Regina Duarte terá de se retratar por fake news sobre Marisa Letícia

Regina Duarte durante sua posse como secretária especial da Cultura do Ministério do Turismo. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Regina Duarte durante sua posse como secretária especial da Cultura do Ministério do Turismo. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O juiz Manuel Eduardo Pedroso Barros, da 12ª Vara Cível de Brasília, decidiu, nesta segunda-feira (26), condenar, parcialmente, a atriz e ex-secretária nacional de Cultura do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), Regina Duarte.

Regina terá de se retratar por divulgar notícia falsa sobre a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que morreu em 2017.

O processo ajuizado por Lula e seus filhos, em 2020, trata de uma imagem postada no Instagram afirmando que “foram encontrados R$ 256 milhões em uma conta da ex-primeira-dama”. O valor correto nas contas de Dona Marisa, porém, era de R$ 26.281,74.

O juiz concordou que Regina “propalou Fake News a respeito do patrimônio da falecida Marisa Letícia”, mas que fora “induzida a erro” pelo fato de o valor errado ter sido informado pela Justiça, não cabendo indenização. O magistrado considerou que há necessidade de retratação:

“Assim, deverá a ré ser condenada a publicar, em sua conta no Instagram ou, na hipótese de a conta estar cancelada, em meio virtual similar, a integralidade da presente sentença, com sinceros pedidos de desculpa à memória da falecida”. Caso não cumpra a decisão, que ainda cabe recurso, Regina estará sujeita a multa.

+ Sidney Rezende: ‘Quem fizer a CPI da Covid-19 de palanque vai pagar preço negativo’

+ Ao receber vacina, idosa diz: ‘Bolsonaro é a ‘pqp’ eu sou é Lula’; assista

+ Homem armado que invadiu programa da Band ao vivo reaparece; relembre o caso

Comentários

 




    gl