Citando três coirmãs, presidente da Águia de Ouro pede Carnaval mais voltado as raízes da cultura negra

Sidnei Carriuolo. Foto: Rádio Trianon

Um dos presidentes há mais tempo no cargo, Sidnei Carriuolo, da escola de samba paulistana Águia de Ouro, concedeu entrevista ao “Programa No Mundo do Samba”, veiculado pela Rádio Trianon AM e retransmitido pelo portal SRzd.

Durante sua participação no último dia 26 de agosto, o dirigente afirmou que é preciso “resgatar dentro das próprias escolas de samba as origens”. 

Ao falar sobre resgate, Sidnei citou três coirmãs, dizendo o seguinte: “A gente não pode mudar a cara de uma cultura que é de origem negra. O grande tripé do Carnaval são as escolas que infelizmente hoje estão no Grupo de Acesso 1: Nenê, Camisa e Vai-Vai. A maneira que se conduziu o Carnaval, fez com que essas escolas, de uma certa forma, perdessem a força. O Carnaval é nada mais, nada menos, que uma manifestação espontânea, e isso o negro tem de sobra”.

Confira na íntegra:

+ Ouça a reprise do programa

Em 2020 a Águia de Ouro vai apresentar na Avenida o enredo “O poder do saber. Se saber é poder… quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, quando será a quinta agremiação a se desfilar no sábado, 22 de fevereiro, na disputa do  título do Grupo Especial paulistano.

+ Clique aqui para ver a cobertura completa da final de samba-enredo

Comentários




    gl