Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

Independent Spirit Awards 2021: ‘Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre’ é líder em indicações; ‘Bacurau’ concorre a filme internacional

“Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre” é dirigido e roteirizado por Eliza Hittman (Foto: Divulgação).

Nesta terça-feira, dia 26, Olivia Wilde, Barry Jenkins e Laverne Cox anunciaram remotamente, seguindo o protocolo de segurança da Covid-19, os indicados ao Film Independent Spirit Awards 2021. E o líder de indicações deste ano é o drama “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre” (Never Rarely Sometimes Always – 2020), que concorre em sete categorias, incluindo as de melhor filme e direção para Eliza Hittman.

 

“Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre” é seguido de perto por “Minari” (Idem – 2020), com seis indicações, e “Nomadland” (Idem – 2020) e “A Voz Suprema do Blues” (Ma Rainey’s Black Bottom – 2020), cada um com cinco nomeações, sendo que “A Voz Suprema do Blues” é acompanhado pelo fator emotivo, pois rendeu indicação póstuma a Chadwick Boseman como melhor ator.

 

Nesta edição, o Brasil está representado na categoria de melhor filme estrangeiro por “Bacurau” (2019), de Juliano Dornelles e Kléber Mendonça Filho. No ano passado, o país chegou entre os finalistas com “A Vida Invisível” (2019), de Karim Aïnouz, que derrotou “Bacurau” na corrida por uma vaga entre os finalistas ao Oscar de melhor filme estrangeiro, mas sem êxito.

 

Patrocinado pela American Airlines, em homenagem à Bonnie Tiburzi Caputo, primeira mulher a pilotar aviões de grande porte em companhias comerciais, o The Bonnie Award é um prêmio especial concedido a diretoras, mas, até o momento, não teve o nome de sua quarta homenageada divulgado nem mesmo a confirmação de que será entregue este ano.

 

Considerado o Oscar do cinema independente, o Independent Spirit Awards inovou nesta edição, passando a englobar produções televisivas, assim como outras premiações relevantes da temporada, entre elas, o Globo de Ouro e o SAG Awards, respectivamente concedidos pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (Hollywood Foreign Press Association – HFPA) e pelo Sindicato dos Atores dos Estados Unidos (Screen Actors Guild of America – SAG). Esta decisão também abriu espaço para séries produzidas por e para plataformas de streaming como a Netflix, por exemplo.

 

A 36a edição da cerimônia de entrega do Film Independent Spirit Awards será realizada no dia 22 de abril, em Los Angeles, provavelmente no formato virtual em decorrência da pandemia.

 

Confira a lista completa de indicados:

CINEMA:

Melhor filme:

– “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”;

– “Nomadland”;

– “Minari”;

– “A Voz Suprema do Blues”;

– “First Cow” (Idem – 2020).

Melhor direção:

– Chloé Zhao – “Nomadland”;

– Emerald Fennell – “Promising Young Woman” (Idem – 2020);

– Lee Isaac Chung – “Minari”;

– Eliza Hittman – “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”;

– Kelly Reichardt – “First Cow”.

Melhor filme de estreia:

– “I Carry You With Me” (Idem – 2020);

– “The 40-Year-Old Version” (Idem – 2020);

– “O Som do Silêncio” (The Sound of Metal – 2020);

– “Miss Juneteenth” (Idem – 2020);

– “Nine Days” (Idem – 2020).

Melhor ator:

– Chadwick Boseman – “A Voz Suprema do Blues”;

– Riz Ahmed – “O Som do Silêncio”;

– Steven Yeun – “Minari”;

– Adarsh Gourav – “O Tigre Branco” (The White Tiger – 2020);

– Rob Morgan – “Bull” (Idem – 2020).

Melhor atriz:

– Julia Garber – “A Assistente” (The Assistant – 2020);

– Viola Davis – “A Voz Suprema do Blues”;

– Nicole Beharie – “Miss Juneteenth”;

– Carey Mulligan – “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”;

– Sidney Flanigan – “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”.

Melhor ator coadjuvante:

– Glynn Turman – “A Voz Suprema do Blues”;

– Colman Domingo – “A Voz Suprema do Blues”;

– Orion Lee – “First Cow”;

– Paul Raci – “O Som do Silêncio”;

– Benedict Wong – “Nine Days”.

Melhor atriz coadjuvante:

– Valerie Mahaffey – “French Exit” (Idem – 2020);

– Yeri Han – “Minari”;

– Youn Yuh-jung – “Minari”;

– Talia Ryder – “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”;

– Alexis Chikaeze – “Miss Juneteenth”.

Melhor roteiro:

– Lee Isaac Chung – “Minari”;

– Eliza Hittman – “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”;

– Alice Wu – “Você Nem Imagina” (The Half of It – 2020);

– Mike Makowsky – “Má Educação” (Bad Education – 2020);

– Emerald Fennell – “Promising Young Woman”.

Melhor roteiro de estreia:

– Kitty Green – “A Assistente”;

– Channing Godfrey Peoples – “Miss Juneteenth”;

– James Sweeney – “Straight Up” (Idem – 2020);

– Noah Hutton – “Lapsis” (Idem – 2020);

– Andy Siara – “Palm Springs” (Idem – 2020).

Melhor fotografia:

– Michael Latham – “A Assistente”;

– Jay Keitel – “Ela Morre Amanhã” (She Dies Tomorrow – 2020);

– Hélène Louvart – “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”;

– Shabier Kirchner – “Bull”;

– Joshua James Richards – “Nomadland”.

Melhor filme internacional:

– “Bacurau”;

– “Night of the Kings” (La nuit des rois – 2020, França”;

– “The Disciple” (Idem – 2020, Índia);

– “Preparations to be Together for an Unknown Period of Time” (Felkészülés meghatározatlan ideig tartó együttlétre – 2020, Hungria);

– “Quo vadis, Aida?” (Idem – 2020, Bósnia e Herzegovina).

Melhor documentário:

– “As Mortes de Dick Johnson” (Dick Johnson Is Dead – 2020);

– “Crip Camp: Revolução pela Inclusão” (Crip Camp – 2020);

– “Time” (Idem – 2020);

– “Collective” (Colectiv – 2019, Romênia);

– “El agente topo” (Idem – 2020, Chile).

Melhor edição (montagem):

– “I Carry You With Me”;

– “O Homem Invisível” (The Invisible Man – 2020);

– “Residue” (Idem – 2020);

– “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”;

– “Nomadland”.

John Cassavetes Award:

(Prêmio concedido a produções de orçamento inferior a US$ 500 mil).

– “The Killing of Two Lovers” (Idem – 2020);

– “La Leyenda Negra” (Idem – 2020);

– “Lingua Franca” (Idem – 2020);

– “Residue”;

– “Saint Frances” (Idem – 2020).

Truer Than Fiction Award:

(Prêmio concedido a diretores de documentários que ainda não são reconhecidos. Está em sua 26a edição).

– Cecilia Aldarondo – “Landfall” (Idem – 2020);

– Elegance Bratton – “Pier Kids” (Idem – 2020).

Someone to Watch Award:

(Prêmio concedido a cineastas de visão singular que ainda não são reconhecidos. Está em sua 27a edição).

– David Midell – “The Killing of Kenneth Chamberlain” (Idem – 2020);

– Ekwa Msangi – “Farewell Amor” (Idem – 2020);

– Annie Silverstein – “Bull”.

Producers Award:

(Prêmio concedido a produtores criativos que oferecem produtos de qualidade apesar do orçamento limitado. Está em sua 24a edição).

– Kara Durrett;

– Lucas Joaquin;

– Gerry Kim.

Robert Altman Award:

– “Uma Noite em Miami…” (One Night in Miami – 2020).

 

TELEVISÃO:

Melhor série de não-ficção ou documentário:

– “Atlanta’s Missing and Murdered: The Lost Children” (Idem – 2020);

– “City So Real” (Idem – 2020);

– “Immigration Nation” (Idem – 2020);

– “Love Fraud” (Idem – 2020);

– “We’re Here” (Idem – 2020).

Melhor série de ficção:

– “I May Destroy You” (Idem – desde 2020);

– “Little America” (Idem – desde 2020);

– “Small Axe” (Idem – desde 2020);

– “A Teacher” (Idem – desde 2020);

– “Unorthodox” (Idem – desde 2020).

Melhor ator em série de ficção:

– Conphidance – “Little America”;

– Adam Ali – “Little America”;

– Nicco Annan – “P-Valley” (Idem – desde 2020);

– Amit Rahav – “Unorthodox”;

– Harold Torre – “ZeroZeroZero” (Idem – desde 2019).

Melhor atriz em série de ficção:

– Elle Fanning – “The Great” (Idem – desde 2020);

– Shira Haas – “Unorthodox”;

– Abby McEnany – “Work in Progress” (Idem – desde 2019);

– Maitreyi Ramakrishnan – “Eu Nunca…” (Never Have I Ever – desde 2020);

– Jordan Kristine Seamón – “We Are Who We Are” (Idem – 2020).

Melhor elenco em série nova de ficção:

– “I May Destroy You”.

 

Leia também:

Globo de Ouro 2021: Jane Fonda é homenageada pela HFPA

Comentários

 




    gl