Liesa não paga multa e Imperatriz não consegue convencer MP em reunião

Desfile Imperatriz 2019. Foto: Leandro Milton/SRzd

A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) não pagou a multa de R$ 750 mil referente à virada de mesa que salvou a Imperatriz Leopoldinense. O prazo se esgotou nesta segunda-feira (10), mesmo dia em que a a verde e branco de Ramos se reuniu com o Ministério Público para tentar justificar sua manutenção no Especial, mas não obteve sucesso.

A multa aplicada à Liesa é devido a um termo de ajustamento de conduta (TAC), que a entidade e o MPRJ assinaram em 2018 para evitar uma nova quebra de regulamento no Carnaval carioca. Vale lembrar que em 2017 e 2018 também houve virada de mesa no resultado.

Com o não pagamento, o MPRJ cobrará o valor na Justiça, com juros e correção monetária. Caso a liga não desembolse o valor, poderá ter contas bloqueadas e bens penhorados.

A Imperatriz Leopoldinense, beneficiada com a manobra, se reuniu com o Ministério Público nesta segunda-feira (10) para justificar sua permanência no Grupo Especial a tentar, de alguma forma, anular a cobrança. A escola mandou um advogado em um encontro de portas fechadas com o promotor Rodrigo Terra, responsável pelo caso, mas não conseguiu convencer o MPRJ.

Comentários




    gl