Marcão recorda passagem pela Camisa Verde e Branco e exalta mestre Zoinho

Mestre Marcão. Foto: Liga-SP – Felipe Araújo.

Marco Antonio da Silva, o mestre Marcão, liderou no Carnaval 2020 a bateria da tradicional Camisa Verde e Branco. Sob seu comando, os ritmistas conquistaram duas notas 10 e duas 9,9.

Convidado da live do SRzd“Terça-feira de Carnaval”, Marcão – que em 2021 vai reger a “SuperSom”, da Paraíso do Tuiuti – falou sobre os desafios de liderar a “Furiosa da Barra Funda”, desejou boa sorte ao novo mestre da escola e relembrou o convite do mestre Zoinho para integrar a “Barcelona do Samba”, da Império de Casa Verde.

Mestre Marcão na final de samba-enredo 2020 da Camisa Verde e Branco. Foto: SRzd – Fausto D’Império

Sobre sua chegada no “Trevo”, o sambista pregou humildade ao assumir o comando de uma das baterias mais tradicionais do Carnaval paulistano e afirmou ter ficado satisfeito com o trabalho realizado: “Eu cheguei lá no Camisa com a proposta de dar continuidade no trabalho. Muita gente falou que: ‘ele vai chegar para botar a caixa em cima’ e não é nada disso. A gente não pode chegar e trocar tudo, porque é uma bateria de tradição, é caixa embaixo. Eu tinha que chegar e fazer um trabalho dentro daquilo que era o Camisa Verde e Branco, porque é de geração para geração. Então eu fui pegar um pouquinho de cada um ali, sabendo o que era, como era, para a gente poder implantar, se adaptar e resgatar”.

“Agradeço muito a presidente Erica Ferro e principalmente a todos os ritmistas da bateria ‘Furiosa da Barra Funda’ por terem abraçado o trabalho. Tivemos uma boa apresentação e uma boa conduta. Tentei resgatar aquela rapaziada que estava fora e graças a Deus fizemos um bom trabalho”, exaltou o mestre.

Desfile 2020 do Camisa Verde e Branco. Foto- SRzd – Ana Moura

No próximo Carnaval, a bateria da agremiação será regida por Renan Calmon. Durante o bate-papo, Marcão elogiou Renan e afirmou estar torcendo pelo sucesso da verde e branca.

“Vou torcer sempre a favor deles, independente quem estiver lá. O mestre Renan é um parceiro meu, que saí aqui também na Tijuca, ele é primo do Fernando Neninho e do Jeyson Ferro, que também já foram mestres da bateria. É uma grande família”, afirmou.

Mestre Zoinho e Marcão. Foto: SRzd – Alexandre Pinotti

Por fim, o mestre relembrou o convite recebido pelo comandante da bateria da Império de Casa Verde, Robson Zoinho, após sua saída do Salgueiro em 2018.

“Estou com ele desde 2019. Eu saí do Rio de Janeiro num dia e no outro dia ele me telefonou e disse: ‘vem para cá, que vamos dividir a frente da bateria’. Eu falei que não precisava disso, mas ele insistiu. Ele pagou minha passagem de ida e volta. É um cara ímpar, é um irmão que eu tenho”, finalizou.

Mestre Marcão. Foto: SRzd – Claudio L. Costa










Comentários

 




    gl