Mocidade Alegre anuncia enredo que exalta força das orixás femininas

Lançamento do enredo 2020 da Mocidade Alegre. Foto: SRzd – Guilherme Queiroz

Uma das mais tradicionais agremiações paulistanas, a Mocidade Alegre apresentou seu enredo para o Carnaval 2020.

“Do Canto das Yabás, Renasce uma nova Morada” será a história a ser desenvolvida pelo carnavalesco Edson Pereira, artista que assinará seu primeiro trabalho em São Paulo. Também fazem parte da comissão de Carnaval, Paulo Brasil e Márcio Gonçalves. Será o oitavo enredo que exalta elementos das matrizes culturais africanas na história da agremiação.

+ Edson Pereira comenta o enredo da Mocidade Alegre

+ Solange Cruz fala da avaliação dos jurados no Carnaval 2019

+ Galeria de Fotos da festa de lançamento do enredo

“Já estamos trabalhando. Agradeço a confiança da presidente Solange e toda equipe. Estou com sangue nos olhos para fazer um Carnaval campeão”, disse Edson Pereira nos minutos que antecederam uma encenação que marcou a apresentação do enredo, transmitida ao vivo pelo SRzd.

“Era um sonho da minha irmã. Assim como 2004, o enredo da Morada, quando minha irmã faleceu, estava praticamente organizado. Este enredo também. Ele foi aprimorado. É por que a minha comunidade pede e vocês merecem. Eu sempre vou ouvi-los. Vocês podem até achar que não, mas eu vou ouvi-los”, disse a presidente Solange, sem esconder a emoção ao anunciar o título oficial.

Assista a apresentação do enredo 

O desfile da Mocidade Alegre em 2020 propõe uma celebração à vida e à natureza, com o poder do Canto das Yabás para que o planeta deixe de ser destruído, bem como os maus pensamentos, sentimentos e atitudes humanas que caminham para o caos.

A escola promete mostrar um canto de esperança para que a humanidade melhore e retome sua conexão com Olorum – o criador do mundo – e a Terra volte a ser um paraíso.

O enredo irá transmitir a mensagem de que para os seres humanos conseguirem tudo isso, precisarão estar preparados para reconhecer a sabedoria, a força e o poder feminino.

Logotipo do enredo da Mocidade Alegre 2020. Foto: Divulgação
Logotipo do enredo da Mocidade Alegre 2020. Foto: Divulgação

Casa cheia e shows dos segmentos e intérpretes

O lançamento aconteceu em festa realizada na noite do último sábado (25), na sede social da escola na Zona Norte da cidade, com a presença da comunidade da “Morada do Samba”e convidados de diversas agremiações. Mesmo com a baixa temperatura, a quadra esteve cheia durante praticamente todo o evento.

O público presente acompanhou diversas atrações, entre elas, apresentações do Grupo Miscigenação, Poetas da Morada, casais de mestre-sala e porta-bandeira, velha guarda, baianas “Puro Fervor” e da bateria “Ritmo Puro” comandada pelo mestre Sombra tendo à frente dos ritmistas a rainha Aline Oliveira.

Também se apresentaram no palco os intérpretes Agnaldo Amaral (Nenê de Vila Matilde), Tiganá (Camisa Verde e Branco), Celsinho Mody (Acadêmicos do Tatuapé e Paraíso do Tuiuti) e Darlan Alves.

(clique nas imagens para ver em tamanho ampliado)

Segmentos da escola são reformulados

Em seu último desfile, a Mocidade Alegre ficou com a modesta oitava colocação no Grupo Especial ao apresentar o enredo “Ayakamaé; as águas sagradas do sol e da lua” (Clique aqui para relembrar). Este resultado parece ter influenciado a decisão da diretoria em realizar algumas reformulações em seu elenco para o próximo Carnaval.

Magno Oliveira foi anunciado como novo responsável pela harmonia. O departamento sofreu uma adaptação em sua composição. Anselmo Moreira, Dudu Teixeira e Roberto Zangado, diretores gerais de harmonia em 2019 agora fazem parte da direção de Carnaval, que continua contando com o trabalho de Junior Dentista.

No microfone principal, foi confirmada a permanência de Igor Sorriso, assim como a bateria “Ritmo Puro”, que mais uma vez terá a regência de mestre Sombra e o reinado de Aline Oliveira como rainha. A coreografia da comissão de frente continua com o coreógrafo Jhean Alex e direção artística de Renan Rodrigues.

Um segmento ainda segue indefinido para o próximo ano: o cargo de mestre-sala. Emerson Ramires, que desde 2013 ostentava o pavilhão oficial da “Morada” com Karina Zamparolli, anunciou seu desligamento no dia 4 de abril.

Comentários




    gl