Bate marimba, Camará! Samba da parceria de Feital vence no Império Serrano

Apresentação do samba campeão, de Paulo César Feital, na final da disputa de samba do Império Serrano. Foto: Divulgação

‘Da patente de Ogum’

O Império Serrano – ‘da patente de Ogum’ – confirmou sua identidade, na madrugada deste sábado (21), ao escolher o samba de Paulo Cesar Feital, Henrique Hoffmann, Andinho Samara STS, André do Posto 7, Jefferson Oliveira e Ronaldo Fininho como seu hino para o próximo Carnaval – que ainda pode acontecer em 2021.

+ Ouça o samba campeão

Com ‘patuá, ladainha, erva, farinha e facão’ – e interpretada pelo mister final, Tinga, ao lado de Zé Paulo – a obra fez bonito na decisão do concurso de samba-enredo da verde e branca e se tornou a música-tema do enredo ‘Mangangá’, do carnavalesco Leandro Vieira.

Fala, Paulo César Feital…

“Estamos muito felizes! Nosso samba mereceu ser campeão por sua autenticidade, pela qualidade musical, pela pérola de alguns versos dessa letra maravilhosa. É um samba que emociona. O Império Serrano merece um samba que passe pela Avenida emocionando e apaixonando quem o ouve.”

A vitória foi justa. Mas outros resultados também seriam, dada a qualidade da safra e dos finalistas da agremiação. O público do SRzd, por exemplo, apostava na vitória do samba de Aluísio Machado e cia. No fim, valeu o voto de quem entende. A decisão foi tomada por um corpo de jurados formado por Grandes Beneméritos, personalidades imperianas e membros da nova geração da escola.

De portas abertas

Em tempos de pandemia – para alguns, já pós-pandemia – o Império Serrano foi a primeira escola de samba a realizar, este ano, uma final de samba aberta ao público. Após o decreto da prefeitura que permitiu o retorno de atividades nas quadras, a agremiação reabriu suas portas a partir da semifinal, respeitando os protocolos de prevenção à Covid-19.

Com a presença da comunidade e até de torcidas organizadas para os sambas finalistas, o evento, marcado especialmente para o Dia da Consciência Negra (20), fez a festa dos imperianos. A decisão, que começou às 22h, terminou com o dia claro, com a bateria na Avenida Ministro Edgard Romero, já ‘ensaiando’ para a Avenida Marquês de Sapucaí.

Na tela da TV Império Serrano…

Quem não esteve presente na quadra, pôde fazer sua própria festa em casa, já que assim como outras agremiações – Unidos da Padre Miguel e Império da Tijuca -, o Império também transmitiu a final por live no YouTube. Na manhã deste sábado (21), a transmissão já contava com 11 mil visualizações.

Quem assistiu, viu, além da disputa de sambas concorrentes, um show especial da escola, a final do concurso Voz Imperial e ainda a apresentação da coirmã Paraíso do Tuiuti, do Grupo Especial.

Um novo Império Serrano

O ótimo samba da verde e branca dá sequência às transformações positivas que o Império Serrano vem passando no ano de 2020. Após o trágico desfile de 2020 – quando a escola deixou as baianas sem saia na Avenida -, a agremiação trocou de presidente – saiu Vera Lúcia e entrou Sandro Avelar – e adotou o slogan ‘renasce na fonte do samba, um novo Império Serrano’, trecho do samba de 2013.

Do dia 15 de maio, quando Sandro assumiu, até hoje, a verde e branca contratou o carnavalesco Leandro Vieira, os intérpretes Nego e Igor Vianna, o coreógrafo Patrick Carvalho, o mestre Vitinho – ‘filho de Faísca é fogo’ – e renovou com outros segmentos importantes, além de reformar a quadra e escolher um enredo à altura da escola.

Fala, presidente Sandro Avelar…

“A Nação Imperiana está sedenta por um grande desfile que possa fazer nossa comunidade se orgulhar. Estamos trabalhando para devolver esse brilho no olhar do Imperiano e temos certeza que este samba vai emocionar quando o agogô da Sinfônica anunciar o início do nosso desfile na Sapucaí.”

Presidente Sandro Avelar discursou na final da disputa de samba do Império Serrano. Foto: Divulgação










Comentários

 




    gl