Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

Festival de Veneza 2020: documentário sobre Caetano Veloso está entre os selecionados

A 77a edição do Festival de Veneza está agendada para setembro deste ano (Foto: Divulgação / Crédito: La Biennale di Venezia – Foto ASAC).

A organização do Festival de Veneza anunciou nesta terça-feira, dia 28, a lista de filmes selecionados para a sua 77a edição. Exibido fora de competição, o drama italiano “Lacci” (Idem – 2020), de Daniele Luchetti, será o responsável por abrir o evento, que, apesar da pandemia, será realizada de forma presencial entre os dias 02 e 12 de setembro.

Ao todo, 18 títulos integram a mostra competitiva, Venezia 77, sendo oito dirigidos por mulheres, o que demonstra a preocupação dos organizadores em relação à igualdade de gênero. Entre os selecionados, estão: “The World To Come” (Idem – 2020), de Mona Fastvold; “Nomadland” (Idem – 2020), de Chloé Zhao; “Nuevo Orden” (Idem – 2020), de Michel Franco; e “Padrenostro” (Idem – 2020), de Claudio Noce.

Não tem nenhum filme brasileiro na competição oficial, mas o país será representado por “Narciso em Férias” (2020). Dirigido e roteirizado por Ricardo Calil e Renato Terra, o documentário fala sobre a prisão de Caetano Veloso poucos dias após o decreto do AI-5, em 1968. “Estamos felizes e honrados de iniciar a trajetória do filme pelo Festival de Veneza, que é ao mesmo tempo o primeiro festival de cinema do mundo e o primeiro que será presencial no mundo pós-pandemia. É um evento histórico que pode apontar como será o cinema nessa nova realidade. Para nós, faz todo sentido que a estreia seja lá. ‘Narciso em Férias’ é um filme que fala do passado do Brasil, por meio das memórias de Caetano Veloso sobre sua prisão na ditadura, mas também tem muito a dizer sobre o presente do país”, afirma Calil.

Primeiro grande evento a ser realizado em meio às restrições impostas pela Covid-19, o Festival de Veneza deste ano terá como homenageadas com o Leão de Ouro honorário a atriz Tilda Swinton e a cineasta Ann Hui.

Há alguns meses circularam rumores de que os festivais de Veneza e Cannes poderiam unir forças, conforme dito por Thierry Fremaux, presidente do Festival de Cannes, em entrevista à Variety. Como os organizadores não chegaram a um consenso, o evento francês firmou parceria com o Festival de San Sebastián, que será realizado entre os dias 18 e 26 de setembro, também no formato presencial.

Confira a lista de selecionados:

Abertura:

– “Lacci”.

Mostra Venezia 77 (competição oficial):

– “In Between Dying” (Idem – 2020), de Hilal Baydarov;

– “Le Sorelle Macaluso” (Idem – 2020), de Emma Dante;

– “The World to Come” (Idem – 2020), de Mona Fastvold;

– “Nuevo Orden” (Idem – 2020), de Michel Franco;

– “Lovers” (Idem – 2020), de Nicole Garcia;

– “Laila In Haifa” (Idem – 2020), de Amos Gitai;

– “Dear Comrades” (Idem – 2020), de Andrei Konchalovsky;

– “Wife of a Spy” (Idem – 2020), de Kiyoshi Kurosawa;

– “Sun Children” (Idem – 2020), de Majid Majidi;

– “Pieces of a Woman” (Idem – 2020), de Kornel Mundruczo;

– “Miss Marx” (Idem – 2020), de Susanna Nicchiarelli;

– “Padrenostro” (Idem – 2020), de Claudio Noce;

– “Notturno” (Idem – 2020), de Gianfranco Rosi;

– “Never Gonna Snow Again” (Idem – 2020), de Malgorzata Szumowska;

– “The Disciple” (Idem – 2020), de Chaitanya Tamhane;

– “And Tomorrow the Entire World” (Idem – 2020), de Julia Von Heinz;

– “Quo Vadis, Aida?” (Idem – 2020), de Jasmila Zbanic;

– “Nomadland” (Idem – 2020), de Chloe Zhao.

Mostra Horizontes:

– “Apples” (Idem – 2020), de Christos Nikou;

– “La Troisieme Guerre” (Idem – 2020), de Giovanni Aloi;

– “Milestone” (Idem – 2020), de Ivan Ayr;

– “The Wasteland” (Idem – 2020), de Ahmad Bahrami;

– “The Man Who Sold His Skin” (Idem – 2020), de Kaouther Ben Hania;

– “I Predatori” (Idem – 2020), de Pietro Castellitto;

– “Mainstream” (Idem – 2020), de Gia Coppola;

– “Genus Pan” (Idem – 2020), de Lav Diaz;

– “Zanka Contact” (Idem – 2020), de Ismael El Iraki;

– “Guerre E Pace” (Idem – 2020), de Martina Parenti e Massimo D’Anolfi;

– “La Nuit Des Rois” (Idem – 2020), de Philippe Lacote;

– “The Furnace” (Idem – 2020), de Roderick Mackay;

– “Careless Crime” (Idem – 2020), de Shahram Mokri;

– “Gaza Mon Amour” (Idem – 2020), de Tarzan Nasser e Arab Nasser;

– “Selva Tragica” (Idem – 2020), de Yulene Olaizola;

– “Nowhere Special” (Idem – 2020), de Uberto Pasolini;

– “Listen” (Idem – 2020), de Ana Rocha De Sousa;

– “The Best Is Yet to Come” (Idem – 2020), de Wang Jing;

– “Yellow Cat” (Idem – 2020), de Adilkhan Yerzhanov.

Fora de competição (seções especiais):

– “30 Monedas, Episode 1” (Idem – 2020), de Alex de la Iglesia;

– “Princesse Europe” (Idem – 2020), de Camille Lotteau;

– “Omelia Contadina” (Idem – 2020), de Alice Rohrwacher Jr.

Fora de competição (ficção):

– “Lasciami Andare” (Idem – 2020), Stefano Mordini;

– “Mandibules” (Idem – 2020), de Quentin Dupieux;

– “Love After Love” (Idem – 2020), de Ann Hui;

– “Assandira” (Idem – 2020), de Salvatore Mereu;

– “The Duke” (Idem – 2020), de Roger Michell;

– “Night In Paradise” (Idem – 2020), de Park Soon-jung;

– “Mosquito State” (Idem – 2020), de Filip Jan Rymsza.

Fora de competição (não-ficção):

– “Sportin’ Life” (Idem – 2020), de Abel Ferrara;

– “Crazy, Not Insane” (Idem – 2020), de Alex Gibney;

– “Greta” (Idem – 2020), de Nathan Grossman;

– “Salvatore, Shoemaker Of Dreams” (Idem – 2020), de Luca Guadagnino;

– “Final Account” (Idem – 2020), de Luke Holland;

– “La Verita Su La Dolce Vita” (Idem – 2020), de Giuseppe Pedersoli;

– “Molecole” (Idem – 2020), de Andrea Segre;

– “Narciso em Férias” (2020), de Renato Terra e Ricardo Calil;

– “Paulo Conte, Via Con Me” (Idem – 2020), de Giorgio Verdelli;

– “Hopper/Welles” (Idem – 2020), de Orson Welles.

 

Semana da Crítica:

Competição:

– “50 Or Two Whales Meet At The Beach” (Idem – 2020), de Jorge Cuchí;

– “Ghosts” (Idem – 2020), de Azra Deniz Okyay;

– “Thou Shalt Not Hate” (Idem – 2020), de Mauro Mancini;

– “Bad Roads” (Idem – 2020), de Natalya Vorozhbyt;

– “Shorta” (Idem – 2020), de Anders Ølholm e Frederik Louis Hviid;

– “Topside” (Idem – 2020), de Celine Held e Logan George;

– “The Flood Won’t Come” (Idem – 2020), de Marat Sargsyan.

Fora de competição (seções especiais):

– “The Book Of Vision” (Idem – 2020), de Carlo S. Hintermann – abertura;

– “The Rossellinis” (Idem – 2020), de Alessandro Rossellini – encerramento.

Leia também:

Festivais formam aliança em meio à pandemia

Oscar 2021: AMPAS adia cerimônia por causa da pandemia

Cinema e o cenário pós-pandemia

Disney pode seguir os passos da Universal

‘Trolls’: da alegria ao imbróglio

Oscar 2021: AMPAS afrouxa regra de elegibilidade por causa da pandemia

Festival de Veneza não deve ser adiado por causa da pandemia

Hollywood e o impacto do novo Coronavírus

Comentários

 




    gl