Carnaval SP: Liga anuncia saída de Serginho; diretoria provisória busca gestor

Sede da Liga-SP. Foto: SRzd

Sede da Liga-SP. Foto: SRzd

Em decisão tomada na última segunda-feira (4) e divulgada em nota publicada em seu site oficial na noite desta terça-feira (5), a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo anunciou que optou por um novo modelo de gestão.

Segundo o comunicado, uma assembleia geral extraordinária definiu uma diretoria provisória que atuará nos próximos 90 dias.

A composição é a seguinte: Sidnei Carriuolo (presidente da Águia de Ouro), que coordenará a transição, com a participação de Luciana Silva (presidente da Tom Maior) na parte administrativa, Jamil Elselam (presidente da Acadêmicos do Tucuruvi), respondendo pelo financeiro e Darly Silva (presidente afastado da Vai-Vai) na direção de Carnaval.

Ao lado desta diretoria, um comitê gestor buscará um gestor profissional, sem ligação com escolas de samba, para iniciar um novo modelo de administração.

A nota traz agradecimentos a Paulo Sérgio Ferreira, o Serginho, que estava no comando da maior entidade gestora do samba paulistano. Serginho foi eleito pela primeira vez no ano de 2009, deste então, se reelegeu no anos de 2013 e 2017. O mandato estava previsto para terminar no dia 19 de julho de 2021.

A justificativa para a mudança é estratégica: “modernizar e se adaptar aos novos moldes de gestão visando o crescimento do Carnaval de São Paulo”.

Serginho na apuração do Carnaval de São Paulo 2020. Foto: SRzd – Bruno Sereno
Serginho na apuração do Carnaval de São Paulo 2020. Foto: SRzd – Bruno Sereno

Leia na íntegra:

“A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo informa que optará por um novo modelo de gestão de agora em diante. A decisão foi tomada em assembleia geral extraordinária, realizada na noite desta segunda-feira (4). Pelos próximos 90 dias, uma diretoria provisória, liderada pelo presidente Sidnei Carriuolo, coordena a transição, com a participação de Luciana Silva (Administrativo), Jamil Elselam (Financeiro) e Darly Silva (Carnaval).

Durante este período, um comitê gestor trabalhará junto com a diretoria para encontrar o nome de um gestor profissional, sem ligação com a diretoria das agremiações filiadas, para colocar em prática um novo modelo de administração.

Vale ressaltar que esta mudança visa única e exclusivamente modernizar e se adaptar aos novos moldes de gestão, sempre pensando no crescimento do Carnaval de São Paulo, uma das principais marcas da administração do presidente Paulo Sergio Ferreira (Serginho), a quem o Carnaval paulistano e as escolas de samba agradecem e reconhecem por todos esses anos de dedicação e empenho.”

Sobre a Liga-SP

Fundada em 1986, a Liga-SP é responsável pelos Grupos Especial e de Acesso do Carnaval paulistano. Qualificada como organização da sociedade civil de interesse público, junto ao Ministério da Justiça, promove e produz os desfiles das trinta e quatro escolas de samba que integram as principais divisões da folia na cidade.

Além de executar o espetáculo, a Liga é responsável pelo desenvolvimento cultural, social e econômico deste segmento do Carnaval. Ao longo destas mais de três décadas atravessou a mudança do palco de desfiles, saindo da Avenida Tiradentes para o Sambódromo do Anhembi, inaugurado em 1991.

Também liderou o desmembramento do espetáculo do Grupo Especial em dois dias, dividindo as apresentações que eram realizadas apenas aos sábados, com a sexta-feira. Atualmente, administra a “Fábrica do Samba I”, entregue parcialmente, abrigando sete agremiações do Especial, e a “Fábrica do Samba II”, recebendo as entidades do Acesso 1 e Acesso 2. Ambas as instalações foram concebidas para receber os barracões das escolas, equacionando um problema histórico dos sambistas de São Paulo.








Comentários

 




    gl