Climão na Corte! Princesa ignora Camila Silva, Rainha do Carnaval

Corte Real do Rio para o Carnaval 2020 é formada por: Cinthia Martins, Camila Silva, Djeferson Mendes e Deisiane de Jesus. Foto: Alexandre Macieira/Riotur

Comemorada por muitos sambistas, a eleição de Camila Silva para Rainha do Carnaval carioca de 2020 parece não ter agradado nem um pouco às princesas que completam a Corte Real. O motivo é o fato de Camila ser paulista, apesar de morar no Rio desde 2013.

+ Segunda princesa critica resultado e promete ir embora do país: ‘Não sai de outro estado por status’

Circula nas redes sociais um vídeo de uma entrevista de Deisiane de Jesus logo após ser coroada 1ª Princesa. Na imagem, ela está ao lado da 2ª Princesa, Cinthia Martins, e do Rei Momo, Djeferson Mendes. Na ponta, fica Camila Silva, Rainha do Carnaval. Ao responder à repórter sobre a emoção da conquista, Deisiane ignora Camila ao exaltar somente Cinthia e Djeferson.

“A emoção é sempre poder representar o nosso patrimônio cultural, a nossa cidade do Rio de Janeiro, como princesa, como rainha, o que seja. Eu e Cinthia somos cariocas, sambistas desde que a gente se entende por gente. Viemos de escola de samba mirim. Nós temos história no Carnaval. É uma emoção muito grande estar representando o Carnaval do Rio de Janeiro. Esse ano eu tô alegre, tô feliz, independente de coroa e faixa, por estar na companhia da nossa 2ª Princesa, Cinthia, e do nosso Rei 1º e Único, que é sambista também”, disse a 1ª Princesa da Corte.

Deisiane vai para seu quarto ano consecutivo na Corte do Carnaval carioca. Em 2017, ela foi eleita 2ª Princesa. Em 2018, 2019 e 2020, ficou com o cargo de 1ª. Procurada pelo SRzd para esclarecer o assunto, Deisiane não respondeu até a publicação da reportagem.

Deisiane de Jesus faz parte da Corte Real do Rio para o Carnaval 2020. Foto: Alexandre Macieira/Riotur

Camila prega união entre sambistas

Ex-rainha de bateria da Vai-Vai, em São Paulo, e da Mocidade Independente, no Rio, Camila Silva vem sofrendo resistência desde que anunciou sua candidatura à Corte Real carioca. A vitória, no último domingo (12), em Copacabana, aumentou tanto o número de apoiadores quanto os de que são contrários à escolha da sambista.




“Recebi muitas críticas por me inscrever no concurso, muitos sambistas desmereceram. Sofri muito preconceito, li muitas coisas em rede social, gente falando mal de mim, que eu não merecia ganhar o concurso por ser paulista, que eu era forasteira. Ser rainha de bateria é incrível, você representa uma comunidade. Mas ser rainha do Carnaval significa que você representa todas as escolas. É ser rainha da maior festa do país”, disse Camila Silva em entrevista ao G1.

Camila Silva recebe faixa de Rainha do Carnaval Rio 2020. Foto: Alexandre Macieira/Riotur

Natural de São Paulo, Camila se dividia entre a cidade maravilhosa e a terra da garoa desde 2013. Com o fim do reinado na Vai-Vai, ela se mudou por completo para o Rio. A sambista também já foi Rainha da Corte paulista em 2009. Agora, como majestade carioca, ela pede respeito.

“Só quero paz. Até a minha fantasia era branca para pregar a paz e a tolerância no Carnaval. O amor pelo samba é sem fronteiras e o amor por qualquer pavilhão é o mesmo”, completou a rainha.

Procurada pelo SRzd para esclarecer a polêmica, Camila Silva, por meio de sua assessoria de imprensa, preferiu não comentar o assunto. A beldade ressaltou que “o momento é de comemoração e gratidão por todos que sempre a receberam muito bem, e que ela seguirá o que sempre falou e fez: a união entre os sambistas”.

Camila Silva durante apresentação no concurso da Corte Real do Rio para o Carnaval 2020. Foto: Alexandre Macieira/Riotur




Comentários




    gl