O que é dela não é seu: Imperatriz cigana não quer deixar o 1º lugar

Desfile das escolas de samba do Rio 2024. Foto: SRzd/Leandro Milton

O que é dela não é seu: Imperatriz cigana não quer deixar o 1º lugar:

Rio 2024: Começou, na noite deste domingo (11), o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro na Marquês de Sapucaí com as apresentações do Grupo Especial carioca.

Seis agremiações no cardápio da folia: Unidos do Porto da Pedra, Beija-Flor de Nilópolis, Acadêmicos do Salgueiro, Acadêmicos do Grande Rio, Unidos da Tijuca e Imperatriz Leopoldinense.

Atual campeã, a Rainha de Ramos foi a sexta e última escola a pisar na Passarela do Samba fechando esta primeira noite. Como esperado e confirmando as projeções do pré-Carnaval, foi um espetáculo à parte. Digno de quem está defendendo a coroa e quer seguir no topo. Não é sorte, é talento, recurso e uma nova energia que revestiu a agremiação que se jogou na magia cigana.

Veja o que disseram os comentaristas do SRzd sobre o desfile da Imperatriz:

+ como foi o desfile?

Wallace Safra: “A comissão de frente trouxe para a Avenida uma grande fogueira com seus bailarinos como salamandras e junto a eles a manifestação da divindade Esmeralda. Com um desenho coreográfico enérgico e uma volumetria de movimentos, foi interessante assistir. O coreógrafo agregou valor ao conjunto coreográfico com uma surpresa, quando a divindade flutua no ar para mostrar toda sua magia e impressiona o público presente. Acredito que o figurino em fasfalhos e com a base inferior no mesmo tom do forro de chão do carro trouxe alguma confusão visual e também comprometeu enxergar com nitidez os movimentos dos bailarinos. Bom trabalho e coerente à plástica do enredo”.

Célia Souto: “Imperatriz Leopoldinense traz para a Avenida o seu canto forte, sustentado por uma bela melodia harmoniosa, ótimo entrosamento e sincronia rítmica, componentes concentrados defendem o samba-enredo na sua totalidade dançando com leveza e fluidez fazendo desse desfile uma bonita apresentação no quesito harmonia e evolução”.

Jaime Cezário: “A caravana da Rainha de Ramos chegou forte para defender o seu título e encerrar o primeiro dia de desfiles do domingo de Carnaval. O enredo baseado no testamento da Cigana Esmeralda foi explorado com maestria e bom gosto. Começando com uma festa cigana com direito a fogueira e tudo! A partir daí explorou o significado dos sonhos, a quiromancia, a astrologia e o mapa astral. Tudo de fácil compreensão com belas alegorias e fantasias. Registro que, na segunda alegoria, a bela iluminação não funcionou, passando praticamente apagada. Um desfile para fechar com chave de ouro o primeiro dia. Vamos ver se a quarta-feira vai clarear pras bandas de Ramos e, assim, confirmar que ela desfilou com a sorte virada pra Lua”.

Bruno Moraes: “Um desfile crescente, quando acontece, é muito satisfatório, e a bateria da Imperatriz foi crescendo e terminou o desfile gigante e de forma apoteótica. A equipe do Mestre Lolo é de altíssimo nível e apresentou um conjunto de bossas incríveis. O andamento mais pra frente não atrapalhou na execução dos toques. Vimos um verdadeiro show da Swing da Leopoldina”.

Eliane Souza: “Phelipe Lemos e Rafaela Theodoro, o primeiro casal da escola, bailaram com muita elegância e leveza, realizando os movimentos característicos da coreografia em perfeita sincronização. Observei uma ótima sintonia do par. O mestre-sala, gentil e cortês, dançou para sua dama e para reverenciar o pavilhão. Bonita e apropriada menção ao minueto foi apresentada pelo par no trecho do samba que fala “ao som do violão e violino” e precedeu a APRESENTAÇÃO DA BANDEIRA, que foi realizada com elegância e gentileza. Phelipe Lemos exibiu piruetas diversas, o CRUZADO em rotações, a CARRAPETA em meio círculo, uma PEGADA DE MÃO firme deu segurança à execução do AVIÃOZINHO da porta-bandeira, que demonstrou habilidade em realizar seus giros, nos dois sentidos, durante o movimento ABANO! E para mais felicidade da plateia, em frente ao setor 8, após saudar o público, o mestre-sala fez aquele já esperado passo do ‘chiquinhodamariahelena’ tão aclamado pelos sambistas. Lindo de apreciar! Bonita a passagem de Marcos Ferreira e Alcione Carvalho, o segundo casal da escola”.

Wallace Safra: “A ala de passistas apresenta um trabalho bem bonito. Um samba no pé plural, beleza plástica nos figurinos, leve e enérgico. O coordenador optou em trazer em algum momento do samba uma coreografia, o que proporcionou uma unidade plástica e injetou uma retomada ao samba no pé da ala, que se manteve ativo e linear. Bom trabalho apresentado”.

+ VÍDEO: MELHORES MOMENTOS DO DESFILE

+ GALERIA DE FOTOS DO DESFILE

+ ENTREVISTAS NO DESFILE

+ Carnaval 2024:

Com a sorte virada pra lua segundo o testamento da cigana Esmeralda, assinado por Leandro Vieira. Este é o enredo da escola que ficou com o título do Grupo Especial no Carnaval de 2023.

O samba é de autoria de Me leva, Gabriel Coelho, Luiz Brinquinho, Miguel da Imperatriz, Antônio Crescente, Renne Barbosa, Jeferson Lima, Rômulo Meirelles, Jorge Goulart, Sílvio Mesquita, Carlinhos Niterói e Bello.

+ ordem oficial de desfiles do Grupo Especial 2024:

Domingo, 11 de fevereiro:

1º – Unidos do Porto da Pedra (Campeão do Acesso 2023)
2º – Beija-Flor de Nilópolis
3º – Acadêmicos do Salgueiro
4º – Acadêmicos do Grande Rio
5º – Unidos da Tijuca
6º – Imperatriz Leopoldinense (Campeã do Grupo Especial 2023)

Segunda-feira, 12 de fevereiro:

1º – Mocidade Independente de Padre Miguel (11ª colocada do Grupo Especial 2023)
2º – Portela
3º – Unidos de Vila Isabel
4º – Estação Primeira de Mangueira
5º – Paraíso do Tuiuti
6º – Unidos do Viradouro

Comentários

 




    gl