Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

Mostra de Cinema de São Paulo: Aaron Sorkin fala sobre ‘Os 7 de Chicago’ e Netflix

Aaron Sorkin no set de “Os 7 de Chicago” (Foto: Divulgação).

Oferecendo programação variada, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo também conta com bate-papos com profissionais da indústria cinematográfica. Chamada de “Mostra Conversa”, esta seção do evento foi inaugurada na última sexta-feira, dia 23. E o primeiro convidado foi o cineasta Aaron Sorkin, que conversou com Ana Paula Sousa sobre seu segundo longa-metragem, “Os 7 de Chicago” (The Trial of the Chicago 7 – 2020), disponível no catálogo da Netflix e uma das apostas para o Oscar 2021.

 

Produzido pela DreamWorks SKG, “Os 7 de Chicago” é baseado na história real do julgamento de líderes de grupos contrários à Guerra do Vietnã, que organizaram manifestações em Chicago no período da Convenção Nacional do Partido Democrata em 1968, culminando com a eclosão da violência nas ruas da cidade.

 

Iniciado por Sorkin há 14 anos, atendendo ao pedido de Steven Spielberg, um dos fundadores da DreamWorks em 1994, o projeto do longa passou por várias versões do roteiro até começar a ser rodado, mantendo o nome escolhido à época para protagonizá-lo, Sacha Baron Cohen, que na última sexta-feira lançou seu novo filme na concorrente Amazon Prime Video, “Borat: Fita de Cinema Seguinte” (Borat Subsequent Moviefilm: Delivery of Prodigious Bribe to American Regime for Make Benefit Once Glorious Nation of Kazakhstan – 2020). Um dos títulos mais aguardados deste ano, “Os 7 de Chicago” foi diretamente afetado pela pandemia do novo coronavírus, que fechou salas de exibição e interrompeu as atividades no maior centro de produção do mundo, Hollywood, impondo enormes desafios, inclusive econômicos.

 

Produzido pela DreamWorks SKG e pela Paramount Pictures, “Os 7 de Chicago” estreou diretamente na Netflix (Foto: Divulgação).

 

Ambientado no final da década de 1960, o longa apresenta uma trama ainda atual, o que levou a equipe a aceitar o convite da Netflix para distribuí-lo antes da eleição presidencial americana, agendada para 03 de novembro. “O filme estava pronto e, de repente, o planeta inteiro foi assolado pela pandemia. As pessoas não podiam mais ir ao cinema. Nós tínhamos duas escolhas: atrasar o lançamento por um ano ou mais, o que não tolerávamos, pois desejávamos lançar o filme antes da eleição nos Estados Unidos, ou subir no bote salva-vidas que a Netflix nos ofereceu. A Netflix fez um acordo com a Paramount, que era a distribuidora original, para lançar o filme. Eles lançariam no cinema por três semanas e estamos nesse período justamente agora, no mundo inteiro. Mas naquela sexta-feira inicial, 16 de outubro, que seria a última semana de exibição, ele seria disponibilizado na Netflix”, contou Sorkin.

 

Lançado em 25 de setembro nas salas de exibição dos Estados Unidos e da Europa, com a devida autorização de funcionamento dos governos locais, o drama aderiu à polêmica diminuição da janela de exibição, que tem causado inúmeros debates na capital do cinema, chegando ao streaming três finais de semana após entrar em cartaz – estúdios e distribuidores consideram este o período mais lucrativo para novos títulos. “Quando for seguro, todos voltaremos aos cinemas porque nada poderia substituir a experiência da plateia, esse tipo de energia, então estou ansioso por isso”, disse Sorkin, comentando a pré-estreia de “Os 7 de Chicago” no drive-in para 700 carros.

 

Constantemente lembrado pela quantidade de títulos inspirados em fatos reais que constam em sua filmografia, Aaron Sorkin falou à Sousa sobre a influência do teatro na carreira que construiu no cinema e na televisão, e que não está à procura de histórias verídicas. “Quando surge uma (boa história), não resisto”, afirmou o cineasta, que diz adorar dramas de tribunal, sobretudo como roteirista.

 

Se esquivando de comentar sobre suas expectativas em torno da próxima temporada de premiações, Aaros Sorkin também falou sobre o momento político conturbado em todo o mundo, traçando um paralelo com a trama do filme e diversos acontecimentos recentes. “A história (de ‘Os 7 de Chicago’) não é exclusivamente americana”, disse Sorkin.

 

*A Mostra de Cinema de São Paulo acontece até o dia 04 de novembro, reunindo 198 títulos de 71 nacionalidades, disponibilizados na plataforma Mostra Play ao custo de R$ 6. Além disso, 30 produções serão oferecidas gratuitamente nas plataformas digitais Spcine Play e Sesc Digital, assim como sessões no Belas Artes Drive-in (Memorial da América Latina) e Cinesesc Drive-in (unidade Sesc Parque Dom Pedro II). Clique aqui para conferir a programação completa dos filmes da Mostra.

 

Leia também:

Crítica – ‘Os 7 de Chicago’: uma das apostas para o Oscar 2021 estreia na Netflix

 

Assista ao vídeo oficial da “Mostra Conversa” com Aaron Sorkin:

Comentários

 




    gl