Cia Down Dance, formada por bailarinos com Down e cadeirante, mostra que não há limites para a dança

Cia Down Dance. Divulgação

Rio. A Cia Down Dance, formada por 13 bailarinos com síndrome de Down e uma cadeirante, mostra que não há limites para a dança – e nem para os sonhos.

Criado há oito anos em Cabo Frio, na Região dos Lagos, o grupo tem sua rotina marcada por ensaios e apresentações em teatros. E mais: a companhia já brilhou em programas de TV, como “Caldeirão” e “Mais Você”, da Rede Globo, além de ter participado de uma atração da televisão canadense.

“A dança de salão e a música podem ser desfrutadas por qualquer pessoa. O objetivo da Cia Down Dance é mostrar como a socialização é importante para todos”, diz o professor Allan Lobato Paiva, que fundou a companhia e acaba se tornando o 15º elemento nos palcos.

“A iniciativa nasceu porque observei que jovens com síndrome de Down queriam frequentar novos ambientes e participar de atividades de inclusão social. A dança foi um caminho natural”.

A história do grupo chamou a atenção da Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (Suderj), que tem o ídolo Clodoaldo Silva como vice-presidente de esporte para saúde e PcD. Nesta quarta-feira (21), a Cia Down Dance será homenageada pelo seu trabalho.

“Essa ação não apenas reconhece o valor da diversidade e da inclusão, mas também ressalta a importância de tornar a cultura uma ferramenta de acessibilidade para todos”, diz Renato de Paula, presidente da Suderj: “Celebrar aqueles que se empenham em tornar o âmbito da cultura como algo acolhedor e inclusivo para pessoas com deficiência não é apenas um ato de reconhecimento, mas um compromisso com os valores de igualdade e diversidade que definem nossa sociedade”.

Comentários

 




    gl