Vem aí o edital da PGE-RJ!

Como vem sendo noticiado, o concurso da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro (PGE-RJ), volta a ser confirmado pela assessoria de imprensa do órgão. Segundo a matéria, esse concurso já havia sido anunciado em 2016, mas por causa da crise financeira e fiscal do Estado do Rio de Janeiro, o concurso acabou sendo adiado. Na época já haviam, inclusive, escolhido a banca organizadora, a Fundação Carlos Chagas (FCC). Não sabemos se essa decisão será mantida depois desse tempo todo, porém há grandes chances, já que a FCC foi a organizadora do último concurso da PGE-RJ realizado em 2009 para os cargos de apoio. A intensão em 2016 era manter a organizadora do último concurso, se essa ideia for mantida, a estratégia de estudos continua a mesma, conhecer o melhor possível as questões e o que a FCC tem por hábito cobrar.

Se for mantido o que estava previsto para 2016, o concurso será para cadastro de reserva e haverá oportunidades para candidatos de nível médio e superior. O cargo de nível médio mais acessível é o Técnico Processual, que exige nível médio sem a necessidade de cursos técnicos. Para esse cargo, a remuneração inicial é de R$ 4.542,42 e a contratação é pelo regime estatutário, que garante a estabilidade.

Os interessados nessa oportunidade, devem iniciar os estudos o mais rápido possível, com base no último edital. Abaixo darei uma visão geral do que foi cobrado em 2009. Gostaria de lembrar que haverá atualizações no conteúdo, mas como é comum, a maioria das disciplinas são mantidas entre um concurso e outro, estudando o que foi cobrado no último concurso, grande parte do conhecimento necessário para a prova já estará no domínio do candidato. Com a publicação do edital, será necessário fazer alguns ajustes, incluir conteúdos, retirar outros, mas grade parte do caminho estará trilhado por quem iniciou o estudo com antecedência.

No último concurso foram cobrados conhecimentos de direito administrativo que inclui além da parte básica, cobrou licitações e contratos, processo administrativo e improbidade administrativa. Em direito constitucional o conteúdo é bastante extenso, já que inclui os três poderes da união além da constituição do Estado do Rio de Janeiro. No último concurso foi cobrado direito processual civil com um conteúdo não tão extenso quanto o constitucional, mas muito maior do que é cobrado em processo do trabalho, este último só cobrou prazos e recursos.

Foi cobrado também o estatuto do Estado do Rio de Janeiro, basicamente dois decretos e uma lei estadual. Na disciplina de informática é possível que haja atualização dos conhecimentos dessa última prova por causa da evolução da tecnologia e mesmo da evolução do que vem sendo cobrado em outros concursos. Talvez, informática seja a disciplina que sofra a maior alteração para o próximo concurso, podendo até ser retirada da prova, mas essa não deve ser a aposta do candidato nesse momento. Uma disciplina garantida de ser mantida para esse próximo concurso é a legislação específica da PGE, que inclui os preceitos constitucionais, uma lei estadual e uma lei complementar estadual.

Esses conteúdos são inerentes ao funcionamento do órgão, por isso tenho tanta certeza da manutenção desse conhecimento. Para terminar essa pequena análise, tem a disciplina de português, que invariavelmente cobra todos os conhecimentos da língua, como é praxe nos concursos. Só atente que no meio do conteúdo de português encontrará a disciplina de redação oficial, que nada tem de complexa, é apenas um manual com as regras de correspondências e documentos oficiais. Não é complicado, mas o candidato precisa conhecer as regras para responder as questões de múltipla escolha.

Bem pessoal, esses são os meus comentários de hoje. Só gostaria de frisar que esse concurso será uma grande oportunidade no estado do Rio de Janeiro, principalmente para quem vem na linha de estudos dos tribunais e que fatalmente acabaram fazendo o concurso do MPU. Esse concurso da PGE-RJ é um concurso que favorece quem já vem estudando e com menos esforço pode acrescentar algumas disciplinas e se preparar para ele. É também uma boa oportunidade para quem quer começar a estudar agora, pois ainda há tempo, não há um cronograma apertado e com tempo o candidato pode investir em uma preparação digna, que o coloque em condições de conquistar uma boa colocação para ter condições de ser chamado durante a validade do concurso.

Comentários




    gl