Sambistas revelam em qual posição preferem desfilar no Carnaval 2020

Sorteio da ordem de desfiles do Carnaval de São Paulo 2019. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz

Nesta terça-feira (18), a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo realiza o sorteio que irá definir a ordem oficial dos desfiles do Carnaval de 2020. O evento, previsto para começar às 20h no Hall do Palácio das Convenções do Anhembi, será restrito a convidados, imprensa e representantes das agremiações.

Com sete escolas em cada noite, os desfiles do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo em 2020 acontecerão na sexta-feira, dia 21 de fevereiro e no sábado, dia 22 de fevereiro. Enquanto o Grupo de Acesso 1 será realizado no domingo, 23 de fevereiro e o Grupo de Acesso 2 vai ocorrer na segunda-feira, 24 de fevereiro.

Vale lembrar que a Liga-SP divulgou no último dia (3) os dias em que as agremiações do Grupo Especial irão desfilar em 2020.

De acordo com o regulamento – por ser a atual campeã do Grupo Especial – a Mancha Verde tem o direito de escolher o dia e sua posição de desfile no próximo ano. Em entrevista ao SRzd, o presidente Paulo Serdan antecipou quando a sua escola irá se apresentar.

Palpites dos Sambistas

A reportagem do portal SRzd conversou com representantes das escolas de samba que irão participar do sorteio do Grupo Especial. A todos foi feita a mesma pergunta: “Se você tivesse o poder de escolher, qual seria a posição do seu desfile?

Sexta-feira

Flávio Campello, carnavalesco da Império de Casa Verde:

“Acho que a quinta seria um momento apoteótico. Por conta do fuso-horário com o Líbano. 4h da madrugada aqui seria 10h da manhã lá”.

Flávio Campello. Foto: SRzd – Cláudio L. Costa

Higor Silva, mestre de bateria da Acadêmicos do Tatuapé:

“Acredito que sendo a quinta escola, estaria de bom tamanho para nós. É um horário que nós escolhemos há dois anos”.

Higor Silva. Foto: SRzd – Bruno Giannelli

Yaskara Manzini, coreógrafa da X-9 Paulistana:

“Eu acho que seria legal ser a quinta escola, após a passagem da campeã. É super complicado desfilar na sexta-feira, pois as pessoas trabalham. Então a gente não consegue se concentrar cedo. A concentração acontece tarde. Então você tem um bom público desfilando após a campeã, são quase 4h da manhã, e o pessoal ainda não está muito cansado. Então ainda da para pegar um público mais animado. Nos últimos horários o pessoal da arquibancada já está desanimado. E até para a gente que dança, o corpo ainda está num estado de atenção. Quando começa a clarear o dia, começa a bater cansaço e isso gera mais esforço físico”.

Yaskara Manzini. Foto: Rádio Trianon.

Renato Rodrigues, o Tomate, presidente da Dragões da Real:

“Acho quem quer ser campeão, não escolhe nem dia e nem hora. Agora a Dragões está disposta e preparada para desfilar em qualquer horário. Mas vou dizer uma coisa: o último título da Dragões, no grupo de Acesso, foi às 6h da manhã, com o dia claro. Talvez chegou a hora da Dragões encerrar uma noite de desfiles, algo que ela nunca fez no Grupo Especial. Já fomos a primeira, segunda, quarta, quinta e sexta. Nunca a terceira ou a sétima. Fica ai curiosidade”.

Renato Remondini. Foto: SRzd – Bruno Giannelli

Sábado

André Machado, carnavalesco da Rosas de Ouro:

“Se encontrasse o “gênio da lâmpada”, um dos meus desejos seria escolher a quarta posição no sorteiro da ordem dos desfiles oficiais das escolas de samba. A Rosas de Ouro vai desfilar no sábado, dia 22, mês 02, do ano de 2020 e a soma do dia e do ano dá 4, um número cabalístico e cheio de simbologias”.

André Machado. Foto: SRzd – Cláudio L Costa

Igor Sorriso, intérprete da Mocidade Alegre:

“Sem sombra de dúvidas a terceira escola. Porque a escola já está acostumada com o horário, com esse momento. E a gente entra com uma energia muito boa. Não que em outros horários a gente não entraria. Mas é um horário que a escola já tem toda uma organização, um planejamento e a gente consegue desfilar sempre muito bem como a terceira de sábado”.

Igor Sorriso. Foto: SRzd – Bruno Giannelli

Adilson José, presidente da Unidos de Vila Maria:

“Nós queremos ser quinta escola.Para pegarmos os apaixonados por Carnaval no seu melhor momento”.

Adilson José. Foto: SRzd – Fausto D’Império

Juca Guerra, mestre de bateria da Águia de Ouro:

“Escolheria ser a quarta escola. Porque está no meio do bolo. E já tem visto outras escolas passarem”.

Juca Guerra. Foto: SRzd – Cláudio L. Costa

Marcio Rodrigues de Souza, diretor da Gaviões da Fiel:

“Escolheria a quarta escola. A quinta não ficaria triste. Mas a quarta escola é o meio da festa, o Anhembi está com um clima muito forte, com o público empolgado, ainda no gás, no pique. Acho que o componente não fica cansado de esperar muito, muitas horas concentrado, muitas horas de espera. O componente está com mais gás. A plástica do desfile à noite é diferente, muda o aspecto visual. Não sou á favor de desfilar de dia. Porém tivemos uma grata surpresa este ano (de 2019) que nós encerramos o desfile e foi aquele espetáculo”.

Marcio Rodrigues de Souza. Foto: SRzd – Nicolas Barbosa

Leia também:

– Rogério Felix: ‘O horário do desfile envolve decisões importantes para as escolas de samba’

– Mestre Mercadoria fala da importância do sorteio que define ordem de desfile no Carnaval

– Diretor da Mocidade Alegre revela estratégias que envolvem as posições de desfiles

Comentários




    gl