Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

9o Olhar de Cinema de Curitiba: ‘Los Lobos’

A 9o edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Cinema de Curitiba acontece em formato online até o próximo dia 15.

Nos últimos anos, a emigração tem sido debatida com frequência pelos veículos de comunicação, inclusive pelas controversas medidas migratórias defendidas pelo presidente Donald Trump, dentre elas, a construção de um muro na fronteira entre Estados Unidos e México. Nesta terça-feira, dia 13, a Mostra Competitiva da 9a edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Cinema de Curitiba levanta esta questão ao exibir o drama mexicano “Los Lobos” (Idem – 2019), de Samuel Kishi.

 

O filme conta a história de Lucía (Martha Reyes Arias), que deixa sua cidade natal, Juárez (México), para emigrar para os Estados Unidos em busca de uma condição de vida melhor para ela e os filhos, Max (Maximiliano Nájar Márquez) e Leo (Leonardo Nájar Márquez), que sonham em conhecer a Disney. Em solo americano, a família fixa residência em Albuquerque, Novo México, onde é confrontada pela dura realidade dos imigrantes, sobretudo ilegais. Enquanto Lucía trabalha em dois turnos, os meninos ficam isolados num pequeno apartamento, encarando as adversidades como podem.

 

“Los Lobos” é uma produção complexa que tem na sensibilidade de sua condução um dos maiores trunfos, pois o tema central proposto é esmiuçado com afinco sob a ótica de duas crianças que tiveram sua infância cerceada até mesmo no mais básico, como alimentação e educação. Apesar das restrições, os dois ainda encontram espaço para, inicialmente, brincadeiras um tanto lúdicas, mas o cenário que em nada remete à magia do mundo criado por Walt Disney impõe à Max o amadurecimento precoce ligeiramente acompanhado de revolta.

 

A ausência materna por longos períodos do dia e a falta de dinheiro acabam por transformar Max, algo que funciona graças à interpretação de Maximiliano Nájar Márquez, que consegue transmitir as distintas emoções de seu personagem de maneira a tornar crível as situações apresentadas na tela com o suporte de seu irmão na vida real, Leonardo Nájar Márquez. Juntos, os dois esbanjam carisma em cena, ofuscando seus colegas de elenco. A atuação de Martha Reyes Arias também chama a atenção porque a atriz, estreante em longas-metragens, constrói Lucía de forma contida, mas exprimindo a dor e o desespero apenas no olhar e pequenos gestos à medida que o trabalho a consome e a afasta de seus bens mais preciosos, os filhos.

 

Ainda abordando a barreira idiomática e a regeneração como consequência de um ato impensado, “Los Lobos” é um filme sobre solidariedade, segundas chances e recomeços que, mesmo sem a fábula de Walt Disney, encanta o espectador ao colocá-lo frente a frente com a tensão originada pela falta de oportunidades, principalmente para imigrantes, deixando a eles a religião como uma das fontes de suporte emocional e ajuda humanitária.

 

Assista ao trailer oficial com legendas em inglês:

Comentários

 




    gl