‘Tá escrito nas estrelas’: Império de Casa Verde define samba para exaltar a cultura libanesa

Pavilhão da Império de Casa Verde. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz - SRzd

Pavilhão da Império de Casa Verde. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz – SRzd

Definido o hino que a Império de Casa Verde levará para Avenida no Carnaval de 2020. A escolha, entre três composições concorrentes na final do concurso de samba-enredo, aconteceu na madrugada deste domingo (8) na quadra social da azul e branca, na Zona Norte da capital paulista.

A trilha sonora oficial do enredo “Marhaba Lubnãn”, em homenagem a cultura libanesa, e que será desenvolvido pelo carnavalesco Flávio Campello, é de autoria de Chefia, Carlos Jr,Gui Cruz, Armênio Poesia, Darlan Alves, Fredy Vianna, Rodrigo Minuetto, Rodolfo Minuetto e Xandinho Nocera.

+ “Dream Team”, compositor da Império da Casa Verde exalta integrantes da parceria campeã

+ Galeria de fotos

Samba 8 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz
Samba 8 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz

No próximo ano, a Império será a sexta agremiação a desfilar na sexta-feira, dia 21 de fevereiro, no Sambódromo do Anhembi, pelo Grupo Especial paulistano.

Em entrevista recente ao SRzd, o carnavalesco Flávio Campello explicou a linha de samba que desejava para o desfile: “Um samba mais saudosista. Estamos sentindo falta disso no Carnaval de São Paulo. Gosto muito do samba da Mocidade Independente de Padre Miguel no ano de 2017,  falando do Marrocos. Acho que é uma linha de samba que todos nós nos encantamos logo de cara. A gente e  já memoriza por causa da lembrança afetiva. Acho que a proposta de plástica que a gente está desenvolvendo, condiz com o que gente está pedindo”, disse o artista.

+ Carnavalesco da Império de Casa Verde avalia samba escolhido: “É um pouco do que a gente queria”

+ Vídeo: diretor da Império de Casa Verde detalha os trabalhos no barracão

Assista ao anúncio do vencedor:

Confira a letra do samba campeão:

VEM DAS MÃOS DO CRIADOR
O CEDRO QUE A HISTÓRIA PRESERVOU
GUARDIÕES DA TERRA PROMETIDA
REVELAM MAGIAS,O SOPRO DA VIDA
NAÇÃO MILENAR
O SOL NÃO SE ESCONDE
GUERREIROS AO MAR
ALÉM DO HORIZONTE
SEGUEM AO TOQUE DO VENTO
AS DOBRAS DO TEMPO NA IMENSIDÃO
DAS DIVINDADES A FÉ E A PROTEÇÃO

TANTAS EMOÇÕES AO LUTAR
PRA TE DEFENDER, POR TE AMAR
SE A LAGRIMA ROLAR,FAZ PARTE DA MISSÃO
A FORÇA DE UMA NAÇÃO

HERANÇA QUE AO MUNDO SEDUZIA
A BRISA SE ESPALHAVA PELO AR
DAS CINZAS UMA LENDA RENASCIA
UM SONHO PARA IMORTALIZAR
OH MEU BRASIL!
HOJE A SUA ALMA É LIBANESA
UM ELO DE AMOR QUE NÃO DESFAZ
MEU TIGRE GUERREIRO NUM CANTO DE PAZ

TÁ ESCRITO NAS ESTRELAS
QUE DEUS É POR NÓS
A CASA VERDE É A NOSSA VOZ
EU SOU IMPÉRIO MAIS UM FILHO DESTE CHÃO
SÃO DUAS BANDEIRAS, UM SÓ CORAÇÃO

Assista a versão de divulgação dos autores:

Confira as apresentações dos três finalistas

Cada samba finalista foi apresentado para o público presente e comissão julgadora com duas passagens na marcação e cinco com o acompanhamento da bateria “Barcelona do Samba” comandada pelo mestre Zoinho. Confira a seguir, um trecho de cada exibição na ordem em que subiram ao palco.

+ Samba 18 – Compositores: Turko, Maradona, Rafa Do Cavaco, Silas Augusto, Zé Paulo Sierra, Luis Jorge e Fabio Souza

Samba 18 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz
Samba 18 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz
Torcida do Samba 18 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz
Torcida do Samba 18 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz

+ Samba 8 – Compositores: Chefia, Carlos Jr, Gui Cruz, Armênio Poesia, Darlan Alves, Fredy Vianna, Rodrigo Minuetto, Rodolfo Minuetto e Xandinho Nocera

Torcida do Samba 8 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz
Torcida do Samba 8 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz
Samba 8 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz
Samba 8 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz

+ Samba 1 – Compositores: Vaguinho, Calé, Marcelo Lepiane, Wagner Rodrigues, Chiquinho LS e Samir Trindade

Samba 1 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz
Samba 1 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz
Samba 1 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz
Samba 1 na final da Império de Casa Verde. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz

Festa teve dança do ventre e nova madrinha de bateria

Com a presença de um bom público e da comunidade do Tigre que contabiliza três títulos na divisão de elite do samba paulistano, o evento foi marcado pela disputa acirrada entre os compositores finalistas – que já havia superado outras nove obras  concorrentes – e outros atrativos, como uma performance de dança do ventre com o “Grupo 1001 Noites” e a entrega da faixa de madrinha de bateria para Theba Pitylla. Ela assume o lugar da apresentadora Lívia Andrade, que deixou a entidade após o Carnaval de 2019.

Grupo 1001 Noites. Foto: SRzd - Guilherme Queiroz - SRzd
Grupo 1001 Noites. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz – SRzd

Identificada com o pavilhão azul e branco, Theba, de 35 anos, é pedagoga, modelo fotográfica e bailarina de quadros de sucesso do “Programa do Faustão”. Já fez parte da comissão de frente e atuou em diversos segmentos da “Caçula do Samba”. Em seu currículo, que contabiliza passagens pela Vai-Vai e Dragões da Real, consta o título de Rainha do Carnaval de São Paulo de 2015, tendo realizado uma apresentação marcante. Em sua performance no quesito samba no pé, sua fantasia produziu um efeito que a transformou no palco em uma tigresa. Em 2017, recebeu a faixa e coroa de musa da Império de Casa Verde.

Durante sua trajetória, a passista que está envolvida com a folia desde os 8 anos de idade, viajou por diversos países do mundo como Japão, México, Argentina, Turquia, Seychelles e Zimbabwe no Sul da África levando nossa maior cultura popular brasileira em shows de Carnaval.

Segunda escola a desfilar na sexta-feira pelo Grupo Especial do Carnaval de São Paulo de 2019, a azul e branca ficou na quinta colocação ao apresentar no Anhembi o enredo “O Império contra-ataca”. Relembre o desfile.

Leia também:

+ Império de Casa Verde lança enredo para colônia libanesa em São Paulo

Comentários




    gl