Plenária da Liesa desta segunda decide sobre ‘virada de mesa’ e pode salvar Imperatriz

Desfile Imperatriz 2019. Foto: Leandro Milton/SRzd

Todas atenções do mundo do samba se voltam para a plenária da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) desta segunda-feira (3). Os presidentes das, até agora, treze agremiações do Grupo Especial se reúnem na sede da entidade, a partir das 19 horas, para tratar, dentre outros assuntos, de uma nova ‘virada de mesa’ no Carnaval carioca.

A proposta pretende anular o rebaixamento da Imperatriz Leopoldinense, penúltima colocada na apuração de 2019, e manter a agremiação no Grupo Especial. O Império Serrano, que amargou a última posição, não seria beneficiada pela manobra e ficaria na Série A para o ano que vem.

Império Serrano não seria beneficiado pela nova ‘virada de mesa’. Foto: Leandro Milton/SRzd

Uma das justificativas para a questão seria a manutenção de 14 escolas na elite do Carnaval carioca, pedido antigo de muitos torcedores.

A ideia divide escolas de samba e a reunião desta segunda (3) promete fortes emoções entre os representantes de cada agremiação. Há, contudo, ‘unanimidade’ entre os sambistas e apaixonados pela festa: não aprovam e toleram uma quebra de regulamento pela terceira vez consecutiva.

Nos dois últimos anos, não houve rebaixamento no Grupo Especial. Em 2017, por conta dos acidentes na Marquês de Sapucaí, o Paraíso do Tuiuti não caiu para a Série A. Em 2018, uma nova decisão entre os representantes das escolas decidiu salvar o Império Serrano e a Grande Rio do descenso.

Acadêmicos da Grande Rio foi uma das beneficiadas pela ‘virada de mesa’ no Carnaval 2018. Foto: Juliana Dias/SRzd

Liga teria que pagar multa de R$ 750 mil

Caso seja aprovada a proposta na reunião plenária desta segunda (3), a Liesa teria que desembolsar R$ 750 mil para pagar uma multa pela ‘virada de mesa’. Isso porque, ano passado, a entidade assinou um termo de ajustamento de conduta (TAC) com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) para impedir uma futura manobra no resultado dos desfiles das escolas de samba de 2019.

A única alternativa em que a multa não se aplica em mudança de resultado é em casos de ocorrência de evento fortuito ou força maior. Contudo, a decisão precisaria ter sido deliberada em reunião, e apresentada e justificada ao público antes da apuração do Carnaval.

Comentários




    gl