‘Realizado’: mestre Tornado fala da emoção ao pisar novamente no terreiro da Vai-Vai

Mestre Tadeu e Mestre Tornado na Vai-Vai. Foto: Reprodução – Junior Cabrino

Realizado. Assim José Jorge Teles Santos, o mestre Tornado, definiu o último dia de domingo (20), quando pisou no terreiro da Vai-Vai.

O sambista que lidera os ritmistas da Dragões da Real desde 2015, possui uma grande identificação com a alvinegra do Bixiga. Por lá, iniciou sua carreira sambística no Carnaval de 1978, ano em que a escola conquistou seu primeiro título. Ele permaneceu por mais 20 anos na agremiação, ganhando dois prêmios “Repinique de Ouro”, até que em 1998 deixou a “Saracura” para realizar um novo sonho, o de ser mestre de bateria.

Confira a depoimento de Tornado falando da emoção ao retornar a Vai-Vai:

“Desde de manhã aquela ansiedade. O que fazer? Levar uma bateria grande? Uma bateria pequena? A ideia era fazer uma boa apresentação e mostrar o que eu aprendi por lá”, afirmou Tornado ao comentar a oportunidade em retornar ao espaço de ensaios da Vai-Vai após mais de 20 anos para realizar uma apresentação oficial.

Vídeo: de “De lugar para gente feliz” para “Quem nunca viu o samba amanhecer”

Eu queria mostrar que era o bom filho voltando a casa, mas num patamar elevado

Após a saída da “Saracura”, ele se tornou mestre de bateria da X-9 Paulistana, onde ficou por oito anos e conquistou o campeonato no Carnaval 2000. Em 2008 assumiu o comando do ritmo da Sociedade Rosas de Ouro, permanecendo até 2013, quando se transferiu para a Imperador do Ipiranga, onde ficou por uma temporada.

Outra marca de sua carreira foi uma incrível sequência de resultados positivos. Durante doze anos consecutivos só recebeu notas máximas da comissão julgadora, mesmo considerando os eventuais descartes.

Mestre Tornado na Vai-Vai. Foto: Reprodução – Junior Cabrino

O respeito ao mestre Tadeu

Outro momento importante para Tornado neste reencontro com suas origens, foi o encontro com o mestre Tadeu, comandante da bateria da Vai-Vai há mais de quadro décadas.

“Aprendi muito com o Tadeu e respeito muito ele. É muito tempo à frente de uma bateria. Não é fácil conduzir mais de 200 pessoas por tanto tempo. Tem que respeitar a história dele. Nesse momento ímpar ele me agradeceu e me parabenizou pelo o que me tornei no samba”, completou Tornado sem esconder a alegria e a satisfação pelo atual momento de sua carreira. Ele não esconde a satisfação por exercer a função de mestre de bateria da Dragões da Real.

De fato, existem emoções que apenas o Carnaval e suas nuances são capazes de aflorar nos sambistas e proporcionar a seus admiradores.

Confira trecho da apresentação da bateria da Dragões no ensaio da Vai-Vai:

Carnaval 2020

Em 2020 a Dragões da Real vai apresentar na Avenida o enredo: “A Revolução do Riso: A arte de subverter o mundo pelo divino poder da alegria”, que será desenvolvido pelo carnavalesco Mauro Quintaes.

O samba-enredo leva a assinatura de Aquiles da Vila, Rapha Sp, Marcus Boldrini, Leandro Flecha, Ítalo Pires e Salgado Luz.

Comentários




    gl