Oficial de Justiça dá ordem de despejo em barracão da Inocentes de Belford Roxo

Escultor trabalha no barracão da Inocentes de Belford Roxo. Foto: Vinicius Albudane.

A Inocentes de Belford Roxo teve seu barracão interditado na manhã desta quinta-feira (02). Um oficial de justiça, acompanhado pela polícia militar, foi até o local decretar a ordem de despejo. Informações são da assessoria da agremiação.

A escola de samba havia sido notificada previamente para deixar o local à pedido da nova empresa que adquiriu o espaço. O ambiente era usado pela agremiação da Baixada Fluminense desde 1998. Apesar de já ter encontrado um novo lugar para armazenar suas alegorias, equipamentos e fantasias, a Inocentes continua a recorrer decisão da Justiça.

Momento da interdição do barracão da Inocentes de Belford Roxo. Foto: Divulgação
Momento da interdição do barracão da Inocentes de Belford Roxo. Foto: Divulgação

De acordo com a liminar do oficial, a escola têm até às 17 horas desta quinta-feira para remover os materiais que permanecem no barracão. Ainda faltam levar, para o novo espaço, duas alegorias e alguns equipamentos. A Inocentes está em contato com a nova proprietária do local para negociar a transferência dos carros alegóricos. A agremiação espera conseguir retirar os carros na próxima semana.

Representantes da tricolor de Belford Roxo destacam que a mudança requer tempo e um planejamento maior junto à prefeitura. Ainda que a transferência já havia sido iniciada com materiais de pequeno porte, é preciso um cuidado maior com o transporte dos carros alegóricos. Para que alegorias circulem nas vias da cidade, é necessária uma autorização da CET-RIO (Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro). O custo do transporte também é um dos motivos para a demora na transição.

Carro da Polícia Militar do Rio em frente ao barracão da Inocentes de Belford Roxo. Foto: Divulgação
Carro da Polícia Militar do Rio em frente ao barracão da Inocentes de Belford Roxo. Foto: Divulgação

Santa Cruz também será despejada

Além da Inocentes de Belford Roxo, outra escola passa pela mesma situação — como conta os representantes da agremiação da Baixada. O espaço do barracão da Acadêmicos de Santa Cruz também teria sido adquirido pela nova empresa e precisaria ser liberado. Entretanto, a escola de samba do bairro da Zona Oeste do Rio estaria a enfrentar uma situação ainda mais complicada. Grande parte do material pertencente a agremiação ainda continua no barracão.

Comentários




    gl