Claudio Nogueira. Foto: Acervo pessoal

Claudio Nogueira

Foi jornalista do Globo de 1987 a 2016, e do Sportv, entre 2016 e fevereiro de 2018. Cobriu as Olimpíadas de 2004, 2008, 2012 e 2016; a Copa das Confederações de 2013; a Copa do Mundo de 2014, cinco Jogos Pan-Americanos e Mundiais de Basquete, em 2002 e 2006; Futsal, em 2008; Handebol, em 2015; GPs de F-1, F-Indy e do Mundial de Motovelocidade. É autor de alguns livros e e-books, como: “Futebol Brasil Memória”; "Brasil de 20 Copas"; "Legiões de Paixão - grandes clubes do Brasil e do mundo".

É bonita, é bonita e é bonita!

Foto: Fernando Grilli/Divulgação.

Emoção, reflexão, alegria e memória são algumas palavras que podem ser vinculadas ao elogiado e bem sucedido musical “Gonzaguinha: O Eterno Aprendiz”, em cartaz num dos teatros históricos do Rio, o João Caetano, na Praça Tiradentes. O espetáculo estabelece um diálogo entre o público e o cantor e compositor Luiz Gonzaga Júnior, o Gonzaguinha, morto em acidente de automóvel em 1991.

Já se vão praticamente 28 anos desde o desaparecimento do artista, que se mantém vivo por meio de várias e conhecidas canções incluídas no musical e cantadas não apenas pelos cantores no palco, mas principalmente pela platéia.

Ao longo da peça, pode se ver como se completam e fazem uma boa tabelinha as ideias e as composições desse carioca, filho do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, mas criado pelos padrinhos no Morro de São Carlos, um dos redutos do samba carioca. No São Carlos, por sinal, se encontram as raízes da escola de samba Estácio de Sá, que homenageou Gonzaguinha em seu desfile no carnaval de 2017. Neste ano de 2019, no Grupo Especial, será a vez da Império Serrano homenagear alguém que soube compor sambas, xotes, baiões e canções de amor e de temática social.

O musical já foi aplaudido por mais de 15 mil pessoas, somadas suas temporadas no no Teatro dos Grandes Atores (Barra da Tijuca em outubro/2018); na Sala Baden Powell (em Copacabana, em única apresentação em março 2018 e nos dias 22 e 23 de dezembro/2018); e no João Caetano (em setembro e novembro/2018, e no momento atual). Neste, os espetáculos ocorrem sempre às sextas e sábados, às 19h, e aos domingos, às 18h, até o dia 24 de fevereiro. Os preços são de R$ 40,00 com meia-entrada a R$ 20, para estudantes, jovens até 21 anos e idosos a partir dos 60 anos, além de professores da rede municipal.

No fim de 2018, uma das personalidades presentes à platéia foi a reconhecida e experiente Berta Loran, que não poupou os muito merecidos elogios à produção:

“Um espetáculo maravilhoso, com canções belíssimas e a ótima interpretação do ator Rogério Silvestre e dessa banda maravilhosa. Assim que a temporada voltar em 2019 eu quero assistir de novo”.

O show é estrelado pelo ator Rogério Silvestre, que tem ao seu lado um time de respeito, incluídos aí os cantores Ana Martins, Andreia Pedroso, Bruna Moraes, Nina Jô, Paulo Francisco Tiso (‘Tutuca’) e Valdeir Valença (que se revezam semanalmente); e os experientes instrumentistas Rafael Toledo (Guitarra, violão e voz), Jorge Gomes (bateria), Omar Fontes (teclados), Dudu Dias (baixo), Charles Reis (sax e flauta) e Cacá Franklin (percussão). Ótimo ver e ouvir artistas que cantam e tocam ao vivo, de verdade.

Ao longo de 80 minutos que passam levemente, o público pode recordar e cantar 16 músicas do compositor: “Explode Coração”, “Recado”, “Começaria Tudo Outra Vez”, “Moleque”, “Sangrando”, “O Que é o Que é?”, “Ponto de Interrogação”, “Eu Apenas Queria Que Você Soubesse”, “Com a Perna no Mundo”, “Grito de Alerta”, “De Volta ao Começo”, “Palavras”, “É”, “Diga Lá, Coração”, “Espere por Mim, Morena” e “Vamos a Luta”. De todas, a que mais rapidamente vem à memória é “O que é o Que é?”, uma reflexão filosófica cantada sobre o sentido da existência. Baseado na “pureza das respostas das crianças”, seu refrão resume que a vida – simplesmente – “é bonita, é bonita e é bonita”.

Foto: Marcelo Castello Branco/Divulgação

Serviço do espetáculo

Peça: Gonzaguinha, o Eterno Aprendiz
Concepção do espetáculo: Dr Kleber Lincoln e Maestro Amaury Vieira.
Texto: Gildes Bezerra.
Diretor Musical: Rafael Toledo.
Diretor Teatral: Breno Carvalho.
Realização: Boca Fechada Produções Artísticas e Rogério Silvestre Produções.
Local: Praça Tiradentes, Centro, Tel. 21- 2332-9257).
Temporada: 4 de janeiro a 24 de fevereiro de 2019
Horários: Sextas e Sábados, 19h e Domingos, 18h
Preço dos ingressos: R$ 40,00 / R$ 20,00 (meia para estudantes, jovens até 21 anos, pessoas acima de 60 anos, professores da rede municipal e assinantes de O Globo)
Limite: Livre
Lotação: 725 lugares

Comentários




mais notícias

    gl