Olha a Raissa aí, gente! Rainha da Beija-Flor será candidata a vereadora de Nilópolis

Raissa no desfile da Beija-Flor de 2020. Foto: Leandro Milton/SRzd

Após 18 anos reinando à frente de 280 ritmistas, Raissa de Oliveira agora quer representar quase 160 mil pessoas. Aos 29 anos, a jornalista e rainha de bateria da Beija-Flor quer ser vereadora de Nilópolis, berço da sambista e cidade-mãe da azul e branca.

Em entrevista exclusiva ao SRzd, Raissa, que se filiou ao Avante e concorrerá nas eleições municipais de outubro, abriu o jogo sobre os motivos que a levaram a tomar a decisão. Tal qual a Beija-Flor em seu desfile de 2018, Raissa guardava um desabafo sobre o momento político atual.

As pessoas estão de saco cheio da velha política

“Eu acredito muito na renovação. Aqueles que tiveram oportunidade, que o povo elegeu e não fizeram por onde, por que vão continuar? O país passa por uma grande renovação política. O povo precisa apostar no novo. Quem tá ali não fez nada. As pessoas estão de saco cheio da velha política, das mesmas políticas”, disparou.

Raissa de Oliveira durante campanha eleitoral de 2018, ao lado do marido Drigão Henriques. Foto: Arquivo pessoal

‘Refém da intolerância dessa gente’, Raissa tem noção que pode ser julgada pelo fato de ser uma rainha de bateria concorrendo ao cargo de vereadora do município. Seja de biquíni de strass, salto alto ou roupa social, a sambista quer romper a barreira machista e aumentar a representatividade feminina na câmara.

“Preconceito a gente sofre de todas as formas, principalmente por ser mulher. Acho que incomoda. Na câmara de Nilópolis não tem nenhuma mulher. Tá na hora de sentar uma mulher ali e acabar com esse tipo de preconceito. E mostrar para vários homens o que era para ser feito e eles não fizeram.”

Tá na hora de sentar uma mulher e acabar com esse tipo de preconceito

Esposa do ex-secretário de obras Drigão Henriques, Raissa se despertou para a política durante a campanha eleitoral de 2018. Adepta às ações sociais, a experiência com o marido mostrou a sambista uma nova forma de ajudar o povo.

“Eu pude ver que eu, o governo, as prefeituras poderíamos fazer muito mais. Meu marido foi secretário em São João de Meriti e Nova Iguaçu. Eu via a dedicação que ele tinha com as pessoas. Eu vendo que eu poderia fazer mais, decidi que queria fazer pela minha comunidade”, contou Raissa, que terá Drigão como seu principal cabo eleitoral. O ex-secretário abriu mão de uma possível candidatura para ajudar a esposa.

“Eu sentei com meu marido e falei: ‘Eu quero vir como vereadora de Nilópolis’. E ele me deu total apoio. Um lado tem que ceder. E ele tem muita experiência em política. A gente uniu o útil ao agradável. Ele sempre foi o coordenador da minha vida, agora vai ser meu coordenador de campanha”, brincou a majestade nilopolitana.

Identificação com Nilópolis

Raissa durante festa de Natal da Beija-Flor em 2018. Foto: Eduardo Hollanda.

Cria de Nilópolis, Raissa já é quase um patrimônio da cidade. Tanta é sua popularidade que a rua onde ela mora, Travessa Geovania Santana Drumond, é apelidada pelos nilopolitanos de ‘Rua da Raissa’. O endereço ainda é ao lado da quadra da Beija-Flor, o que fortalece o status da rua ser quase um ‘ponto turístico’.

Eu sou uma pessoa de palavra. Eu não vou sujar meu nome.

“Eu tenho uma identificação muito grande com Nilópolis. As pessoas veem uma esperança em mim. Eu sou uma pessoa de palavra. Eu não vou sujar meu nome. Eu gosto de gente e quero trabalhar para o povo. Quero o melhor para eles, para meu povo nilopolitano”, afirmou.

Se engana quem pensa que Raissa é só Beija-Flor. A rainha tem um projeto social, a ONG Raydi, que ajuda de crianças a idosos. O instituto oferece aulas de dança e percussão, além de acompanhamento de saúde, com consultas gratuitas a psicólogos e pediatras.

“Tudo que eu faço sai do meu bolso, mas não é o suficiente, e eu sei que a máquina pública pode ajudar. Eu preciso fazer por essas pessoas e por outras mais ainda”, revelou Raissa, que já se afastou da Raydi para poder se candidatar ao cargo.

Vida na Beija-Flor e espelho em Anísio

Raissa na quadra da Beija-Flor. Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação

Se você já está se perguntando se a sambista sairá da Beija-Flor, pode ficar despreocupado. Quem é Raissa não perde a majestade. Se depender da sambista, sua história na azul e branca tem vida longa e, sim, ela continuará como rainha de bateria caso se torne vereadora.

A rainha recebeu o aval do presidente de Honra, Anísio Abraão David, e foi o vice-presidente da Beija-Flor, Almir Reis, quem indicou o partido Avante para Raissa. A escola, aliás, já tem um histórico na política. Ex-presidente da Beija-Flor, Farid Abraão David é o atual prefeito de Nilópolis. Seu sobrinho, Abraãozinho David Neto, é quem concorrerá ao pleito para substituir o tio no cargo.

Anísio sempre fez um trabalho muito grande em Nilópolis e me ensinou muita coisa

“Anísio sempre fez um trabalho muito grande em Nilópolis. Aquele homem é de se espelhar. O tanto que ele ajuda as pessoas. Criou uma creche. Ele é uma grande referência em Nilópolis e me ensinou muita coisa”, disse Raissa, que confessou se inspirar em Anísio para levar adiante sua candidatura.

A rainha, que preparou uma força-tarefa para conciliar gravidez e maternidade com os compromissos na Beija-Flor em 2019, já organizou um esquema triplo para 2020. Agora, além de cuidar da pequena Rhayalla, de apenas sete meses, e não faltar a nenhum evento na azul e branca, Raissa precisará de tempo para se dedicar à campanha, sem contar os compromissos como vereadora caso seja eleita.

“Tudo na minha vida é planejado. Quando eu descobri que estava grávida, já comecei a me planejar: ‘como seria a minha vida, como seria o Carnaval’. Quando eu decidi me candidatar, eu já tinha
tudo planejado na minha cabeça. É aquilo: a mulher sabe se virar em tudo. Eu fico muito despreocupada porque já planejei tanto a candidatura como o pós-eleição. Caso vença, vou criar uma equipa bem estruturada. Se precisar me ausentar em algum momento, eles estarão prontos para atender o povo”, explicou Raissa, que ainda é dona de uma academia.

‘Gabinete do Povo’

Raissa e Drigão na campanha de 2018. Foto: Arquivo pessoal

Raissa é do tipo que fala com todo mundo. Não nega um beijo e uma foto a ninguém. Amante do ‘fervo’ e de gente, a rainha quer usar suas características para defender o povo nilopolitano, e já tem propostas na cabeça.

Na hora da eleição, os políticos abraçam o povo e depois somem

“Na hora da eleição, os políticos vão, abraçam o povo e depois somem. Eu, ganhando, quero montar um ‘Gabinete do Povo’, com minha equipe atendendo todo dia. Os políticos ganham e acabou. E isso me irrita, porque eu sempre precisei, minha instituição sempre precisou. E na época de eleição, eles vão me procurar para arranjar votinho para eles. Mas dessa vez, não. Agora eu que estarei na linha de frente para fazer pelo povo.”

Sambista de carteirinha, a rainha quer fortalecer a cultura do município e se dedicar à saúde e educação. Mas sua principal plataforma será o apoio à segurança pública. Raissa quer que o único arrastão de Nilópolis seja na Marquês de Sapucaí, com a Beija-Flor campeã do Carnaval.

“A gente sabe que segurança é de responsabilidade do Estado, mas precisamos estar unidos, andar de mãos juntas, para podermos acabar com com a insegurança do povo, com esse medo de sair para trabalhar e não saber se vai voltar. Além disso, preciso fiscalizar o executivo e os recursos públicos, fazer emendas municipais, fazer indicações de obras de serviços em geral. Quero ser a vereadora do povo.”

Ritmistas e Raíssa Oliveira, rainha de bateria. Foto: Eduardo Hollanda







Comentários




    gl