Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

‘Que Mal Eu Fiz a Deus? 2’: sequência de sucesso francês entra em cartaz no Brasil

“Que Mal Eu Fiz a Deus? 2” é protagonizado por Christian Clavier e Chantal Lauby (Foto: Divulgação).

Impossível entrar numa sala de cinema e escutar “We Are Family”, de Sister Sledge, sem lembrar do trio composto por Robin Williams, Nathan Lane e Gene Hackman na boate The Birdcage da comédia “A Gaioa das Loucas” (The Birdcage – 1996, EUA), remake do longa-metragem francês, lançado em 1978, de Édouard Molinaro. Clássica das discotecas, a canção foi escolhida para abrir outra comédia, “Que Mal Eu Fiz a Deus? 2” (Qu’est-ce qu’on a encore fait au bon Dieu? – 2019, França), que entra em cartaz nesta quinta-feira, dia 02, no Brasil.

 

“Que Mal Eu Fiz a Deus? 2” é dirigido por Philippe de Chauveron (Foto: Divulgação).

Sequência direta de “Que Mal Eu Fiz a Deus?” (Qu’est-ce qu’on a fait au Bon Dieu? – 2014, França), o longa mostra o casal Claude e Marie Verneuil, interpretado por Christian Clavier e Chantal Lauby, fazendo o possível para não desagradar as filhas, inclusive embarcando numa viagem para conhecer os países de origem das famílias de seus genros. Mas a volta para casa promete um turbilhão de emoções devido ao anúncio da saída das filhas da França.

 

Fazendo piada com o Brasil ao citar Neymar e a assistente brasileira de um dos genros do casal, “Que Mal Eu Fiz a Deus? 2” segue a fórmula de seu antecessor para expor o preconceito enraizado e suas diferentes formas por meio de elementos politicamente incorretos utilizados de maneira a critica-lo. Contudo, a crítica proposta só funciona por reunir grupos de origens distintas sob o teto de um homem conservador que tem urgência em quebrar barreiras impostas por uma sociedade que se opõe a imigrantes, uma vez que sua família se tornou de exemplo de representatividade e diversidade, buscando a todo instante encontrar o respeito mútuo.

 

Contando com a habilidosa direção de Philippe de Chauveron, responsável também pelo original, “Que Mal Eu Fiz a Deus? 2” tem como trunfos a comunhão de seu elenco e a leveza com a qual aborda temas tão urgentes, sobretudo no momento em que a questão migratória tem sido amplamente discutida na Europa. É um filme que utiliza o humor para mostrar situações absurdas e, de certa forma, a redenção de seu protagonista por meio do amor que sente pelas filhas e netos, prendendo a atenção do espectador e proporcionando a ele momentos agradáveis na sala de exibição.

 

Assista ao trailer oficial legendado:

Comentários

 




    gl