Conheça a nova casa da Escola de Mestre-Sala, Porta-Bandeira e Porta-Estandarte Manoel Dionísio

Alunos e instrutores da Escola com Manoel Dionísio. Foto: Diego Jenkins

Alunos e instrutores da Escola com Manoel Dionísio. Foto: Diego Jenkins

A Escola de Mestre-Sala, Porta-Bandeira e Porta-Estandarte Manoel Dionísio está de casa nova. O projeto, que foi fundado em 1990 e já formou inúmeros dançarinos do samba, vai retomar as atividades no Centro de Artes Calouste Gulbenkian, equipamento da Secretaria Municipal de Cultura, que fica na Praça Onze, berço do samba carioca.

Com início no dia 5 de maio, as atividades são gratuitas e incluem aulas práticas e teóricas para ensinar aos futuros dançarinos os fundamentos e origens da dança, além do regulamento do desfile e de questões éticas e profissionais que envolvem o ofício de mestre-sala e porta-bandeira.

O curso, que acontece aos sábados das 13h às 18h, é aberto para todas as idades nos níveis básico, intermediário e avançado e oferece lanche aos alunos. A Escola ainda dispõe de um pedagogo, dando orientações educacionais e apoio em questões comportamentais e sociais.

Entre os instrutores estão ilustres ex-alunos do projeto, como Peixinho, primeiro mestre-sala da Inocentes de Belford Roxo, e Feliciano Junior, que já atuou no Império Serrano e na Estácio de Sá, além das porta-bandeiras Alcione Carvalho, da Estácio e Lohane Lemos, da Unidos da Tijuca.

Mestre Manoel Dionísio. Foto: SRzd
Mestre Manoel Dionísio. Foto: SRzd

Para Manoel Dionísio, presidente e fundador do projeto, esta temporada vai ser a melhor de todos os anos.

“Nossa sede é aqui onde a história do samba começou! Fico muito feliz pelo futuro do projeto, vamos revelar muitos talentos ainda!”, afirmou.

As inscrições vão até junho, e para se matricular é necessário levar um documento de identidade, duas fotos 3×4 e pagar o valor de R$ 50 para a compra do uniforme. Para menores de idade também é preciso que o responsável leve o comprovante de matrícula escolar.

Comentários




    gl