Carnaval/SP

Começa série de análises dos casais de mestres-sala e porta-bandeiras; Cidade Líder e Amizade Zona Leste

Análise dos casais de MSPB 2019. Arte: Fausto Bueno

Ednei Mariano traz novo texto em sua coluna no portal SRzd.

As publicações são semanais, sempre às sextas-feiras, na página principal da editoria do Carnaval de São Paulo. Leia, comente e compartilhe!

A partir de hoje, começam as análises dos primeiros casais de mestre-sala e porta-bandeira que vão defender a nota em 2019.

Primeira da Cidade Líder e Amizade Zona Leste

Pelo Grupo de Acesso 2, 12 entidades desfilam no dia 4 de março no sambódromo do Anhembi.

A escola que abre esta divisão é a Primeira da Cidade Líder, campeã do Grupo Especial de Bairros da Uesp.

Localizada na região Leste de Sampa, tem como primeiro casal Higor Ferreira e Victoria Devone. Juntos há dois anos, receberam em 2018 duas notas 10 e um 9,9. Ambos são moradores da mesma região da Líder.

Comunicativo e sorridente. Assim é Higor, nascido no bairro da Liberdade, sob o signo de câncer.

Garoto de tudo, já andou por muitas escolas, sempre como mestre-sala, dentre elas destaco a Imperador do Ipiranga, Acadêmicos do Tatuapé, Acadêmicos do Ipiranga, Mancha Verde da Baixada e Padre Paulo, de Santos.

É comerciário e instrutor de dança no projeto Cisne do Amanhã.

Victoria Devone, esta linda menina de 22 anos, é graciosa, de gestos meigos, mas cativante. Nasceu no município de Santo André, na grande São Paulo. Seu signo é de touro e está cursando o ensino superior em Gestão de Recursos Humanos. Atualmente trabalha como Auxiliar Administrativo.

Vitorinha, como é conhecida no meio, começou no Carnaval na ala das crianças da Combinados do Sapopemba. Em 2009, faz o curso para porta-bandeira no Projeto Barracão, coordenados, na época, pelo casal Gabi e Vivi, ícones da nossa dança.

Ao fim do projeto iniciou sua arte na Unidos de São Lucas e, paralelamente, desfilou em várias escolas do ABC. No ano de 2016 foi levada por José Luiz Castro, atual Presidente do Cisne do Manhã, para ser a primeira-dama da Líder, onde vai para seu terceiro ano.

A segunda a cruzar a pista do Anhembi é a Amizade Zona Leste.

Sua sede fica em São Matheus, também no lado Leste.

A verde, branco, azul e vermelho traz para a pista uma dupla sedenta para reconquistar os valiosos décimos perdidos em 2018.

O talentoso casal João Lucas e Jacque Silva, em seu terceiro ano de parceria, enfrentou um desastre com o talabarte da dama, o que fez com que obtivessem dos jurados um dez, um 9,9, um 9,8 e um duríssimo 9,5, depois de dois anos com nota máxima no quesito.

João Lucas, moleque ligeiro, jambo praiano, nasceu e cresceu em Itanhaém, no litoral paulista. Geminiano de 25 anos, é formado em Comércio Exterior e Pedagogia. Desde garotinho é um admirador da arte.

Os pais Moacir e Simone levavam o garoto em todos os desfiles de escolas da Baixada e ainda acompanhavam pela TV.

Sentiam que quando da passagem do casal os olhinhos de João brilhavam e a mãe toda feliz dizia ter o sonho de ver o filho dançando como mestre-sala.

O tempo passou, o filho cresceu e veio para Sampa fazer o curso na Amespbeesp, em 2014. No ano seguinte foi convidado para desfilar no quadro de casais dos Acadêmicos do Ipiranga. Com seu progresso em dança, logo foi para a Colorado do Brás, levado por Gilson Santos e Adriana Costa, os primeiros de lá na época.

João se aprimora e cresce na dança, sendo convidado para ser o primeiro na Amizade Zona Leste. Também por sua qualificação profissional para ser instrutor da associação que o revelou para a dança.

Jacque Silva, primeira dama do Amizade há 7 anos, com exceção de 2018, sempre obteve notas altíssimas. É dona de casa, mãe de Isabela e Matheus Andrade. Se destaca também na culinária com pratos deliciosos e muitas iguarias. Divide as tarefas da casa cuidando dos estudos do seu casal de filhos adolescentes.

No Carnaval da entidade onde dança, atua também, já que o marido é o atual Presidente, Marcelo Maua.

Jacque começou a dançar na sua cidade natal, Mauá, também na grande São Paulo. A Beira Rio foi sua primeira entidade, depois, a Seci, em Santo André. Seu amor ao pavilhão da Amizade é incondicional!

Estão trabalhando muito em ensaios semanais, buscando condicionamento físico para dar o melhor em favor do pavilhão que tanto amam.

 

Comentários




    gl