‘Meu Carnaval não é pizza’: Liga-SP rebate críticas contra investimento nos desfiles

Sede da Liga-SP. Foto: SRzd

Sede da Liga-SP. Foto: SRzd

A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo utilizou suas redes sociais para defender o investimento público no Carnaval.

A publicação acontece dias após o portal G1 informar que a Prefeitura de SP manteve o repasse de cerca de R$ 33 milhões para as escolas de samba, blocos e cordões carnavalescos da cidade, referentes aos desfiles de 2021. Previsto para julho deste ano, o prefeito Bruno Covas anunciou no último dia 12 (sexta-feira) o cancelamento definitivo da festa.

“A Prefeitura de São Paulo esclarece que o Carnaval de São Paulo teve seu cancelamento anunciado nesta sexta-feira, 12 de fevereiro. O contrato firmado com a SPturis, ainda em 2020, é de R$ 33 milhões e neste momento estão sendo estudadas alternativas para aplicação nos desfiles de 2022”, afirmou em nota a prefeitura.

Na publicação feita pela Liga-SP, o vereador e presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Milton Leite (DEM), justificou a aplicação dos recursos públicos no Carnaval, lembrando que em 2020 o município teve um retorno de mais de R$ 2 bilhões.

Confira a publicação:

Rolou um barulhinho nos últimos dias, de gente — e de sites — que têm como estratégia política a desinformação. Falaram que meu samba dá prejuízo, cantaram vitória em cima do cancelamento do Desfile das Escolas de Samba de São Paulo em fevereiro e da folia virtual organizada pela Prefeitura. Só que meu Carnaval não é bagunça, eu não vivo de polêmicas e aqui não tem espaço pra desserviço.
Meu Carnaval traz 2 bilhões de reais pra capital, anualmente. Sim, porque meu Carnaval NÃO É PIZZA, não se faz de uma hora pra outra, se constrói o ano todo. Meu Carnaval sustenta uma cadeia produtiva da economia criativa paulistana para além de fevereiro. Minhas escolas de samba ajudaram INÚMERAS pessoas com projetos sociais antes e, principalmente, durante a pandemia. Agora, tem gente que não sabe nada de samba, pega o bonde andando e quer sentar na janelinha, e outras pessoas que pouco fizeram pela sociedade na pandemia — inclusive desrespeitando a quarentena — querem crescer apoiados na promoção do ódio e da desinformação do Carnaval que a gente faz com tanto compromisso???
PRA CIMA DE MIM NÃO, BEBÊ!










Comentários

 




    gl