Viradouro ‘veste ouro’ em noite de gala e escolhe samba da parceria de Dadinho

Final da Viradouro de 2019. Foto: Reprodução

Faltam adjetivos para a final de samba-enredo da Viradouro deste sábado (21). Uma superprodução que só reforça o gigantismo que a escola vem atingindo nos últimos anos. A noite de gala entrou pra história da agremiação, assim com o samba da parceria de Dadinho, Fadico, Rildo Seixas, Manolo, Anderson Lemos, Carlinhos Fionda e Alves, que venceu a disputa e representará o enredo “Viradouro de alma lavada”, dos carnavalescos Tarcísio Zanon e Marcus Ferreira.

+ Ouça o samba campeão

Final da Viradouro de 2019. Foto: Reprodução

Vitória ensaboada

Em uma final de altíssimo nível e muito equilibrada, prevaleceu o samba com um refrão que já virou hit no Carnaval. Os versos “Oh, mãe/Ensaboa, mãe/Ensaboa pra depois quarar” caíram nas graças do público e têm tudo pra ser sucesso na Avenida. Assim como o trecho principal da obra, que afirma: ‘Quem lava a alma dessa gente veste ouro, é Viradouro, é Viradouro!”.

A apresentação da composição vencedora contou com o ‘mister-final’ Tinga e Diego Nicolau, que conduziram com brilhantismo e garra a passagem no palco. Além da torcida, componentes da escola cantaram e mostraram apoio à obra durante o show.

Vale ressaltar a bela apresentação realizada pelos outros dois finalistas: Claudio Mattos e cia; e Dan Passos e cia. Qualquer um dos três sambas poderia representar bem a Viradouro na Sapucaí em 2020.

Final da Viradouro de 2019. Foto: Reprodução

Espetáculo dentro e fora da pista

Que a Viradouro recuperou o status de escola gigante que briga pelo título do Grupo Especial não há dúvidas. O que fica mais evidente a cada dia, contudo, é a força da escola dentro e fora da pista. A atual vice-campeã já havia feito uma final histórica em 2018, mas conseguiu superar o evento do ano passado com a edição deste sábado (21).

Com um show dos segmentos para ninguém botar defeito – e que nada deve aos grandes espetáculos musicais em palcos de teatro -, a escola relembrou desfiles marcantes e sambas antológicos. O intérprete Zé Paulo, a bateria de mestre Ciça e o casal Julinho e Rute foram a sensação do show.

A noite ainda contou com apresentação do grupo das Ganhadeiras de Itapuã, que inspiraram o enredo da vermelho e branco. Barraquinhas de comidas típicas nordestinas e rodas de capoeira também tomaram conta da quadra, o que deixou o público ainda mais no clima do tema da agremiação.

Final da Viradouro de 2019. Foto: Reprodução

Comentários




    gl