Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

‘Retrato de Uma Jovem em Chamas’ é eleito o melhor filme de 2020 pela ACCRJ

“Retrato de Uma Jovem em Chamas” tem direção e roteiro de Céline Sciamma (Foto: Divulgação).

Na tarde deste sábado, dia 03, a Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ) realizou a votação dos melhores filmes de 2020, mas remotamente devido à pandemia do novo coronavírus, que se encontra na pior fase no Brasil. E o francês “Retrato de Uma Jovem em Chamas” (Portrait de la jeune fille en feu – 2019, França), dirigido e roteirizado por Céline Sciamma, foi eleito o melhor longa-metragem.

 

Pela primeira vez, a ACCRJ afrouxou sua regra de elegibilidade, permitindo de produções lançadas diretamente nas plataformas digitais pudessem participar da votação. Esta decisão, tomada também por instituições estrangeiras, se deve à pandemia, que interrompeu as atividades nos centros de produções e fechou salas de cinema ao redor do globo, causando cancelamentos e adiamentos em série. Com isso, títulos da Netflix, Amazon Prime Video e Disney+ figuram entre os destaques de 2020 na lista da Associação.

 

Além de “Retrato de Uma Jovem em Chamas”, as outras nove produções mais votadas pela ACCRJ são: “1917” (Idem – 2019, EUA), de Sam Mendes; “Babenco: Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer Parou” (2020, Brasil), de Bárbara Paz; “Destacamento Blood” (Da 5 Bloods – 2020, EUA), de Spike Lee; “Joias Brutas” (Uncut Gems – 2019, EUA), de Benny Safdie e Josh Safdie; “O Farol” (The Lighthouse – 2019, Canadá), de Robert Eggers; “O Homem Invisível” (The Invisible Man – 2020, Canadá), de Leigh Whannell; “O Som do Silêncio” (Sound of Metal – 2019, EUA), de Darius Marder; “Pacarrete” (2020, Brasil), de Allan Deberton; e Soul” (Idem – 2020, EUA), de Pete Docter e Kemp Powers.

 

“Os 10 filmes celebram a universalidade de temas que eles representam, através de diretoras e diretores que levaram para a tela suas visões sobre o mundo. Foi um ano gravíssimo por conta da Covid-19, o cinema foi um dos alentos para a humanidade”, afirma a jornalista Ana Rodrigues, presidente da ACCRJ.

 

A Associação também divulgou que as homenagens póstumas serão concedidas aos atores José Mojica Marins, Flávio Migliaccio, Kirk Douglas e Sean Connery, e aos compositores Aldir Blanc e Ennio Morricone.

 

Este ano, a ACCRJ concede o prêmio de “Melhor Iniciativa Cinematográfica de 2020” a Cavi Borges, que inaugurou o Espaço Cultural Cavídeo, nas Casas Casadas, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio de Janeiro, e segue produzindo apesar da pandemia. O reconhecimento a Borges também se deve às ações sociais promovidas por ele em meio à crise gerada pela pandemia, que colocou inúmeras famílias abaixo da linha da pobreza.

 

Leia também:

Top 10: os melhores filmes de 2020

Top 10: os melhores filmes das plataformas de streaming em 2020

Comentários

 




    gl