‘O tambor me chamou’: Mocidade Alegre define samba para o Carnaval 2024

Compositores campeões na Mocidade Alegre. Foto: Guilherme Queiroz

Compositores campeões na Mocidade Alegre. Foto: Guilherme Queiroz

A atual campeã do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, a Mocidade Alegre, definiu, na noite deste domingo (27), o seu samba-enredo para o Carnaval de 2024, quando apresentará na Avenida o enredo Brasiléia Desvairada: A busca de Mário de Andrade por um país, desenvolvido pelo carnavalesco Jorge Silveira.

Após a apresentação das parcerias de quatro obras concorrentes, em festa realizada na quadra com a presença da comunidade, a letra criada pelos compositores Biro Biro, Turko, Gui Cruz, Rafa do Cavaco, Minuetto, João Osasco, Imperial, Maradona, Portuga, Fabio Souza, Daniel Katar e Vitor Gabriel, do “Samba 10”, foi consagrada campeã do concurso e será cantada pelo intérprete Igor Sorriso no terceiro desfile de sábado, dia 10 de fevereiro, no Sambódromo do Anhembi.

+ Confira a galeria de fotos da final

Além da festa das torcidas dos sambas finalistas, presença de sambistas de escolas coirmãs e da exibição dos segmentos da agremiação liderada por Solange Cruz, o evento também marcou a apresentação oficial do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Diego Motta e Natália Lago (Clique aqui para ver o vídeo).

Confira o anúncio do campeão

Confira a letra

Sou dessa terra
Filho da garoa fina
Onde a dura poesia, me fez arlequim
Retalho de um delírio insano,
Sagrado e profano, por tantos brasis
Trilhando caminhos de crença e paz
Dourado é teu chão… oh Minas Gerais!
Eu vi no traço genial
A arte barroca, um dom divinal

Jangadeiro ê… no banzeiro
No balanço navego teu rio-mar
Pra conhecer o teu sabor Marajó
Tem batuque na gira do Carimbó

Baque virado, marimba na congada
Noite enluarada, no Maracatu da Casa Real
Fechei o corpo no catimbó
No frevo, saudade só
Me embriaguei de carnaval
Oh Brasiléia Desvairada
Onde a poesia fez morada
De cada lembrança, escrevo a história
Batizada no samba de Pirapora

O tambor me chamou, pra firmar no terreiro
Em cada verso, sentimento verdadeiro
Bordei um país de felicidade
Na voz da minha Mocidade

Versão do samba gravado em estúdio

 

Comentários

 




    gl