Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

Mostra ‘O Jazz Vai para Hollywood’ começa nesta segunda no MAM-RJ

Clássico “O Cantor de Jazz” é o filme de abertura (Foto: Divulgação – Warner Bros.).

Começa nesta segunda-feira, dia 09, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, na Praia do Flamengo, Zona Sul da cidade, a Mostra “O Jazz Vai para Hollywood”. O evento é mais um fruto da parceria entre o MAM e a Associação de Críticos do Rio de Janeiro (ACCRJ) e tem como filme de abertura o clássico “O Cantor de Jazz” (The Jazz Singer – 1927), de Alan Crosland.

 

Responsável por revolucionar a indústria hollywoodiana por ter sido a primeira produção a mesclar som e fala, “O Cantor de Jazz” será debatido pelos críticos Hernani Heffner e Ana Rodrigues, presidente da ACCRJ, às 18h30.

 

Além de “O Cantor de Jazz”, outros oito títulos foram selecionados para a Mostra e serão exibidos gratuitamente na Cinemateca do MAM. São eles: “A Epopéia do Jazz” (Alexander’s Ragtime Band – 1938), de Henry King, dia 10, às 18h30; “Sinfonia Bárbara” (Birth of the Blues – 1941), de Victor Schertzinger, dia 11, às 18h30; “Cavalgada de Melodias” (Syncopation – 1942), de William Dieterle, dia 12, às 19h; “O Ocaso de uma Estrela” (Lady Sings the Blues – 1972), de Sidney J. Furie, dia 13, às 18h30; “Taverna Maldita” (Pete Kelly’s Blues – 1955), de Jack Webb, dia 14, às 16h; “Música e Lágrimas” (The Glenn Miller Story – 1954), de Anthony Mann, dia 14, às 18h; “Paris Vive à Noite” (Paris Blues – 1961), de Martin Ritt, dia 15, às 16h; e “Ascensor para o Cadafalso” (Ascenseur pour l’échafaud – 1958), de Louis Malle, dia 15, às 18h.

 

A Mostra “O Jazz Vai para Hollywood” será realizada até o próximo domingo, dia 15.

Comentários




    gl