Almir Guineto será tema de enredo no Carnaval de São Paulo em 2020

Almir Guineto. Foto: Reprodução

Considerado como um dos maiores representantes do samba de raiz, Almir Guineto, que morreu aos 70 anos de idade no dia 5 de maio de 2017 no Rio de Janeiro, vítima de complicações renais causadas pelo diabetes, será homenageado no Carnaval de 2020.

A trajetória do sambista, compositor e cantor carioca será tema do enredo da escola de samba paulistana Combinados de Sapopemba, que integra o Grupo Especial de Bairros. O título oficial do tema é: “Almir Guineto – Deixe de lado esse baixo astral… erga a cabeça enfrente o mal.”

“É com um enorme prazer que em 2020 a Combinados de Sapopemba trará para a avenida, uma homenagem válida e precisa, um dever a ser cumprido, saudar esse grande sambista…”, diz o comunicado compartilhado pela direção da agremiação em sua página no Facebook. Os desfiles do Grupo Especial de Bairros acontecem no sábado e domingo de Carnaval. A ordem das apresentações será definida pela União das Escolas de Samba Paulistanas (Uesp).

Breve a diretoria da Combinados de Sapopemba deve anunciar mais detalhes sobre como será o desenvolvimento do desfile, que ficará por conta do carnavalesco Léo Santos, que retorna para a entidade em que atuou nos anos de 2008, 2011, 2014, 2016, 2017 e 2018.

Fundador do grupo Fundo de Quintal, Almir Guineto foi um dos maiores representantes do samba de raiz. Além disso, inovou ao introduzir o banjo adaptado com um braço de cavaquinho.

Filho de importantes figuras de uma das mais tradicionais escolas de samba do país, a Acadêmicos do Salgueiro, Guineto foi mestre de bateria na vermelha e branca, sucedido por seu irmão, mestre Louro, que comandou a “Furiosa” por mais de trinta Carnavais.

Fomentador do bloco Cacique de Ramos, referência no segmento, o sambista foi, ao longo de mais de quatro décadas de estrada, um dos expoentes do gênero. De estilo único, fala rouca e rara sensibilidade para traduzir em música o cotidiano do subúrbio, consolidou-se como compositor ao ter dezenas de canções eternizadas nas vozes de diversos nomes importantes da música popular.

Almir era dono da “boa malandragem”, mas sem perder a sensibilidade para falar de amor, sobretudo, os não correspondidos.

Em São Paulo, também deixou sua marca. E “grande” como era, teria de ser na maior campeã da cidade. À Vai-Vai, ao lado de Luverci Ernesto, num momento único de inspiração, concebeu um dos mais vibrantes sambas de exaltação: “À luta, Vai-Vai”. Ainda assinou dois sambas de enredo na alvinegra, nos anos de 1979: “Festa de um povo em sonho e fantasia”, e 1980: “Orgulho da Saracura”.

Combinados de Sapopemba quer voltar a desfilar no Anhembi

No Carnaval de 2019 a escola de samba Combinados de Sapopemba ficou na décima segunda colocação do Grupo de Acesso 2 em São Paulo. Com o resultado, a agremiação que apresentou no Anhembi o enredo “A bença minha mãe baiana” na segunda-feira, dia 4 de março, foi rebaixada para o Grupo Especial de Bairros.

– Veja fotos do desfile

– Assista ao vídeo com imagens do início do desfile

Leia também:

– Após queda, presidente diz que escola é vítima de armação, boicote e conspiração suja

Comentários




    gl