Com direito a oração, torcedores e personalidades pedem ‘Fica, Luizinho’ em ato na Imperatriz

Faixa foi estendida na rua em frente à quadra da verde e branco. Foto: Reprodução

Uma multidão tomou conta da rua Professor Lacê, em frente à quadra da Imperatriz, em Ramos, na tarde deste domingo (28). O motivo foi o ato #FicaLuizinho, que reuniu torcedores da verde e branco, componentes de outras agremiações, personalidades do Carnaval e representantes de escolas de samba da Série A e do Grupo Especial.

Com faixas, bandeiras e samba no pé, centenas de pessoas entoaram palavras de ordem para que Luizinho Drummond desista da renúncia do cargo de presidente da Imperatriz. Sambas antológicos da agremiação também foram cantados. No final da manifestação, uma oração, com todos de mãos dadas, encerrou o evento.

O ato estava marcado para as 15 horas, mas a partir das 13h era possível ver o início da concentração de torcedores em frente à quadra da Imperatriz. Uma das primeiras a chegar foi Regina Celi, ex-presidente do Salgueiro e sócia benemérita da Liesa. A dirigente levou faixas que ela mandou fazer para colocar na rua Professor Lacê e escreveu seu nome no abaixo-assinado, que pede que Luizinho Drummond fique na presidência da verde e branco.

Perto das 15 horas, grande número de sambistas já tomava conta do local. Além de torcedores da Imperatriz, caravanas trouxeram a comunidade da Renascer de Jacarepaguá e Mocidade Independente de Padre Miguel. Casais de mestre-sala e porta-bandeira da Portela, Grande Rio, Mocidade, Salgueiro, Estácio de Sá, São Clemente, Santa Cruz, Renascer e da própria Imperatriz marcaram presença e bailaram durante o ato em frente à quadra.

Personalidades do samba como Renatinho (presidente da São Clemente), Elymar Santos (cantor), Max Lopes (ex-carnavalesco da Imperatriz), Leonardo Bessa (intérprete da Renascer), Zé Katimba (compositor da Imperatriz), Maria Helena e Chiquinho (eterno casal da Imperatriz), Machine (síndico da passarela), Ketula Mello (musa da Imperatriz), Flávia Lyra (rainha de bateria da Imperatriz), Arthur Franco (intérprete da Imperatriz) e Júnior Escafura (membro da comissão de Carnaval da Portela) também foram e apoiaram a manifestação.

Os ritmistas da bateria Swing da Leopoldina ganharam a companhia de ritmistas de outras escolas e, comandados por mestre Lolo, da Imperatriz, botaram o povo para sambar até pouco depois das 17 horas. No final do evento, os sambistas deram as mãos e cantaram “Nossa Senhora”. O intuito era fazer uma oração para clarear a cabeça de Luizinho Drummond e fazer com que o dirigente decida continuar à frente da Imperatriz.

Para organizadores e pessoas que participaram do ato, o #FicaLuizinho entrou para a história do Carnaval. Muitos se emocionaram durante a oração e saíram da frente da quadra da Imperatriz com o sentimento de dever cumprido.

Galeria de fotos

Comentários




    gl