Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

Festival de Gramado 2020: ‘King Kong em Asunción’ é o grande vencedor

O Festival de Gramado é um dos principais eventos do país (Foto: Divulgação / Crédito: Edison Vara – Agência Pressphoto).

Apresentada por Marla Martins e Renata Boldrini, a cerimônia de encerramento do Festival de Gramado foi realizada no Palácio dos Festivais, na cidade gaúcha, na noite do último sábado, dia 26, tendo a tecnologia como aliada, uma vez que não teve plateia no local. E o grande vencedor do Kikito de melhor longa-metragem brasileiro foi o pernambucano “King Kong em Asunción” (2020), que também conquistou os troféus de melhor ator para Andrade Júnior, entregue postumamente, e trilha sonora para Shaman Herrera, num empate com Salloma Salomão por “Todos os Mortos” (2020).

 

O Festival de Gramado 2020 precisou se adaptar ao cenário imposto pela pandemia do novo coronavírus, sendo realizado em formato online, contando com o apoio do Canal Brasil, que exibiu os filmes e a cerimônia, expandindo o alcance do público. “Uma honra para o Canal Brasil abrigar esta edição do Festival de Gramado. Uma adaptação necessária em um ano especial que tem como linda consequência a democratização do acesso. Temos a clara sensação de estar escrevendo a história e comemoramos juntos a edição mais popular do festival. Como se convidássemos todos que acompanham a cada ano o tapete vermelho e fãs do cinema brasileiro espalhados por todo país para dentro do Palácio dos Festivais”, afirma André Saddy, diretor-geral do Canal Brasil.

 

Um dos principais eventos dedicados ao audiovisual no país, o Festival de Gramado aconteceu de maneira a preservar a segurança do público, bem como da própria cidade, que sempre acolheu seus visitantes, inclusive no período do Festival, que é um dos mais concorridos de seu calendário. “Nosso Festival de Cinema cumpriu sua missão. mais uma vez deixou um legado importante para Gramado e para o audiovisual brasileiro e latino.  Nesse momento diferente e delicado para o turismo e para os eventos, acreditamos e reiteramos na vocação da cidade que se projetou pela cultura. A realização desta edição, com toda segurança e inovação, mostra o comprometimento da cidade e da Gramadotur com o público que vêm à cidade e, principalmente, com os gramadenses que recebem os visitantes e, juntos, fazem de Gramado uma grife desejada mundo afora”, afirma Iara Sartori, diretora de eventos da Gramadotur, responsável pela realização do Festival.

 

A 48a edição também sofreu mudanças internas que se refletiram na escolha dos títulos concorrentes ao Kikito devido ao falecimento de dois de seus três curadores no ano passado, Rubens Ewald Filho e Eva Piwowarski. Sendo assim, a organização do evento convidou Pedro Bial e Soledad Villamil para integrar a curadoria ao lado de Marcos Santuário.

 

Confira os vencedores do Kikito:

Longa-metragem brasileiro – LMB:

Melhor filme:

– “King Kong en Asunción”;

Melhor direção:

– Ruy Guerra – “Aos Pedaços”;

Melhor ator:

– Andrade Júnior – “King Kong en Asunción”;

Melhor atriz:

– Isabél Zuaa – “Um Animal Amarelo”;

Melhor roteiro:

– Felipe Bragança – “Um Animal Amarelo”;

Melhor fotografia:

– Pablo Baião – “Aos Pedaços”;

Melhor montagem:

– Eduardo Gripa – “Me Chama Que Eu Vou”;

Melhor trilha musical:

*Empate

– Salloma Salomão – “Todos os Mortos”;

– Shaman Herrera – “King Kong en Asunción”;

Melhor direção de arte:

– Dina Salem Levy – “Um Animal Amarelo”;

Melhor ator coadjuvante:

– Thomás Aquino – “Todos os Mortos”;

Melhor atriz coadjuvante:

– Alaíde Costa – “Todos os Mortos”;

Melhor desenho de som:

– Bernardo Uzeda – “Aos Pedaços”;

Prêmio Especial do Júri:

– Elisa Lucinda – “Por que você não chora?”;

Menção Honrosa do Júri:

– Higor Campagnaro – “Um Animal Amarelo”.

 

Longa-metragem estrangeiro – LME:

Melhor filme:

– “La Frontera”;

Melhor direção:

– Mariana Viñoles – “El gran viage al país pequeno”;

Melhor ator:

– Anibal Ortiz – “Matar a un Muerto”;

Melhor atriz:

*Empate

– Daylin Vega Moreno – “La Frontera”;

– Sheila Monterola (Chalis) – “La Frontera”;

Melhor roteiro:

– David David – “La Frontera”;

Melhor fotografia:

– Nicolas Trovato – “El Silencio del Cazador”;

Prêmio Especial do Júri:

– “El Gran Viaje al País Pequeño”.

 

Longa-metragem gaúcho – LMG:

Melhor filme:

– “Portuñol”.

 

Curta-metragem brasileiro – CMB:

Melhor filme:

– “O Barco e o Rio”;

Melhor direção:

– Bernardo Ale Abinader – “O Barco e o Rio”;

Melhor ator:

– Daniel Veiga – “Você tem olhos tristes”;

Melhor atriz:

– Luciana Souza – “Inabitável”;

Melhor roteiro:

– Matheus Farias e Enock Carvalho – “Inabitável”;

Melhor fotografia:

– Valentina Ricardo – “O Barco e o Rio”;

Melhor montagem:

– Ana Júlia Travia – “Você tem olhos tristes”;

Melhor trilha musical:

– Hakaima Sadamitsu, M. Takara – “Atordoado, eu permaneço atento”;

Melhor direção de arte:

– Francisco Ricardo Lima Caetano – “O Barco e o Rio”;

Melhor desenho de som:

– Isadora Torres e Vinicius Prado Martins – “Receita de Caranguejo”;

Prêmio Especial do Júri:

– Preta Ferreira – “Receita de Caranguejo”;

 

Júri Popular:

Curta Brasileiro:

– “O Barco e o Rio”;

Longa Estrangeiro:

– “El gran viaje al país pequeno”;

Longa Brasileiro:

– “King Kong en Asunción”;

 

Júri da Crítica:

Curta Brasileiro:

– “Inabitável”;

Longa Estrangeiro:

– “El Gran Viaje al País Pequeño”;

Longa Brasileiro:

– “Um Animal Amarelo”.

Comentários

 




    gl