Prefeitura adia cessão do Sambódromo ao Governo do Estado

Sambódromo da Marquês de Sapucaí. Foto: Cezar Loureiro/Riotur

Os sambistas que desejam que o Sambódromo da Marquês de Sapucaí passe para as mãos de Wilson Witzel, grande entusiasta do Carnaval carioca, terão que esperar mais um tempinho. A transferência do palco dos desfiles para o Governo do Estado, marcada para esta sexta-feira (8), foi adiada pela prefeitura, e não tem data para ocorrer.

Via nota oficial, a prefeitura explicou que tomou a decisão por orientação da Procuradoria Geral do Município e de alguns vereadores. Atualmente, a legislação impede que o comando da folia do Rio de Janeiro seja transferido. Segundo a Lei 2720/1998, “a administração do Carnaval carioca é de responsabilidade exclusiva, direta e intransferível da prefeitura”. Para realizar a cessão da Sapucaí de forma legal, a prefeitura precisa solicitar alteração na legislação.

A administração da cidade também afirmou que aguarda os repasses financeiros prometidos pelo poder estadual. Em acordo com Marcelo Crivella, Wilson Witzel se comprometeu a repassar ao município R$ 8,1 milhões para obras no Sambódromo e R$ 174 milhões para custear os hospitais Albert Schweitzer e Rocha Faria.

Nota oficial

A Prefeitura do Rio informa que, por orientação da Procuradoria-Geral do Município e a pedido de alguns vereadores, vai adiar a cessão do Sambódromo ao Governo do Estado. Mas a Prefeitura ressalta que considera mantido o clima de parceria com o estado e espera que, como acertado previamente, o governador Wilson Witzel possa assinar o convênio e liberar os recursos para o custeio dos dois hospitais municipalizados, Albert Schweitzer e Rocha Faria.

Comentários




    gl