertence à Casa do Mickey.

 

Dirigido por Jon Favreau, remake de “O Rei Leão” é a sétima maior bilheteria da História do cinema (Foto: Divulgação).

 

Mas a Marvel não foi a única fonte de renda segura da Disney, que lançou três animações que levaram multidões aos cinemas: “O Rei Leão” (The Lion King – 2019), de Jon Favreau, na segunda posição com US$ 1,656 bilhão; “Frozen 2” (Frozen II – 2019), de Chris Buck e Jennifer Lee, em terceiro com US$ 1,217 bilhão – a nova aventura das irmãs Elsa e Anna estreia no Brasil em 02 de janeiro de 2020; e “Toy Story 4” (Idem – 2019), de Josh Cooley, em sexto com US$ 1,073 bilhão.

 

A Casa do Mickey também obteve ótimas cifras com “Aladdin” (Idem – 2019), de Guy Ritchie, e com o novo episódio da franquia “Star Wars” (Idem – iniciada em 1977), “Star Wars: A Ascensão Skywalker” (Star Wars: Episode IX – The Rise of Skywalker – 2019), de J.J. Abrams. Versão em live-action do clássico homônimo de Ron Clements e John Musker, lançado em 1992, “Aladdin” faturou US$ 1,05 bilhão ao redor do globo, garantindo a oitava posição do ranking, enquanto “Star Wars: A Ascensão Skywalker” chega à 10a poucos dias após sua estreia nos cinemas, arrecadando US$ 724,7 milhões em todo o mundo até o momento. Totalizando oito produções dentre as 10 mais lucrativas de 2019, a Disney reinou absoluta, mas viu a Warner Bros. e a Universal Pictures garantirem seus lugares.

 

Protagonizado por Joaquin Phoenix, “Coringa” venceu o Leão de Ouro em Veneza e está cotado para o próximo Oscar (Foto: Divulgação / Warner Bros.).

 

Com um dos filmes mais comentados do ano, “Coringa” (Joker – 2019), de Todd Phillips, a Warner Bros. tem muito a comemorar porque conseguiu chegar ao sétimo lugar com uma trama indicada para maiores. Produção solo sobre a origem do Palhaço do Crime, arqui-inimigo do Batman, “Coringa” arrecadou US$ 1,062 bilhão mundialmente, e está pavimentando seu caminho rumo ao Oscar na atual temporada de premiações, algo impulsionado pelo Leão de Ouro recebido no Festival de Veneza.

 

Já a Universal, ficou na nona posição com o spin-off de uma de suas franquias mais bem-sucedidas, “Velozes & Furiosos” (Fast & Furious – iniciada em 2001). Com direção de David Leitch, “Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw” (Fast & Furious Presents: Hobbs & Shaw – 2019) soma US$ 758,9 milhões em bilheterias mundiais.

 

Produção chinesa “Terra à Deriva” é distribuída pela Netflix (Foto: Divulgação).

 

Mercado mais lucrativo da atualidade, a China impressionou no primeiro semestre com a ficção-científica “Terra à Deriva” (Liu lang di qiu – 2019), de Frant Gwo, que chegou a ocupar o quarto lugar do ranking, mas caiu vertiginosamente no segundo semestre, fechando o ano na 12a posição, com US$ 699,7 milhões. Distribuído pela Netflix, que não detém os direitos de exibição na China e não fez nenhum alarde deste longa em terras estrangeiras, nem mesmo no Brasil, “Terra à Deriva” ficou atrás da animação chinesa da Coco Cartoon, “Ne Zha” (Ne Zha zhi mo tong jiang shi – 2019), de Yu Yang, que arrecadou US$ 700,5 milhões. Os resultados destes dois longas chamam a atenção também para o top 10 chinês, que, este ano, teve apenas três produções hollywoodianas listadas, de acordo com informações da Variety e do Box Office Mojo: “Vingadores: Ultimato”, “Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw” e “Homem-Aranha: Longe de Casa”. Isto indica enfraquecimento do mercado para Hollywood, pois, no ano passado, o ranking continha cinco títulos produzidos pela capital do cinema, segundo a Variety.

 

O ano chega ao fim com a indústria cinematográfica hollywoodiana fortalecida com a segunda maior arrecadação da História, segundo a imprensa dos Estados Unidos. Apesar disso, o mercado americano apresentou queda de 3,6 % no faturamento em bilheterias em relação a 2018, de acordo com o The Hollywood Reporter, refletindo a adesão do público ao streaming, não apenas aos serviços de download ilegais, que ainda causam enormes prejuízos aos estúdios. Outro fator apontado pela imprensa americana é a força das redes sociais, exemplificando “Cats” (Idem – 2019). Dirigido por Tom Hooper, o musical recebeu duras críticas desde a divulgação de seu primeiro trailer, algo que foi potencializado após sua estreia nas salas de exibição, sobretudo no que tange aos seus efeitos visuais. Resultado, o filme que custou aproximadamente US$ 100 milhões à Universal e seus parceiros, Working Title e Amblin Entertainment, de Steven Spielberg, arrecadou US$ 38,4 milhões globalmente, ficando numa posição difícil, pois sua recuperação comercial é quase impossível.

 

É importante ressaltar que o Top 10 poderá sofrer alterações nas próximas semanas, pois alguns títulos lançados este ano ainda estão em cartaz e serão beneficiados pelas festas de final de ano e do lançamento em novos mercados. Dentre eles, os já citados “Star Wars: A Ascensão Skywalker” (Star Wars: The Rise of Skywalker – 2019) e “Frozen 2”.

 

Confira o Top 10:

1. “Vingadores: Ultimato” (US$ 2,797 bilhões):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 356 milhões.

Direção: Anthony e Joe Russo.

Elenco: Robert Downey Jr. (Tony Stark / Homem de Ferro), Chris Hemsworth  (Thor), Mark Ruffalo (Bruce Banner / Hulk), Chris Evans (Steve Rogers / Capitão América), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff / Viúva Negra), Don Cheadle (James Rhodes / Máquina de Combate), Josh Brolin (Thanos), Chris Pratt (Peter Quill / Senhor das Estrelas), Zoe Saldana (Gamora), Bradley Cooper (voz de Rocket), Vin Diesel (voz de Groot), Tom Holland (Peter Parker / Homem-Aranha), Chadwick Boseman (T’Challa / Pantera Negra), Anthony Mackie (Sam Wilson / Falcão), Sebastian Stan   (Bucky Barnes / Soldado Invernal), Idris Elba (Heimdall), Danai Gurira (Okoye), Benedict Cumberbatch (Doutor Estranho), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff / Feiticeira Escarlate), entre outros.

Sinopse: Ambientado após os eventos de “Vingadores: Guerra Infinita” (Avengers: Infinity War – 2018), o longa mostra as consequências do estalar de dedos de Thanos, colocando os Vingadores sobreviventes numa jornada de redenção e vingança, que surge por meio de uma viagem no tempo.

 

2.“O Rei Leão” (US$ 1,656 bilhão):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 260 milhões.

Direção: Jon Favreau.

Elenco: Vozes de Donald Glover (Simba), Beyoncé (Nala), James Earl Jones (Mufasa), Chiwetel Ejiofor (Scar), John Oliver (Zazu), JD McCrary (Simba filhote), Shahadi Wright Joseph (Nala filhote), John Kani (Rafiki), Alfre Woodard (Sarabi), Seth Rogen (Pumba), Billy Eichner (Timão), entre outros.

Sinopse: Na trama, Simba é o herdeiro do trono do Reino da Pedra do Rei, mas foge ainda filhote após a morte do pai, Mufasa, vitimado pela inveja e ira de Scar. Anos mais tarde, vivendo livremente ao lado de Timão e Pumba, Simba se vê obrigado a voltar ao Reino para lutar pelo trono e honrar o legado de seu pai.

 

 

 

3. “Frozen 2” (US$ 1,217 bilhão):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 150 milhões.

Direção: Chris Buck e Jennifer Lee.

Elenco: Vozes de Kristen Bell (Princesa Anna), Idina Menzel (Rainha Elsa), Josh Gad (Olaf), Jonathan Groff (Kristoff), Sterling K. Brown (Mattias), Evan Rachel Wood (Iduna), Alfred Molina (Agnarr), entre outros.

Sinopse: O filme mergulha na história familiar da Rainha Elsa e da Princesa Anna, desvendando o passado do Reino de Arendelle por meio do mistério que envolve a Floresta Encantada, regida pelos quatro elementos (água, ar, terra e fogo). Com isso, o romance entre Anna e Kristoff é relegado ao segundo plano, principalmente pelo noivo da princesa não demonstrar o mesmo grau de amadurecimento dos outros personagens, inclusive de Olaf, que equilibra humor e drama, sobretudo ao lidar com a questão da finitude.

 

 

4. “Homem-Aranha: Longe de Casa” (US$ 1,131 bilhão):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 160 milhões.

Direção: Jon Watts.

Elenco: Tom Holland (Peter Parker / Homem-Aranha), Samuel L. Jackson (Nick Fury), Jake Gyllenhaal (Quentin Beck / Mistério), Marisa Tomei (May Parker), Jon Favreau (Happy Hogan), Zendaya (Mary Jane), Jacob Batalon (Ned Leeds), Cobie Smulders (Maria Hill), entre outros.

Sinopse: O filme mostra Peter Parker / Homem-Aranha lidando com a dor da perda de seu mentor, Tony Stark / Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), e com a realidade pós-Blip, como é chamado o desaparecimento de metade dos seres vivos do universo após o estalar de dedos de Thanos (Josh Brolin) em “Vingadores: Guerra Infinita”. Tentando se recuperar emocionalmente, Peter decide tirar férias do posto de herói e embarcar com sua turma do colégio numa viagem ao Velho Continente, onde se depara com a ameaça dos Elementais, sendo convocado por Nick Fury para proteger a população no momento em que tem como único objetivo conquistar Mary Jane.

 

5. “Capitã Marvel” (US$ 1,128 bilhão):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 175 milhões.

Direção: Anna Boden e Ryan Fleck.

Elenco: Brie Larson (Carol Danvers / Capitã Marvel), Samuel L. Jackson (Nick Fury), Ben Mendelsohn (Talos / Keller), Annete Benning (Dra. Wendy Lawson), Jude Law (Yon-Rogg), Lee Pace (Ronan), Lashana Lynch (Maria Rambeau), entre outros.

Sinopse: Ambientada em 1995, a trama conta a história pregressa de Carol Danvers / Capitã Marvel desde os tempos em que trabalhava como piloto da Força Aérea até se tornar uma super-heroína e partir numa perigosa missão com Nick Fury.

 

 

 

 

6. “Toy Story 4” (US$ 1,073 bilhão):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 200 milhões.

Direção: Josh Cooley.

Elenco: Vozes de Tom Hanks (Woody), Tim Allen (Buzz Lightyear), Annie Potts (Bo Peep), Christina Hendricks (Gabby Gabby), Tony Hale (Garfinho), Joan Cusack (Jessie), Madeleine McGraw (Bonnie), Keegan-Michael Key (Ducky), Jordan Peele (Bunny), Keanu Reeves (Duke Caboom), entre outros.

Sinopse: O filme começa nove antes de Andy doar seus brinquedos a Bonnie, lembrando de como o menino era zeloso com seus “melhores amigos”. Já sob os cuidados de Bonnie, a turminha para lá de unida sofre ao perceber que Woody tem sido esquecido com frequência nas brincadeiras. Tentando recuperar a atenção da menina, Woody a acompanha ao colégio no primeiro dia de aula, ajudando-a, sem ser notado, a criar o Garfinho, que foge durante uma viagem da família e obriga o velho caubói a resgatá-lo. E é durante a missão de resgate que Woody reencontra seu antigo amor, Bo Peep, Beth na versão brasileira, que embarca numa nova aventura cuja vilã é Gabby Gabby.

 

7. “Coringa” (US$ 1,062 bilhão):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 55 milhões.

Direção: Todd Phillips.

Elenco: Joaquin Phoenix (Arthur Fleck / Coringa), Robert De Niro (Murray Franklin), Zazie Beetz (Sophie Dumond), Frances Conroy (Penny Fleck), Brett Cullen (Thomas Wayne), Dante Pereira-Olson (Bruce Wayne), Douglas Hodge (Alfred Pennyworth), entre outros.

Sinopse: Na trama, Arthur Fleck / Coringa volta a aterrorizar Gotham City, ainda mais caótica e anárquica em meio a uma greve de garis e tantos outros problemas sociais, como o corte de verbas na saúde, interrompendo o seu tratamento psiquiátrico. Trabalhando como palhaço e cuidando da mãe, antiga funcionária de Thomas Wayne, pai de Bruce Wayne, Arthur sonha em se tornar um comediante famoso, mas as constantes derrotas impostas pela vida e pelo sistema que ignora pacientes psiquiátricos de baixa renda permitem que o lado mais obscuro de sua personalidade venha à tona, transformando-o gradualmente no Palhaço do Crime.

 

 

8. “Aladdin” (US$ 1,05 bilhão):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 183 milhões.

Direção: Guy Ritchie.

Elenco: Will Smith (Gênio / Marinheiro), Mena Massoud (Aladdin), Naomi Scott (Jasmine), Marwan Kenzari (Jafar), Navid Negahban (Sultão), Jordan A. Nash (Omar), Nasim Pedrad (Dalia), Billy Magnussen (Príncipe Anders), Amir Boutrous (Jamal), entre outros.

Sinopse: Na trama, Jasmine é a princesa de Agrabah e precisa se casar para honrar o legado de seu pai, o Sultão, uma vez que as leis do país não permitem que uma mulher herde o trono. Em meio a diversas apresentações de príncipes, Jasmine conhece um rapaz pobre que ganha a vida realizando pequenos furtos, Aladdin, que é obrigado por Jafar, o Vizir do Sultão, a roubar a lâmpada de uma caverna para que o Gênio realize todos os seus desejos, principalmente o de se tornar Sultão de Agrabah.

 

 

 

9. “Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw” (US$ 758,9 milhões):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 200 milhões.

Direção: David Leitch.

Elenco: Dwayne Johnson (Luke Hobbs), Jason Statham (Deckard Shaw), Idris Elba (Brixton), Vanessa Kirbie (Hattie), Helen Mirren (Queenie), Eiza González (Madame M), Eddie Marsan (Professor Andreiko), Cliff Curtis (Jonah), entre outros.

Sinopse: No longa, Hobbs e Shaw unem forças para proteger a humanidade de um homem modificado geneticamente, Brixton, que pretende espalhar um vírus para dizimar parte da humanidade em prol de uma suposta evolução. Mas para enfrentar Brixton, a dupla precisa da ajuda da irmã de Shaw, que é agente do serviço secreto britânico, o MI6.

 

 

 

 

 

10. “Star Wars: A Ascensão Skywalker” (US$ 724,7 milhões):

Foto: Divulgação.

Orçamento (estimado): US$ 200 milhões.

Direção: J.J. Abrams.

Elenco: Daisy Ridley (Rey), Adam Driver (Kylo Ren), John Boyega (Finn), Carrie Fisher (General Leia Organa), Ian McDiarmid (Palpatine), Mark Hamill (Luke Skywalker), Oscar Isaac (Poe Dameron), Anthony Daniels (C-3PO), Lupita Nyong’o (Mas Kanata), Joonas Suotamo (Chewbacca), Domhnall Gleeson (General Hux), Richard E. Grant (General Pryde), entre outros.

Sinopse: Concluída em 1982 com “Star Wars: Episódio VI – O Retorno do Jedi” (Star Wars: Episode VI – Return of the Jedi – 1982), a trilogia original deixou o público com diversas perguntas sem respostas, algumas delas respondidas na segunda leva de filmes, que mostra a história pregressa dos Skywalker, iniciada há 20 anos com “Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma” (Star Wars: Episode I – The Phantom Menace – 1999). No entanto, uma pergunta permaneceu no ar durante bastante tempo: o que aconteceu após os eventos de “O Retorno de Jedi”? A resposta veio em três longas-metragens, o último deles, “Star Wars: A Ascensão Skywalker”, que mostra as consequências da Força em Kylo Ren e Rey, que tenta completar seu treinamento Jedi, orientada pela General Leia Organa. Em meio a isso, a galáxia é ameaçada pelo retorno do Imperador Palpatine, que avisa: “A Primeira Ordem foi só o começo”.

 

*Fontes: Box Office Mojo e The Internet Movie Database (IMDB).

 

Leia também:

Top 10: os melhores filmes de 2019

Top 10: os melhores filmes das plataformas de streaming em 2019

Hollywood tenta evitar polêmicas em 2019, mas…

‘Homem-Aranha: Longe de Casa’ é o filme mais lucrativo da Sony

‘Vingadores: Ultimato’ desbanca ‘Avatar’ e se torna a maior bilheteria da História

Top 10: as maiores bilheterias do primeiro semestre de 2019

Comentários

 




    gl