Após negar, X-9 conta com presença de Arlindo Cruz mas falha na plástica

Desfile 2019 da X-9 Paulistana. Foto: SRzd – Ana Moura

O desfile envolvido de maior comoção da primeira noite de espetáculo na passarela do samba de São Paulo, sem dúvida, era o da X-9 Paulistana, que aconteceu na madrugada deste sábado (2).

“Meu lugar é cercado de luta e suor, esperança num mundo melhor! O show tem que continuar”, foi o título escolhido para contar a história do cantor e compositor carioca Arlindo Cruz.

Se toda homenagem já é, por si só, algo extremamente emocionante, o estado de saúde do poeta e sua luta pela vida nos últimos anos potencializaram a atmosfera do Carnaval xisnoveano. Somou-se a isso a indefinição, as diversas versões e o mistério sobre a presença dele na Avenida, confirmada apenas algumas horas antes da entrada da escola no Anhembi.

+ galeria de fotos do desfile da X-9 Paulistana

+ vídeo: largada do desfile 2019 da X-9 Paulistana

Presidente
Branco

Carnavalesco
Amarildo de Mello

Intérprete
Darlan Alves

Coreógrafa de comissão de frente
Yáscara Manzini

1º casal de MSPB
Lys Grooters e Marquinhos

Mestres de bateria
Kito e Fábio

Rainha de bateria
Juju Salimeni

O título do tema da X foi inspirado em trechos de duas canções de Arlindo; “Meu lugar” e “O show tem que continuar”, em parceria com o lendário grupo de samba Fundo de Quintal.

Considerado um dos maiores artistas vivos do Brasil e ícone do gênero, Arlindo Cruz tem mais de 550 músicas gravadas por diversos intérpretes e é considerado o responsável pela proliferação do banjo no samba.

Em sua carreira, que contabiliza mais de três décadas de sucesso, frequentou, ainda jovem, as rodas de samba do Cacique de Ramos, integrou o Fundo de Quintal, fez parceria com Sombrinha e viajou por todo o País em turnês com sua carreira solo.

Com 59 anos, Arlindo Cruz sofreu, em março de 2017, um AVC hemorrágico, em sua casa, no Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro. Atualmente, segue em tratamento com o apoio incondicional de familiares, amigos e fãs. Carismático, fez incontáveis apresentações e composições para escolas de samba e projetos culturais.

E foram sua vida, sua obra, mas sobretudo, sua ligação com o cotidiano do povo mais pobre refletido em suas canções, que passaram pelos olhos do público no Anhembi.

A X-9 fez pequenas mudanças no seu  time de profissionais para esta temporada.

Darlan Alves seguiu no comando do carro de som pelo terceiro ano seguido. Além da renovação de contrato do carnavalesco Amarildo de Mello, ficaram os mestres Kito e Fábio Américo, no comando da bateria, e a coreógrafa Yáscara Manzini. Quem chegou foi Pe Santana, para o cargo de diretor de Carnaval.

Após a dupla Daniel Vitro e Lyssandra Grooters, primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, ter confirmada a continuidade do trabalho na agremiação, faltando poucas semanas para o desfile, Daniel saiu, dando espaço para Maquinhos.

O desempenho regular de alguns segmentos não escondeu os problemas plásticos do desfile, como falhas de acabamento e iluminação nas alegorias, e problemas com os figurinos de diferentes alas.

Ao contrário dos anos anteriores, a direção xisnoveana optou por não realizar o concurso de samba-enredo eliminatório para 2019. Então, foram convidados alguns poetas consagrados no segmento e que, de alguma forma, possuem relações com Arlindo.

É o caso de André Diniz, que ao lado de Arlindo e Martinho da Vila assinam o samba campeão da carioca Unidos de Vila Isabel, em 2013; “A Vila canta o Brasil, celeiro do mundo – Água no feijão que chegou mais um”, conhecido pelo refrão: “… Festa no arraiá é pra lá de bom…” .

Além de André formam a parceria Arlindinho, Cláudio Russo, Márcio André Filho, Valência e Darlan Alves, intérprete oficial da X. Acyr Marques chegou a ser anunciado com outro integrante do time, mas devido a dificuldade de agenda, não assina a obra.

Beth Carvalho, Péricles, Dudu Nobre, Leandro Lehart, Ronaldo Craque de Samba (ex-Fundo de Quintal), Prettos, Reinaldo, Armando Polêmico, Marquynhos Sensação, Xande de Pilares, o grupo Fundo de Quintal, Anderson e André do grupo Molejo, integrantes da Velha Guarda da X-9, Vai-Vai, Camisa Verde e Branco, Unidos do Peruche e Nenê de Vila Matilde, Turma do Pagode e Leandro Sapucahy foram chamados e gentilmente fizeram participações especiais gravadas em estúdio na produção da obra, o que mostrou a mobilização e o prestígio de Arlindo entre os seus.

Na Avenida, melodioso e bem conduzido por Darlan, o hino foi o motor para conduzir a passagem da agremiação da Zona Norte, encerrada já na manhã do sábado, com Arlindo ao lado de seus familiares no último carro, dividindo opiniões sobre a pertinência de sua presença, mesmo em estado de saúde tão debilitado.

+ galerias de foto

+ comissão de frente

+ primeiro casal de MSPB

+ alegorias

+ veja o desempenho da escola nos últimos cinco anos

A partir das 14h30 da próxima terça-feira (5), o portal SRzd transmite ao vivo, em parceria com a Rádio Trianon AM 740, a apuração dos desfiles das escolas de samba do Carnaval de São Paulo 2019.

Pelo oitavo ano consecutivo os destaques dos desfiles das escolas de samba da cidade de São Paulo receberão troféu exclusivo, oferecido pelo portal SRzd.

Voto popular e análise da equipe SRzd, que acompanha os bastidores das escolas de samba durante todo o ano; a somatória destes dois levantamentos vai determinar o resultado do Prêmio SRzd Carnaval SP 2019, ação que valoriza a cultura do samba na capital paulista e seus protagonistas. Em caso de empate, prevalece sempre o voto dos profissionais do SRzd.

A votação popular, que estará disponível através de enquete na página da editoria do Carnaval de São Paulo no SRzd, será aberta após o final do último desfile dos Grupos Especial e de Acesso 1. O resultado será divulgado na terça-feira (5), antes da apuração oficial pela Liga Independente das Escolas de Samba. Clique aqui e conheça todas as categorias.

+ confira a ordem completa de desfiles no Anhembi

Grupo Especial

+ Sexta-feira, 1 de março

1ª – 23h15 – Colorado do Brás
2ª – 0h25 – Império de Casa Verde
3ª – 1h35 – Mancha Verde
4ª – 2h45 – Acadêmicos do Tucuruvi
5ª – 3h55 – Acadêmicos do Tatuapé
6ª – 5h05 – X-9 Paulistana
7ª – 6h15 – Tom Maior

+ Sábado, 2 de março

1ª – 22h30 – Águia de Ouro
2ª – 23h20 – Dragões da Real
3ª – 0h30 – Mocidade Alegre
4ª – 1h40 – Vai-Vai
5ª – 2h50 – Rosas de Ouro
6ª – 4h00 – Unidos de Vila Maria
7ª – 5h10 – Gaviões da Fiel

Grupo de Acesso 1

+ Domingo, 3 de março

1ª – 21h – Mocidade Unida da Mooca
2ª – 22h – Independente Tricolor
3ª – 23h – Barroca Zona Sul
4ª – 0h – Nenê de Vila Matilde
5ª – 1h – Leandro de Itaquera
6ª – 2h – Camisa Verde e Branco
7ª – 3h – Unidos do Peruche
8ª – 4h – Pérola Negra

Grupo de Acesso 2

+ Segunda-feira, 4 de março

1ª – 20h – Primeira da Cidade Líder
2ª – 20h50 – Amizade Zona Leste
3ª – 21h40 – Torcida Jovem
4ª – 22h30 – Estrela do Terceiro Milênio
5ª – 23h20 – Unidos de Santa Bárbara
6ª – 0h10 – Tradição Albertinense
7ª – 1h – Uirapuru da Mooca
8ª – 1h50 – Imperador do Ipiranga
9ª – 2h40 – Camisa 12
10ª – 3h30 – Combinados de Sapopemba
11ª – 4h20 – Dom Bosco
12ª – 5h10 – Morro da Casa Verde

+ veja os preços dos ingressos para todos os dias e setores de desfile em SP

Comentários




    gl