Morre o diretor e ator Jorge Fernando após parada cardíaca

Jorge Fernando. Foto: Reprodução de Internet

Jorge Fernando. Foto: Reprodução de Internet

O diretor e ator Jorge Fernando morreu neste domingo (27), aos 64 anos. Segundo a colunista Lu Lacerda, o artista foi vítima de uma parada cardíaca, no hospital Copa Star, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Em outubro de 2016, Jorginho, como era conhecido entre amigos e colegas de profissão, passou vinte dias internado devido a uma pancreatite. Poucas semanas depois, sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e foi submetido a uma cirurgia no Hospital Samaritano. A mãe de Jorge Fernando é a também atriz Hilda Rebello, de 95 anos.

Nascido em 1955 na zona Norte do Rio de Janeiro, seu contato com a arte foi ainda na adolescência. Aos 23 anos, faria sua estreia no Grupo  Globo, atuando no seriado ‘Ciranda, Cirandinha’. Já no ano seguinte, fez sua primeira novela interpretando Cirilo em ‘Pai Herói’.

Sua estreia como diretor foi em 1980 com Roberto Talma e Paulo Ubiratan, na novela ‘Coração Alado’, de Janete Clair. Revezou-se como ator e diretor ao lado de Roberto Talma e Guel Arraes, um grande parceiro de sua trajetória, na novela ‘Jogo da Vida’, de Silvio de Abreu – outro grande parceiro. Depois vieram dezenas de novelas, onde colecionou sucessos, como ‘Guerra dos Sexos’, ‘Cambalacho’, ‘Que Rei sou Eu?’, ‘Rainha da Sucata’ e ‘Vamp’.

Assinou a direção artística em ‘Chocolate com Pimenta’, ‘Alma Gêmea’, ‘Sete Pecados’, ‘Caras e Bocas’, e nos remakes de ‘Ti Ti Ti’ e ‘Guerra dos Sexos’. Esteve à frente ainda da minissérie ‘Dercy de Verdade’ e de ‘Êta Mundo Bom!’. A última novela que dirigiu foi ‘Verão 90’, que terminou em julho deste ano.

Além das novelas, Jorge Fernando também fez história no humor. Com ‘Sai de Baixo’, animou as noites de domingo, levando o teatro de volta à TV. Também fez carreira no teatro e no cinema. Entre seus maiores sucessos nos palcos estão ‘No Escurinho do Cinema’, ‘Os Duelistas’, ‘Pequeno Dicionário Amoroso’ e ‘Boom’, espetáculo em que o artista cantava, dançava e interpretava vários personagens. Entre seus trabalhos no cinema estão “Sexo, Amor e Traição” e “A Guerra dos Rocha”. Em 2012, levou para o teatro ‘Salve Jorge’, um espetáculo autobiográfico que reunia histórias vividas por ele no teatro, no cinema e na TV.

Jorge Fernando. Foto: Reprodução de Internet
Jorge Fernando. Foto: Reprodução de Internet

Ganhou destaque nacional como diretor, tendo no currículo trabalho com mais de 30 novelas, entre elas, “A Próxima Vítima”, “Rainha da Sucata”, “Torre de Babel”, “Guerra dos Sexos”, “Ti Ti Ti”, “Alma Gêmea” e “Vamp”, além de programas de entretenimento como “Divertics” e “Sai de Baixo”, “Gente Inocente”. No cinema, dirigiu em 2004 o filme “Sexo, Amor e Traição”.

Seu último trabalho na TV foi na direção da novela “Verão 90”, quase depois de dois anos de ter sofrido o AVC.

Em nota, o Hospital informou que o profissional contratado pela Rede Globo morreu após dar entrada no fim da tarde deste domingo, devido a uma parada cardíaca em “decorrência de uma dissecção de aorta completa”.

O corpo será velado nesta terça-feira (29) na Sala Marília Pêra, no Teatro Leblon, na Zona Sul do Rio. O velório será aberto ao público das 8h às 10h, após este horário, ficará restrito à familiares e pessoas próximas.  Às 13h, será realizada a cerimônia de cremação na Capela Ecumênica do Cemitério da Penitência, no Caju, na Zona Portuária. Inicialmente, o velório também seria realizado no cemitério, mas o local foi alterado no início da tarde desta segunda-feira.

Nas redes sociais, amigos e artistas de diversos segmentos, como Xuxa e Marcelo Adnet, prestaram homenagens a Jorge Fernando.

Comentários




    gl