Evelyn Bastos recebe Medalha Pedro Ernesto e sambistas parabenizam

Evelyn Bastos em solenidade na Câmara ds Vereadores do Rio. Foto: Reprodução/YouTube

Uma rainha tem direito a coroa, mas Evelyn Bastos ganha até medalha. A majestade dos ritmistas da verde e rosa recebeu, na última sexta-feira (12), na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, a maior comenda da cidade: a Medalha Pedro Ernesto. A rainha se emocionou com a honraria e recebeu mensagens de felicitações dos seus colegas sambistas.

Em rede social, Evelyn publicou uma foto com a medalha ao lado de seu noivo Marcelo Coutinho, vereador (PSD-SP) e presidente da Câmara de Guaratinguetá, interior de São Paulo. Ela agradeceu ao companheiro e também ao vereador Leonel Brizola (PSOL-RJ), responsável pela indicação da rainha para receber a comenda.

Sambistas parabenizam

Personalidades do mundo do samba se renderam à conquista da rainha verde e rosa e teceram elogios à majestade da Mangueira.

Raíssa Oliveira, rainha de bateria da Beija-Flor: “Parabéns minha linda! Toda honra e toda glória dada a você… Você merece”.

Ketula Mello, musa da Imperatriz: “Parabéns! Você nos representa! Orgulho de você”.

Cássio Dias, diretor de passistas da Beija-Flor: “Parabéns, Evelyn Bastos! Você nós representa”.

David Brazil, destaque da Grande Rio: “Que lindo”.

Milton Cunha: Inesquecível cerimônia! Tudo foi impressionantemente novo! E você brilhou… e brilha”.

Squel Jorgea, porta-bandeira da Mangueira: “Parabéns! Você merece”.

Evelyn e Raissa, rainhas de Mangueira e Beija-Flor, são amigas. Foto: Reprodução/Facebook

Histórico de Evelyn Bastos

Nascida e moradora do morro da Mangueira, Evelyn Bastos é rainha de bateria da agremiação desde 2014. Filha da ex-majestade dos ritmistas Valéria Bastos, Evelyn começou em 1998 na Mangueira do Amanhã. Em 2013, foi eleita a Rainha do Carnaval do Rio. Ela também foi Musa do Caldeirão do Huck, da TV Globo, em 2012.

A rainha também é idealizadora do projeto SAC (Samba, Amor & Caridade), que assiste moradores de rua, e se destaca pelo forte posicionamento político em defesa das minorias. No Carnaval 2019, Evelyn encarnou a figura de Esperança Garcia, uma negra escravizada que se tornou a primeira advogada do Piauí. Ela também se vestiu de Escrava Anastácia no ensaio técnico.

Evelyn Bastos, rainha de bateria da Mangueira, no desfile das campeãs. Foto: Leandro Milton/SRzd

Comentários




    gl